Namoro: uma relação de afetos ou de violência entre jovens casais?

Autores

  • Marlene Almeida de Ataíde Universidade de Santo Amaro, São Paulo, SP

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2015v12n1p248

Palavras-chave:

Juventude, Namoro, Gênero, Violência de gênero, História Oral

Resumo

O presente artigo resulta de uma pesquisa qualitativa, ancorada pela metodologia da história oral, enquanto suporte investigativo. Teve como objetivo conhecer a partir das narrativas de duas jovens universitárias o fenômeno da violência nas relações de namoro. Nesta perspectiva desvelar os argumentos que defendem para submeter-se a uma relação de violência pressupõe apreender os significados que atribuem ao (s) tipo (s) da (s) violência (s) sofrida (s). Assim, esta pesquisa buscou investigar a violência de gênero, ou seja, as ações ou condutas, baseadas no gênero, que podem causar a morte, além do dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico à mulher, pois, tais eventos dessa natureza podem ocorrer tanto no espaço público como no privado. A violência de gênero expressa as relações de poder historicamente desiguais entre homens e mulheres.

Biografia do Autor

Marlene Almeida de Ataíde, Universidade de Santo Amaro, São Paulo, SP

Doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Professora do Curso de Serviço Social da Faculdade Tijucussu, São Caetano do Sul, SP, Brasil e Universidade de Santo Amaro, São Paulo, SP, Brasil. 

Downloads

Publicado

2015-07-13

Edição

Seção

Artigos