O bailarino e seu contexto profissional: um estudo acerca da identidade profissional

Autores

  • Ana Ligia Trindade Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS
  • Patricia Kayser Vargas Mangan Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2018v15n3p1

Palavras-chave:

Identidade, Profissional Bailarino, Dança

Resumo

A proposta deste estudo na área da Memória Social tem como objetivo discutir acerca de conceitos de identidade, profissão e arte como trabalho, tendo como ênfase o profissional bailarino. O termo identidade não pode ser compreendido senão por vias interdisciplinares, no entrecruzamento de áreas como a Sociologia, a Psicologia, a Antropologia e a História. Nesse contexto, se compreende identidade profissional como um processo contínuo que se vincula à identidade pessoal, igualmente ligada aos vínculos e sentimentos de pertencimento a uma determinada categoria ou grupo social. As considerações levantadas, acerca de identidade, profissão, ofício, ocupação e trabalho, tem a finalidade de contextualização para o estudo que está tentando delinear uma imagem e identidade do profissional bailarino, bem como instigar novas pesquisas nesta temática.

Biografia do Autor

Ana Ligia Trindade, Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS

Doutoranda em Memória Social e Bens Culturais pelo Centro Universitário da Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS. Bailarina, coreógrafa e professora de Ballet.

Patricia Kayser Vargas Mangan, Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS

Doutora em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora da Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS vinculada ao Mestrado Profissional em Memória Social e Bens Culturais na mesma universidade.

Referências

AGOSTINI, Bárbara Raquel. Como as bailarinas clássicas percebem seus corpos sob a influência da cultura corporal da dança: um estudo que aborda corpo e subjetividade. In: CONGRESSO NORDESTE DE CIÊNCIAS DO ESPORTE, 3., 2010, Ceará. Anais... Ceará: Universidade Federal do Ceará, 2010. Disponível em: <http://congressos.cbce.org.br/index.php/conece/3conece/paper/viewFile/2236/976> Acesso em: 20 jul. 2016.

ANGELIN, Paulo Eduardo. Profissionalismo e profissão: teorias sociológicas e o processo de profissionalização no Brasil. REDD – Revista Espaço de Diálogo e Desconexão, Araraquara, v. 3, n. 1, jul/dez. 2010.

ARRUDA, Carmen Lúcia Rodrigues. Produção artística na universidade: relações de trabalho do professor-artista na UNICAMP. Comunicações, Piracicaba, v. 17, n. 2, p. 51-64, jul./dez. 2010.

BAUMANN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BENHAMOU, Françoise. A economia da cultura. São Paulo: Ateliê Editorial, 2007.

CANDAU, Joel. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2014.

CERQUEIRA, Amanda P. Coutinho de. O artista como trabalhador. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E ENGELS, 8., 2015, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP, 2015. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/formulario_cemarx/selecao/2015/> Acesso em: 28 jun. 2017.

DUBAR, Claude. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Tradução. Anette Pierrette R. Botelho e Estela Pinto R. Lamas. Portugal: Porto, 1997.

FARIA, Ederson de; SOUZA, Vera Lúcia Trevisan de. Sobre o conceito de identidade: apropriações em estudos sobre formação de professores. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 35-42, jan./jul. 2011.

FREDERICKSON, Jon; ROONEY, James F. How the Music Occupation Failed to Become a Profession. International Review of the Aesthetics and Sociology of Music, v. 21, n. 2, dez. 1990.

FREIDSON, Eliot. Renascimento do profissionalismo. São Paulo: EDUSP, 1998.

FREIDSON, Eliot; CHAMBOREDON, Jean-Claude; MENGER, Pierre-Michel. Les professions artistiques comme défi à l’analyse sociologique. Revue française de sociologie, v. 27, n. 27-3, p. 431-443, 1986.

HALBWACHS, Maurice. Les cadres sociaux de la mémoire. Paris: Albin Michel, 1994.

______. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: ______. (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001. p. 18-66.

KRONEMBERGER, Gabriela Almeida. Profissão e performance: um estudo de caso sobre músicos de orquestra. Revista Música Hodie, Goiânia, v.16, n. 2, p. 10-24, 2016.

LIMA, Maria do Socorro Carneiro de. Imagem e identidade: estudo sobre o professor universitário. 462f., 2012. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Lisboa, Lisboa, 2012.

MENGER, Pierre-Michel. Retrato do artista enquanto trabalhador: metamorfoses do capitalismo. Lisboa: Roma, 2005.

NACHT, Antonia Kjellerup. A profissão de bailarino na cidade do Rio de Janeiro: mercado de trabalho, relações profissionais, decisões de carreira e identidade profissional. 148f. 2009. Dissertação (Mestrado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009. Rio de Janeiro: PUC-RJ, 2009.

NEVES, Juliana Cunha Lima. Bailarinas e bailarinos: uma etnografia da dança como profissão. Cadernos Pagu, n.41, p. 201-238, jul./dez. 2013.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-212, 1992. Transcrição e tradução de Monique Augras.

RANNOU, J.; ROHARIK, I. Les danseurs: un métier d'engagement. Paris: La Documentation Française, 2006.

RIOS, Fábio Daniel. Memória coletiva e lembranças individuais. INTRATEXTOS, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 1-22, 2013.

SEGNINI, Marina Petrilli. Prazer e sofrimento no trabalho artístico. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PSICOPATOLOGIA FUNDAMENTAL, 2., 2006, Pará. Anais: trabalhos completos. Pará: Universidade Federal do Pará, 2006. Disponível em: <http://www.psicopatologiafundamental.org/uploads/files/ii_congresso_internacional/temas_livres/ii_con._prazer_e_sofrimento_no_trabalho_artistico_tl.pdf> Acesso em: 28 jun. 2017.

SEGNINI, Marina Petrilli; LANCMAN, Selma. Sofrimento psíquico do bailarino: um olhar da psicodinâmica do trabalho. Laboreal, v. 7, n. 1, p. 42-55, 2011.

SIMÕES, Julia da Rosa. Na pauta da lei: trabalho, organização sindical e luta por direitos entre músicos porto-alegrenses (1934-1963). 224f. 2016. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016. Porto Alegre: UFRGS, 2016.

SOUZA, Mariana Jantsch. A memória como matéria prima para uma identidade:apontamentos teóricos acerca das noções de memória e identidade. Revista Graphos, v. 16, n. 1, p. 91-117, 2014.

VASCONCELOS, Liana. Memória da dança: importância, registro, preservação e legado. 60f. 2014. Monografia (Graduação em Produção Cultural) – Universidade Federal Fluminense, 2014. Niterói: Universidade Federal Fluminense, 2014.

WAINWRIGHT, S. P.; TURNER, B. S. Just crumbling to bits? An exploration of the body , ageing, injury and career in classical ballet dancers. Sociology, Londres, v. 40, n. 2, p. 237-255, 2006.

WEBER, M. Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 2000.

Downloads

Publicado

2018-09-13

Edição

Seção

Artigos - Condição Humana na Modernidade