Os paradoxos da “gestão escolar" e o movimento de despolitização na escola brasileira: uma leitura aos periódicos nacionais da área de educação nos anos de 1990 a 2000

Adreana Dulcina Platt, Bruna Silva Duarte, Sílvio Ancízar Sanches Gamboa, Frederico Augusto Garcia Fernandes

Resumo


Este estudo versa pela revisão bibliográfica dos artigos que tenham socializado produções acadêmicas da área da Educação, cujo núcleo conceitual tenha sido “gestão educacional”/“gestão escolar”/“gestão democrática na escola” e, enquanto método tenha por proposta de análise a abordagem materialista histórico-crítica e dialética. Partimos das categorias marxianas para refletir o paradoxo existente em qualquer modelo que sustente o discurso da administração científica para a construção de uma rotina político-pedagógica pautada na lógica revolucionária. Destacamos os indicadores filosóficos “Totalidade” e “Mais-Valor” para confrontar os estudos. Para verificar o fenômeno na produção científica em Educação, nos apoiamos na pesquisa do tipo “Estudo da Arte”, enquanto um interessante dispositivo metodológico de atualização acadêmica (revisão bibliográfica), porquanto anuncia as tendências que sustentam a evolução do pensamento científico de determinada comunidade científica acerca de um determinado objeto e/ou fenômeno social. Os artigos para a análise constam de periódicos acadêmicos nacionais disponíveis na base de dados Scielo, no período entre 1990 a 2000. Para a seleção, pautamos a descrição dos títulos “Gestão Escolar” / “Gestão Educacional” e/ou “Gestão Democrática na escola”, resultando em 22 artigos coletados e 5 artigos analisados, uma vez que cumpriam todas as variáveis assinaladas. Ao fim, consideramos a existência do paradoxo constituído pelos autores que fundamentam seus estudos no método materialista histórico-crítico e dialético, atento à natureza das categorias específicas da economia e da formação social para desvelar a realidade, porém, incorporando as categorias da Administração Científica, principalmente na argumentação “gerencialista” naturalizando-as na racionalização de uma rotina escolar de pretensão contra hegemônica.


Palavras-chave


Gestão educacional; Materialismo Histórico Dialético; Produção acadêmica nacional

Texto completo:

PDFA

Referências


BRUNO, Lúcia. Educação e desenvolvimento econômico no Brasil. Revista Brasileira de Educação. v. 16 n. 48 set.-dez. 2011. Disponível em: Acesso em junho 2017.

CARCANHOLO, Marcelo D. A importância da categoria valor de uso na teoria de Marx. Pesquisa & Debate. SP, volume 9, número 2(14), p. 17-43, 1998. Disponível em: . Acesso em Junho de 2017.

CHIBENI, Silvio Seno. Algumas observações sobre o “método científico”. (Notas de aula, 12/2006. © S. S. Chibeni). Disponível em: Acesso em Junho de 2017.

CIPOLLA, Francisco P. O Mecanismo da Mais Valia Relativa. Estudos Econômicos. São Paulo, vol. 44, n.2, p. 383-408, abr.-jun. 2014. Disponível em: Acesso em Junho de 2017.

CLEAVER, Harry. Leitura política do capital. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

FERREIRA, Norma S. de A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação e Sociedade. Ano XXIII, n. 79, agosto/2002. Disponível em http://www.scielo.org/cgibin/wxis.exe/applications/scieloorg/iah/?IsisScri pt=iah/iah.xis&base=article%5Edart.org&nextAction=lnk〈=p&indexS earch= &exprSearch=ESTADO%20DA%20ARTE. Acesso em novembro de 2012.

GAMBOA, Sílvio S. A. Epistemologia da pesquisa em Educação. Campinas, SP: Práxis, 1998. Disponível em: . Acesso em Junho 2017.

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LESSA, Sérgio; TONET, Ivo. Proletariado e sujeito revolucionário. São Paulo: Instituto Lukács, 2012. Disponível em: Acesso em Junho de 2017.

LUKÁCS, Georg. História e Consciência de Classe. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARX. Karl. Grundisse: manuscritos econômicos de 1857-1858. São Paulo: Boitempo: Rio de Janeiro: EDUFRJ, 2011.

MARX. Karl. Os economistas. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1996. Disponível em: Acesso em Junho 2017.

MARX. Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro primeiro: O processo de produção do capital. Quinta seção: a produção da mais-valia absoluta e relativa. Décimo quarto capítulo. Mais-valia absoluta e relativa. S/d. Disponível em: . Acesso em Junho 2017.

MOTTA, Fernando Cláudio Prestes. Organização nascente, pré-capitalismo e manufatura. Rev. adm. empres. vol.26 no.4 São Paulo Oct./Dec. 1986. Disponível em: Acesso em Junho 2017.

PANIAGO, Maria C. S. Mészáros e a incontrolabilidade do capital. São Paulo: Instituto Lukács, 2012. Disponível em: . Acesso em Junho 2017.

RAMOS, Priscila. Racionalidade e gerencialismo na política educacional paulista de 1995 a 2014: muito além das conjunturas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.24, n. 92, p. 546-578, jul./set. 2016. Disponível em . Acesso em Agosto de 2018.

SARTURI, Claudia Adriele. Os modelos de Administração Pública: patrimonialista, burocrática e gerencial. Conteúdo Jurídico, Brasília/DF, 21 maio 2013. Disponível em: . Acesso em Setembro de 2018.

SILVA JR, Celestino A. da. Dialética e pesquisa educacional no Brasil. S/d. Disponível em: . Acesso em Junho de 2017.

TRAGTENBERG, Maurício. Burocracia e Ideologia. São Paulo: Ática, 1980.

TUMOLO, Paulo Sergio. Trabalho, vida social e capital na virada do milênio: apontamentos de interpretação. Educação e Sociedade, Abr 2003, vol.24, no. 82, p.159-178. Disponível em: . Acesso em junho de 2017.

TUMOLO, Paulo Sergio; FONTANA, Klalter Bez. Trabalho docente e capitalismo: um estudo crítico da produção acadêmica da década de 1990. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 29, n. 102, p. 159-180, jan./abr. 2008.

VÁZQUEZ, Adolfo Sanches. Filosofia da Práxis. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2019.e53516



Direitos autorais 2019 Adreana Dulcina Platt, Bruna Silva Duarte, Sílvio Ancízar Sanches Gamboa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.