Trajetórias dos animadores de eventos infantis em Belém-PA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2022.e83984

Palavras-chave:

Adolescentes, Aptidão física, Desempenho acadêmico

Resumo

Esse estudo teve como objetivo analisar os processos formativos vividos pelos/as animadores/as dos eventos com ênfase em suas trajetórias e construção de saberes que foram mobilizados para sua formação profissional. Foram entrevistados/as quinze profissionais que atuam no âmbito do lazer, sendo sete mulheres e oito homens. Identificamos que os animadores mobilizam saberes para a prática profissional relacionados tanto ao domínio de conteúdos e atividades quanto à postura pessoal e profissional necessária para prática de animação. Os contextos em que esses saberes foram construídos são variados e contemplam as vivências lúdicas na infância, o contato com práticas culturais, como o esporte, a dança e o teatro, além das experiências laborais e dos momentos de lazer dos sujeitos. Entre as instituições que influenciaram esse percurso formativo, estão os estabelecimentos de ensino, a igreja e escolas de arte.

Biografia do Autor

Adrielson Acácio de Lima Barbosa, UFMG

Mestre em Lazer pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos do Lazer - PPGEL/ UFMG. Graduado em Comunicação Social Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Pará - UFPA. Atuou como bolsista na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES pelo Programa de Mestrado em Lazer da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, realizando o estágio em docência na disciplina Formação e Atuação Profissional em Lazer no curso de Educação Física da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional - UFMG. Tem experiência na área do lazer, recreação, pesquisa, educação e sua interface como a comunicação social, produção artística e cultural, organização de feiras, congressos, exposições e eventos, marketing direto e atividades de pós­-produção cinematográfica. Atuou como recreador no projeto cultural de verão do Serviço Social do Comércio - SESC/PA. Atuou como educador social no projeto Jovens Comunicadores da Amazônia do Instituto Universidade Popular - UNIPOP. Foi bolsista na Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa no projeto - IPHAN/FADESP no levantamento preliminar para o Inventário Nacional de Referências Culturais dos Pássaros Juninos. Foi bolsista na Pró-Reitoria de Administração - PROAD/UFPA na oficina de criação. Foi bolsista de iniciação científica no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq/UFPA. Foi bolsista na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação - PROPESP/UFPA. Interesse em temas sobre Lazer, Educação, Saberes, Comunicação Popular, Comunicação Social, Cultura Popular, Educomunicação, Marketing Social e Juventude.

Cathia Alves, IFSP Salto

Pos doutorado em Estudos Culturais na USP (em andamento 2021). Doutora em Estudos do Lazer, docente do IFSP, campus Salto. Integrante do grupo de pesquisa ORICOLE/UFMG; LIMC/IFSP; investigadora associada Rede Otium.

Hélder Ferreira Isayama, UFMG

possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993), mestrado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (1997) e doutorado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Atualmente é professor Titular da Universidade Federal de Minas Gerais e realizou Estágio Pós Doutoral na Facudalde de Educação da UFRJ (2012-2013), Docente do Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer da UFMG (área Interdisciplinar - Câmara de Ciências Humanas e Sociais) e Líder do grupo de pesquisa Oricolé - Laboratório de Pesquisas sobre Formação e Atuação Profissional em Lazer da UFMG. Foi Presidente da Associção Brasileira de Pesquisa e Pós Graduação em Estudos do Lazer - ANPEL (2013-2014). Editor da Revista Licere. É representante da UFMG na Rede de Pesquisa OTIUM (Rede Iberoamericana de Pesquisa em Estudos do Ócio). Tem experiência na área de Educação Física com ênfase na perspectiva interdisciplinar, atuando principalmente nos seguintes temas: lazer, educação física, recreação, políticas públicas e Formação e atuação profissional.

Referências

ALVES, C. O lúdico como dispositivo pedagógico: formação e atuação profissional no campo do lazer. Revista Internacional de Formação de Professores, Itapetininga, v.4, n. 3, p. 167-189, jul./set. 2019. Disponível em: https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/RIFP/article/view/1418

ALVES, G. A “nova informalidade” do mundo do trabalho - aspectos da reforma trabalhista no Brasil. ComCiência, [on-line], 9 nov. 2018. Disponível em: tinyurl.com/y9m9n7ga. Acesso em: 20 maio 2020.

