Detenção: As relações de poder entre encarcerados e carcereiros a partir dos estudos de Goffman e Foucault

Johanna Gondar Hildenbrand, Lobelia da Silva Faceira, Sebastião Meirelles Sant'anna

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n2p55

O artigo tem a proposta de discutir as relações de poder entre encarcerados e carcereiros nas instituições penais a partir do filme Detenção (The Experiment, 2010, EUA), de Paul Scheuring. Partimos dos conceitos “instituição total” e “forma-prisão” estabelecidos por Erving Goffman e Michel Foucault, respectivamente, a fim de refletirmos sobre a forma pela qual o poder é estabelecido e exercido entre e dentro desses dois grupos (encarcerados e carcereiros). A partir do filme buscamos observar as consequências do poder cedido pela instituição aos carcereiros, tidos aqui como uma equipe dirigente, e de que forma esse mesmo poder age no grupo dos prisioneiros levando-o progressivamente à modificação da subjetividade enquanto anulação do eu civil. 


Palavras-chave


Instituição; Poder; Prisão; Cinema

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n2p55

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.