A filosofia da educação no mundo das tragédias gregas: uma análise aristotélica

Amarildo Luiz Trevisan, Nedison Faria

Resumo


A perspectiva assumida no presente artigo consiste em delimitar a prática educativa a partir da contribuição do pensamento filosófico, ou seja, investigar em que medida o fenômeno estético da tragédia, encontrado na Poética de Aristóteles, pode contribuir para delinear alguns contornos, ainda que um tanto vagos, no sentido de esboçar uma possível proposta pedagógica. A discussão filosófica procurará aproximar duas perspectivas situadas em diferentes contextos: a) os questionamentos oriundos da modernidade no âmbito da educação e, b) uma tradição que remonta ao mundo das tragédias gregas.


Palavras-chave


Tragédia; prática de ensino; tradição (filosofia); tradição; modernidade; perspectiva filosófica; proposta pedagógica; tragedy; pedagogic practice; tradition; modernity; philosophical perspective; pedagogic proposal

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x



Direitos autorais 1998 Amarildo Luiz Trevisan, Nedison Faria

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.