Por que o debate ‘genética e cultura’ não desaparecerá

Autores

  • Steven Pinker Harvard University

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Nature-Nurture, Environment, Parenting, Holistic Interactionism, Genética-Cultura, Meio Ambiente, Educação dos Pais, Interacionismo Holístico, Medio Ambiente, Educación Familiar

Resumo

O debate genética-cultura tem sido uma preocupação para a Psicologia e para as Ciências Sociais há séculos. Muitos escritores têm expressado uma esperança que se chegue a um meio termo que faça o debate desaparecer. Neste meio termo, todo comportamento vem de uma interação intrincada entre a hereditariedade e o meio ambiente, e seria um erro tentar separá-los. Eu contesto este ponto de vista, o qual denominei interacionismo holístico, por várias razões, entre as quais o fato de que é simplesmente falso que todos os aspectos da função cerebral envolvem uma mistura de hereditariedade e meio ambiente, e esse interacionismo holístico obscurece nossa compreensão de como a mente trabalha. Como ilustração, eu discuto o caso dos efeitos da educação dada pelos pais, no qual o interacionismo holístico tem conduzido a conclusões falsas e enganosas.

Biografia do Autor

Steven Pinker, Harvard University

ohnstone Family Professor in the department of psychology at Harvard University, conducts research on language and cognition. A Fellow of the American Academy since 1998, author of six books, including “How the Mind Works” (1997), “The Language Instinct” (2000), and “The Blank Slate” (2002).

Downloads

Publicado

2006-04-25

Edição

Seção

Artigos