Aspectos da institucionalização das políticas de sustentabilidade no Brasil

Agripa Faria Alexandre, Paulo José Krischke

Resumo


Neste artigo descrevemos diferentes interpretações dos valores da sustentabilidade no processo democrático recente que vive o Brasil, durante o período de 1980 a 2006. O foco da argumentação é o arcabouço legal/institucional progressivamente criado para a promoção da sustentabilidade, no contexto do entendimento social em transformação, acerca da democracia e do desenvolvimento sustentável. Este foco sublinha os limites e controvérsias que orientam tanto as conceituações da democracia quanto as da sustentabilidade -- como parte de um processo continuado de construção institucional e democratização cultural. Ao mesmo tempo, assinalamos importantes mudanças práticas da sociedade civil e do governo, em termos de conceituação, tomadas de decisão, organização/mobilização social, e intentos de implementação efetiva, das políticas públicas destinadas ao meio ambiente.

Palavras-chave


Sustentabilidade; Meio ambiente; Ongs; Políticas ambientais e financiamento de projetos; Sustainability; Environmental; Ngos; Environmental state policies and financial support projects; Sustentabilidad; Medio ambiente

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.