Adolescentes e suas más companhias: lunáticos, criminosos, e pervertidos sexuais [sobre a obra Adolescence de Stanley Hall]

Mirian Jorge Warde, Claudia Panizzolo

Resumo


Nas duas últimas décadas do século XIX verifica-se nos Estados Unidos atenções se concentrando sobre a criança, tanto nos estudos sobre a infância – que desembocaram na institucionalização de um novo campo de investigação, o “child study” – quanto nas práticas de socialização – que incluíram o chamado “kindergarten movement”. Na virada do século XX, começam a ser publicados trabalhos sobre o adolescente e a adolescência, seminais quer em relação ao tema quer em relação às disciplinas que emergiam ou caminhavam para a consolidação no campo acadêmico, tais como: Sociologia e Antropologia, no primeiro caso, e Psicologia, no segundo. Esse fenômeno é especialmente visível nos Estados Unidos, onde são flagrantes as associações entre adolescência e criminalidade, assim como o são as referências à obra de G. Stanley Hall, Adolescence: its psychology and its relations to physiology, anthropology, sociology, sex, crime, religion and education, publicada pela primeira vez em 1904, considerada matriz das futuras pesquisas no âmbito dos estudos sociais e psicológicos. Ainda que tenham contribuído para borrar o mito da criança imaculada, os experimentos com crianças de Hall não chegaram a perfilá-las com os endiabrados; no entanto, o adolescente de Hall veio a lume acompanhado dos “primitivos” e “selvagens”, assim como dos criminosos, loucos, e sexualmente desajustados, ou seja, a adolescência como conceito psicossocial nasceu referida aos grupos mais baixos na escala evolutiva. Hall explica toda a adolescência com base na teoria da recapitulação, tanto o seu desenvolvimento fisiológico como o seu crescimento intelectual e social. 


Palavras-chave


Adolescência; Adolescente; G. Stanley Hall

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2015v33n2p739



Direitos autorais 2016 Mirian Jorge Warde, Claudia Panizzolo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.