Recursos hídricos e saúde humana: impactos industriais e estratégias de manejo e proteção ambiental no município de Goiana/PE

Autores

  • Isabelle Maria Mendes de Araújo Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN
  • Manoel Marcilio Barbosa Nascimento Prefeitura Municipal de Goiana, Goiana, PE
  • Angelo Giuseppe Roncalli da Costa Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2016v13n3p163

Palavras-chave:

Bacia hidrográfica, Industrialização, Vulnerabilidade

Resumo

No contexto da expansão industrial regional, os recursos hídricos do Nordeste brasileiro vêm sofrendo diversos impactos, os resíduos e efluentes industriais poluentes são uns dos principais fatores que contribuem para os danos ambientais, os quais também geram externalidades negativas para a saúde da população no território. Desse modo, o presente artigo objetiva sistematizar os tipos de impactos à Bacia Hidrográfica do Rio Goiana no município de Goiana, Pernambuco, diante da recente instalação dos polos automotivo e farmacoquímico, com a presença da primeira indústria de hemoderivados do Brasil, Hemobrás, bem como pela presença de outros empreendimentos produtivos na região; e descrever as estratégias de manejo e proteção ambiental desenvolvidas para proteger e gerir os recursos hídricos. Para tal, foi realizada revisão bibliográfica, bem como pesquisa de campo e sistematização de dados secundários em instituições estaduais e municipais responsáveis pela proteção da zona aquífera. Constatou-se a presença de poluição e degradação dos recursos hídricos em Goiana advindas dos polos fabris: cimenteiro, vidreiro, automotivo, de celulose, da cultura canavieira e da carcinicultura; além de serem evidenciadas medidas mitigadoras associadas à proteção da biodiversidade, da água, reduzindo, assim, a vulnerabilização da população local. 

Biografia do Autor

Isabelle Maria Mendes de Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Manoel Marcilio Barbosa Nascimento, Prefeitura Municipal de Goiana, Goiana, PE

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia pela Universidade Federal da Paraíba, Campina Grande, PB. Professor da Rede Municipal de Goiana e Coordenador da Divisão de Educação Ambiental em Goiana, PE

Angelo Giuseppe Roncalli da Costa Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Doutor em Odontologia Preventiva e Social pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Pós-Doutorado pela University College London, Londres, Inglaterra. Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte atuando na Graduação em Odontologia e no Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Natal, RN

Referências

ACSELRAD, H. Vulnerabilidade, processos e relações. In: Ferreira HS, et al. Estado de direito ambiental: tendências. Rio de Janeiro: Forense Universitaria, 2010.

ARNELL, N. W. Climate change and global water resources: SRES scenarios and socio-economic scenarios. Glob. Environ. Change; 14, 31–52, 2004.

AUGUSTO, L.G. et al. O contexto global e nacional frente aos desafios do acesso adequado à água para consumo humano. Ciênc. saúde coletiva; 17(6): 1511-1522, 2012.

BEZERRA, A.C. et al. Condições Sanitárias no Município de Goiana–PE: construindo um diagnóstico com a participação das comunidades. Divulgação em Saúde para Debate; 50: 48–56, 2013.

BRASIL. CONAMA. Resolução nº 1/86, art. 1º. 1986.

CARNEIRO, F. et al. Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, 2015.

CARR, G. et al. Evaluating participation in water resource management: A review. Water Resources Research; 48, 2012.

COTTA, R.M. et al. Perfil sociossanitário e estilo de vida de hipertensos e/ou diabéticos, usuários do Programa de Saúde da Família no município de Teixeiras, MG. Ciênc. saúde coletiva; 14(4): 1251-1260, 2009.

HEMOBRÁS. Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia. Análise Participativa da Realidade Socioambiental da Goiana-PE. Recife: Hemobrás/Fiocruz; 2013.

FERNANDES, F.M.; MOREIRA, M.R. Considerações metodológicas sobre as possibilidades de aplicação da técnica de observação participante na Saúde Coletiva. Physis, 23(2): 511-529, 2013.

FIAT. Estudo de Impactos Ambientais - EIA. Projeto da Fábrica Automotiva Fiat, Goiana: Fiat, 2012.

FUSSEL HM. Vulnerability: A generally applicable conceptual framework. Global Environmental Change; 17, 155‑167, 2007.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro; 2011.

MIRANDA, R.E. Impactos ambientais decorrentes dos resíduos gerados na produção de papel e celulose. Monografia. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, 2008.

MORAES, D.S.; JORDÃO, B.Q. Degradação de recursos hídricos e seus efeitos sobre a saúde humana. Rev. Saúde Pública; 36(3): 370-374, 2002.

PERNAMBUCO. Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH. Diagnóstico sócio-ambiental do litoral norte de Pernambuco. Recife: CPRH; 2003

PERNAMBUCO. Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH. Diagnóstico Socioambiental - Litoral Norte - Recursos Hídricos Superficiais: O Meio Físico da Área 2. Recife: CPRH, 2010.

PERNAMBUCO. Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – CONDEPE/FIDEM. Bacia Hidrográfica do Rio Goiana e GL6. Recife, 2005.

PORTO, M.F.; MILANEZ, B. Eixos de desenvolvimento econômico e geração de conflitos socioambientais no Brasil: desafios para a sustentabilidade e a justiça ambiental. Ciênc. saúde coletiva, 2009.

PORTO, M.F. Complexidade, processos de vulnerabilização e justiça ambiental: um ensaio de epistemologia política. Revista Crítica de Ciências Sociais; 93, 2012.

POTRICH, A. et al. Avaliação de impactos ambientais como ferramenta de gestão ambiental aplicada aos resíduos sólidos do setor de pintura de uma indústria automotiva. Estudos Tecnológicos em Engenharia, 3(3); 2007.

SÁNCHEZ, L.H. Avaliação de impactos ambientais: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos; 2008. p. 24.

SPRENGER, C. et al. Vulnerability of bank filtration systems to climate change, Science of the Total Environment; 409: 655–663, 2011.

SWEENEY, J. et al. Climate Change Scenarios and Challenges for the Water Environment. Irish Academy of Engineering; 69: 345, 2009.

Downloads

Publicado

2016-09-01

Edição

Seção

Artigos - Sociedade e Meio Ambiente