Quando as palavras faltam - uma análise cognitiva do silêncio em psicanálise

Autores

  • Daniel Widlöcher Université Pierre et Marie Curie

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Neuropsicologia, Psicopatologia, Comunicação, Linguagem, Psicanálise, Neuro-psychologie, Psycho-pathologique, Communication, Langage, Psychanalyse, Neuropsychology, Psychopathology, Language, Psychoanalysis

Resumo

A neuropsicologia das afasias continua a nos fazer descobrir novas dissociações funcionais suscetíveis de alterar as funções da linguagem (Shallice, 1988). Assim, ela não deixa de contribuir para o nosso conhecimento dos mecanismos que regulam essas funções. Nesse sentido, a neuropsicologia se inscreve por completo na linha-mestra do empreendimento psicopatológico. Ora, nisso - e este é precisamente um fato que pode surpreender - o modo de comunicação própria da situação psicanalítica lhe pode ser comparado. Pelo menos é o que tentarei mostrar a partir de uma forma de ausência da palavra, bem diferente em aparência da afasia, mas que, de um certo ponto de vista, pode ser tomada como expressão de uma dissociação funcional da linguagem. Esse ponto de vista aplicará à observação da comunicação psicanalítica os enquadres teóricos advindos de análises cognitivas da pragmática da comunicação (Fodor, 1987; Sperber et Wilson,1989).

Biografia do Autor

Daniel Widlöcher, Université Pierre et Marie Curie

Psicanalista, Professor da Université Pierre et Marie Curie, Chefe do Setor de Psiquiatria do Groupe Hospitalier Pitié-Salpetrière - Paris, França

Downloads

Publicado

2004-01-01

Edição

Seção

Artigos