As verdades em Foucault e Benjamin: uma contribuição ao campo da memória social

Ricardo Salztrager, Felipe Teixeira Lourenço

Resumo


A proposta deste artigo é analisar como o conceito de verdade é conceituado nos pensamentos de Foucault e Benjamin, destacando a crítica que ambos fazem aos referenciais platônicos. Destacaremos que, em suas teorias, o conceito de verdade deixa de atrelar-se à ideia de essência, passando a adquirir um caráter histórico e contingencial. Ademais, veremos que a verdade é concebida como uma produção e jamais como algo que se encontra escondido desde o princípio e que deve ser devidamente descoberto. Em Foucault, nos centramos nas mais diversas articulações que o conceito de verdade possui com os domínios do poder e do saber. Já de Benjamin, ressaltamos o quanto que o autor valoriza as múltiplas ressignificações que um acontecimento pode sofrer ao longo dos tempos. Portanto, examinamos o quanto Benjamin se distancia da ideia de verdade absoluta, optando por valorizar as mais diversas constelações de verdades e conhecimentos construídos a serem sempre reinterpretados e jamais cristalizados. Por fim, analisamos como nosso estudo pode contribuir para o campo de pesquisas em memória social, na medida em que este pode ser caracterizado como um domínio transdisciplinar que encara o seu objeto de estudo como algo processual.


Palavras-chave


Verdade; Foucault; Benjamin; Filosofia; Memória Social

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARAÚJO, C. Verdade e espetáculo: Platão e a questão do ser. 1. ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2014.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

BENJAMIN, W. O Narrador. In: BENJAMIN, W. Obras escolhidas I: magia e técnica, arte e política. 3ª Ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 197-221. (original publicado em 1936).

BENJAMIN, W. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, W. Obras escolhidas I: magia e técnica, arte e política. 3ª Ed. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 222-232. (original publicado em 1940).

CHÂTELET, F. Uma história da razão: entrevistas como Émile Noel. 1. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1994.

FOUCAULT, M. Nietzsche, a genealogia e a história. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 1. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979a. p. 15-37.

FOUCAULT, M. Verdade e poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 1. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979b. p. 1-14.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. 35. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

FRONTEROTTA, F. Verdade e espetáculo: Platão e a questão do ser. 1. ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2014.

GAGNEBIN, J. M. História e narração em Walter Benjamin. 1. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1994.

GARCIA-ROZA, L. A. Palavra e a verdade na filosofia antiga e na psicanálise. 5. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

GONDAR, J. Cinco proposições sobre memória social. Morpheus: revista de estudos interdisciplinares em memória social, Rio de Janeiro, v. 9, n. 15, p. 19-40, 2016.

HALBWACHS, M. A Memória coletiva. 1. ed. São Paulo: Centauro, 2003.

PLATÃO. A República. 1. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

ROUANET, S. Édipo e o anjo: itinerários freudianos em Walter Benjamin. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Tempos Brasileiros, 1990.

SARLO, B. Sete ensaios sobre Walter Benjamin e um lampejo. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2017v14n1p41

Direitos autorais 2017 Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.