Clandestinidad y lucha armada: una mirada desde el género. el caso de “Mery” en la clandestinidad del partido comunista de Chile

Javiera Libertad Robles Recabarren

Resumo


Este artigo centraliza suas preocupações na participação das mulheres na luta contra a ditadura militar no Chile (1973 - 1988), com o objetivo de ir desvelando as relações de gênero estabelecidas dentro da militância clandestina. Para perceber isso, recorremos a memória de uma mulher militante da Frente Patriótica Manuel Rodríguez, que através do testemunho de sua experiência expõe aspectos da vida militante a partir de sua posição de mulher, mãe e clandestina, que permitem revelar o lugar ocupado pelas mulheres no braço armado do Partido Comunista do Chile.


Palavras-chave


Gênero; Militância; Identidade

Texto completo:

PDF/A (Español (España))


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2013v10n1p131

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.