ARRUDA, L. S. G. Perfil e trajetória de recreadores: uma análise da atuação profissional no mercado de trabalho. 2018. 184 f. Dissertação (Mestrado em Estudos do Lazer) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

BALDIN, N.; MUNHOZ, E. M. B. Snowball (Bola de Neve): uma técnica metodológica para pesquisa em educação ambiental comunitária. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 10., 2011, Curitiba, Anais... Curitiba: PUC-PR, 2011. p 330-341.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

CAPI, A. H. C. Construção de saberes sobre o lazer nas trajetórias de formadores/as do programa esporte e lazer da cidade (PELC). 2016. 247 f. Tese (Doutorado em Estudos do Lazer) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

CAPI, A. H. C.; ISAYAMA, H. F. Uma análise sobre a trajetória e a formação de formadores do Programa Esporte e Lazer da Cidade (Pelc). Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 12, n. 28, p. 141-164, jan. 2019. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/8493

CAVALLARI, V. R.; ZACHARIAS, V. Trabalhando com recreação. 10 ed. São Paulo: Ícone, 2008.

GOHN, M. G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio, Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 27-38, jan./mar. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ensaio/a/s5xg9Zy7sWHxV5H54GYydfQ/?format=pdf&lang=pt

GOMES, C. L. Lazer e formação profissional: Saberes necessários para qualificar o processo formativo. In: FORTINI, J. L. M.; GOMES, C. L.; ELIZALDE, R. (Org.). Desafios e perspectivas da educação para o lazer. Belo Horizonte: Editorial SESC/Otium, 2011. p. 33-46.

ISAYAMA, H. F. A formação profissional no âmbito do lazer: desafios e perspectivas. In: ISAYAMA, H. F. (Org.). Lazer em estudo: currículo e formação profissional. Campinas: Papirus, 2010, p. 9-25.

LAVE, J. Aprendizagem como/na prática. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 21, n. 44, p. 37-47, jul./dez. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/FVKz5RJSyg8YWrV7HpfxQnQ/?lang=pt&format=pdf

MALUF, A. C. M. Reflexões sobre a formação do pedagogo e sua vivência lúdica. In: MALUF, A. C. M. (Org.). Brincar: prazer e aprendizado. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 2009. p. 11-14.

MARCELLINO, N. C. O lazer na atualidade brasileira: perspectivas na formação/atuação profissional. Licere, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 125-133, 2000. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/1405

MELO, V. A.; ALVES JUNIOR, E. D. Introdução ao lazer. 2 ed. São Paulo: Manole, 2012.

NEGRINE, A. Brinquedoteca: teoria e prática – Dilemas da formação do brinquedista. In: SANTOS, S. M. P. (Org.). Brinquedoteca, o lúdico em diferentes contextos: prazer e aprendizado. 15 ed. Petrópolis: Vozes, 2013. p. 83-95.

NERY, C. Desemprego aumenta em 12 estados no primeiro trimestre. IBGE Notícias, [on-line], 15 maio 2020. Disponível em: tinyurl.com/y8l22cd6. Acesso em: 20 maio 2020.

RAYMOND, D.; TARDIF, M. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, Campinas, v. 21, n. 73, p. 209-244, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/Ks666mx7qLpbLThJQmXL7CB/?lang=pt&format=pdf

SALÁRIO. Recreador - Salário 2020 e Mercado de Trabalho / Pesquisa de cargos e salários gratuita. Salário, [on-line], 2020. Disponível em: tinyurl.com/uj8456m. Acesso em: 1 abr. 2020.

SOLÉ, M. B. O jogo infantil: organização das ludotecas. Lisboa: Instituto de Apoio à Criança, 1992.

SANTOS, S. A Intervenção no Lazer na Política de Segurança Pública: A Construção de Saberes de Oficineiros do Programa Fica Vivo! 2013. Dissertação (Mestrado em Lazer) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

STOPPA, E. A.; ISAYAMA, H. F. Lazer, Mercado de Trabalho e Atuação Profissional. In: WERNECK, C. L. G.; STOPPA, E. A.; ISAYAMA, H. F. Lazer e Mercado. Campinas: Papirus, 2001. p. 71-100.

UNGHERI, B. O. A atuação profissional em políticas públicas de esporte e lazer: saberes e competências. 2014. 133 f. Dissertação (Mestrado em Estudos do Lazer) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

UVINHA, R. R.; SANTOS, R. F. dos. O trabalho informal e seus reflexos no âmbito do lazer. Revista de Humanidades, Fortaleza, v. 28, n. 2, p. 335-354, jul./dez. 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/325433114_trabalho_informal_e_seus_reflexos_no_ambito_do_lazer

VENÂNCIO, M. A. D. Lazer, Formação Profissional e Construção de Saberes: Um Estudo com Agentes Sociais do Programa Esporte e Lazer da Cidade de Sete Lagoas-MG. 2020. Tese (Doutorado em Estudos do Lazer) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

Downloads

Publicado

2022-04-14

Edição

Seção

Artigos Originais