Trabalho imaterial: divergências teóricas e conceituais

Autores

  • Stefania Becattini Vaccaro Universidade Estadual de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2015v12n2p127

Palavras-chave:

Trabalho imaterial, Multidão, Sociedade dual, Teoria valor-trabalho

Resumo

O objetivo deste artigo é investigar se o conceito “trabalho imaterial” apresenta densidade teórica suficiente para funcionar com uma categoria de investigação nas ciências sociais. Assim, realizamos uma contraposição teórico-analítica entre as ideias desenvolvidas por Antonio Negri e Maurizio Lazzarato com aquelas propostas por André Gorz. A comparação dos textos evidencia diferenças substanciais e algumas proximidades entre os argumentos apresentados por esses autores. Com efeito, evidencia-se a existência de uma imprecisão conceitual sobre a expressão “trabalho imaterial”. Isto impede que este termo funcione como uma categoria analítica de investigação em sociologia do trabalho.

Biografia do Autor

Stefania Becattini Vaccaro, Universidade Estadual de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

Doutora em Ciências Sociais e Jurídicas pela Universidade Federal Fluminense. Professora de Políticas Públicas na Universidade Estadual de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

Referências

AMORIM, Henrique José Domiciano. Trabalho imaterial: Marx e o debate contemporâneo. São Paulo: Annablume, 2009.

______________________. Valor-trabalho e imaterialidade da produção nas sociedades contemporâneas. Buenos Aires: Clacso, 2012 (Colección Becas de Investigación).

GORZ, André. Adeus ao proletariado: para além do socialismo. Tradução de Ângela Ramalho Vianna e Sérgio Góes de Paula. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

____________________. Misérias do presente, riqueza do possível. Tradução de Ana Montoia. São Paulo: Annablume, 2004.

__________________. O imaterial: conhecimento, valor e capital. Tradução de Celso Azzan Júnior. São Paulo: Annablume, 2005.

GURGEL, Clarisse; MENDES; Alexandre Pinto. Negri leitor de Marx: trabalho imaterial e multidão. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 22-38, 2010.

HERSCOVICI, Alain. Elementos para uma análise da Economia Imaterial. Rumo à construção de uma nova agenda de pesquisa. Revista Eletrônica Documento Monumento. V. 13, n. 01, p. 212-228, 2014. Disponível em: < http://200.129.241.80/ndihr/revista/artigos/17.pdf >. Acesso em: 10 jan. 2015.

LAZZARATO, Maurizio. El ciclo de la producción inmaterial. Enmedio, 2007. Disponível em: <http://www.enmedio.info/el-ciclo-de-la-produccion-inmaterial/>. Acesso em: 18 abr. 2014.

LAZZARATO, Maurizio; NEGRI, Antonio. Trabalho imaterial: formas de vidas e de produção de subjetividade. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

LESSA, Sérgio. “Trabalho imaterial”: Negri, Lazzarato e Hardt. Estudos de Sociologia, Araraquara, v. 6, n. 11, p. 119-143, 2001. Disponível em: <http://seer.fclar.unesp.br/estudos/article/view/414>. Acesso em: 14 jun. 2014.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2013. Livro I: o processo de produção do capital.

MARX, Karl. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858. Tradução de Mario Duayer e Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2011.

MORAES NETO, Benedito de. Pós-fordismo e trabalho em Antônio Negri: um comentário. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, Uberlândia, n. 18, p. 39-61, jun. 2006.

PRADO, Eleutério. Pós-grande indústria: trabalho imaterial e fetichismo: uma crítica a A. Negri e M. Hardt. Revista Crítica Marxista, n. 17, p. 109-130, jul. 2006. Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/comentario17critica17-C-prado.pdf>. Acesso em: 14 jul. 2014.

ROSSO, Sadi dal. Teoria do valor e trabalho produtivo no setor de serviços. Caderno CRH, Salvador, v. 27, n. 70, p. 75-89, jan./abr. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-49792014000100006&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 20 jun. 2014.

SANTOS, Vínicius Oliveira. Trabalho imaterial e teoria do valor em Marx: semelhanças ocultas e nexos necessários. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

SILVA, Josué Pereira da. Tempo de trabalho e imaterialidade na teoria social de André Gorz. Caderno CRH, Salvador, v. 27, n. 70, p. 101-113, jan./abr. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-49792014000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=en>. Acesso em: 20 jun. 2014.

Downloads

Publicado

2015-12-15

Edição

Seção

Artigos - Condição Humana na Modernidade