Uma história ambiental da Floresta Nacional de Passo Fundo: a aquisição das terras

Débora Nunes de Sá, Marcos Gerhardt

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2016v13n3p182

Este artigo narra e interpreta o processo de aquisição das terras do Parque Florestal José Segadas Viana, atual Floresta Nacional de Passo Fundo (FLONA), que, de acordo com a imprensa, foi marcado por conflitos envolvendo os proprietários das terras, os intermediários da negociação, o Instituto Nacional do Pinho (INP) e a imprensa local. A principal fonte utilizada é o jornal O Nacional, que veiculou muitos textos e notícias sobre o tema no período de setembro a outubro de 1946. Emprega a abordagem da História Ambiental e afirma que a criação do Parque, com formato irregular e descontínuo, prejudica a função atual da FLONA como unidade de conservação.


Palavras-chave


Floresta Nacional; História Ambiental; Imprensa; Instituto Nacional do Pinho; Unidade de Conservação

Texto completo:

PDF/A

Referências


BALBUENO, Rodrigo Agra. A fragmentação de ambientes florestais: dois casos na região do Baixo rio Jacuí, RS. Dissertação (Mestrado em Ecologia), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1997.

BENVENGNÚ, Sandra Mara. Décadas de poder: o PTB e a ação política de César Santos na Metrópole da Serra 1945-1967. 2006. 262 f. Dissertação (Mestrado em História), Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2006.

BRASIL. Código Florestal de 1934. Disponível em: Acesso em: 10 jul. 2015.

BRASIL. Decreto-Lei nº 3.124, de 19 de março de 1941. Cria o Instituto Nacional do Pinho e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 5 nov. 2015.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.813, de 8 de outubro de 1942. Reorganiza o Instituto Nacional do Pinho. Disponível em: Acesso em: 5 nov. 2015.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. § 1°, incisos I, II, III, e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: Acesso em: 30 out. 2014.

DEAN, Warren. A conservação das florestas no sudeste do Brasil: 1900-1955. Revista de História, São Paulo, n. 133, p. 103-116, 1995.

CARVALHO, Alessandra I.; LAVERDI, Robson. A política florestal do Instituto Nacional do Pinho: discurso oficial e divergências no 1o Congresso Florestal Brasileiro. In: Anais do 7o Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade. Brasília: UnB, 2015.

CARVALHO, Ely Bergo de. A crítica ambiental de Max von Lassberg e Reinhard Maack: homens do seu tempo. Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 13, n. 19, 2012, p. 32-52.

CARVALHO, Miguel Mundstock Xavier de. Uma grande empresa em meio à floresta: a história da devastação da floresta com araucária e a Southern Brazil Lumber and Colonization (1870-1970). 2010. 313f. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

CEDOC. Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná. Disponível em: Acesso em: 2 out. 2015.

CPDOC. Fundação Getúlio Vargas. Biografia de José Segadas Viana. Disponível em: Acesso em: 2 ago. 2015.

CRIPF. Certidão n° 23.875/2008, de Transmissão do Cartório de Registro de Imóveis de Passo Fundo. Arquivo da Floresta Nacional de Passo Fundo.

DIEGUES, Antonio Carlos. O mito moderno da natureza intocada. 4. ed. São Paulo: Annablume, 2002.

FUNES, Eurípedes. História Ambiental – possibilidades de novos olhares. In: NODARI, Eunice Sueli; CORREA, Silvio Marcus de Souza (Orgs.). Migrações e Natureza. São Leopoldo: Oikos, 2013. p. 203-218.

GERHARDT, Marcos. História Ambiental (1930-85). In: GOLIN, Tau; BOEIRA, Nelson (Orgs.). História Geral do Rio Grande do Sul - República: da revolução de 1930 à Ditadura Militar (1930-1984). v. 4. Passo Fundo: Méritos, 2007. p. 527-542.

ICMBio. Plano de Manejo da Floresta Nacional de Passo Fundo. Florianópolis: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, 2011.

ICMBio. Tabela das Florestas Nacionais. 2014. Disponível em: Acesso em: 30 out. 2014.

LEFF, Henrique. Construindo a História Ambiental da América Latina. Esboços, Florianópolis, v. 13, n. 13, p. 11-29, 2005.

LUCA, Tania Regina de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi. Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005. p. 111-153.

MACHADO, Leonardo de Souza et al. Herpetofauna do Parque Natural Municipal de Sertão, Rio Grande do Sul, Brasil. Biota Neotropica, Campinas, v. 13, n. 4, Out./Dez. 2013.

MORRETO, Samira Peruchi; NODARI, Sueli Eunice, ROSSI, Esther Mayara Zamboni. A preservação da Mata Preta no Oeste de Santa Catarina e a criação das Unidades de Conservação. Revista Tempos Acadêmicos, Santa Catarina, n. 6, 2008. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2015.

MUSSURY, Rosilda Mara et al. Avaliação do impacto da fragmentação de florestas nativas sobre a mesofauna edáfica na região de dourados-MS. Ciência Agrotécnica, Lavras, v. 31, n. 3, p. 612-618, maio/jun., 2007.

O NACIONAL [jornal], Passo Fundo, 1946. Arquivo Histórico Regional, Universidade de Passo Fundo.

PMMC. Prefeitura Municipal de Mato Castelhano. Barragem Capingüí. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2015.

WENTZ, Liliane Irma Mattje. Os caminhos da madeira: região norte do Rio Grande do Sul, 1902-1950. Passo Fundo: UPF, 2004.

WORSTER, Donald. Para fazer história ambiental. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, CPDOC/Fundação Getúlio Vargas, n. 8, 1991.




DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2016v13n3p182

Direitos autorais 2016 Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsEste trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

 

  Início