A experiência do movimento dos trabalhadores sem-terra e o governo Lula

Autores

  • Leandro Vergara-Camus Department of Political Science, York University Toronto, Canada

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Concentração de terra, Luta pela terra, Estrutura organizacional, PT, Governo Lula, Land concentration, Struggle for land, Organizational structure, Lula government, Concentración de tierra, Lucha por la tierra, Estructura organizatival

Resumo

Baseado no trabalho de campo realizado no Sul do Brasil, este artigo analisa as realizações, dificuldades e contradições do projeto alternativo do Movimento Sem-Terra (MST). Identifica a estrutura organizacional do MST como a grande responsável pelo sucesso do movimento. Destaca a mobilização e as pressões sobre o Estado têm sido também meios úteis para a distribuição de terra e do desenvolvimento dos assentamentos. Observa a estratégia que o MST tinha adotado em relação à participação na política institucional e sua aliança com o Partido dos Trabalhadores (PT) no Sul do Brasil, e questiona que esta estratégia e aliança mudarão, provavelmente, por causa da composição do gabinete e da orientação política do Presidente Lula.

Biografia do Autor

Leandro Vergara-Camus, Department of Political Science, York University Toronto, Canada

PhD candidate. Department of Political Science, York University Toronto, Canada. The author thanks Judith Adler Hellman, Lúcio Flávio Rodrigues de Almeida and Paula Hevia Pacheco for their comments and suggestions. He also thanks the MST for its openess to research, and the sem-terra for their enormous hospitality and for sharing their stories of struggle.

Downloads

Publicado

2005-01-01

Edição

Seção

Artigos