Ensaio, alteridade e experiência: a produção literária no espaço escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2019.e55581

Palavras-chave:

Literatura, Experiência, Escrita

Resumo

Este artigo trata da produção de textos literários no espaço escolar. A discussão é feita a partir da relação dos temas do ensaio, da experiência e da alteridade com o processo de criação narrativa entre jovens estudantes. Problematizamos, com Foucault, Deleuze, Skliar e Agamben, entre outros, os modos pelos quais diferentes experimentações com a literatura podem ser potentes na sensibilização de docentes e alunos no trabalho cotidiano com a palavra. Movimentamos o texto a partir da leitura do conto “O espetáculo”, produzido por uma estudante dos anos finais do Ensino Fundamental, em um encontro de escrita literária na escola. A perspectiva teórico-filosófica da narrativa criada pela aluna é acionada para pensar maneiras pelas quais seja possível romper com algumas práticas correntes de pedagogias do texto, produtivistas e próprias de uma razão instrumental, em direção a outros modos possíveis de operar e inventar com a palavra literária em espaços escolares. 

Biografia do Autor

Raquel Leão Luz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com estágio na Universidade de Barcelona, apoiado pela CAPES. Professora de Língua Portuguesa e LIteratura Brasileira.

Rosa Maria Bueno Fischer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS. Pesquisadora do CNPq.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Ideia da prosa. Trad. João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Trad. Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém. Um relato sobre a banalidade do mal. Trad. José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

BORGES, Jorge L. Kafka y sus precursores. In: FRÍAS, Carlo S. V. (Org.). Obras completas 1923-1972. Buenos Aires: Emecé editores, 1974, p. 710-712.

CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos? Trad. Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CHAUÍ, Marilena. Obra de arte e filosofia. In: Experiência do pensamento. Ensaios sobre a obra de Merleau-Ponty. São Paulo: Martins Fontes, 2002, p. 151-195.

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. L'Abécédaire de Gilles Deleuze, entrevista feita por Claire Parnet, filmada e dirigida por Pierre-André Boutang. Paris: Vidéo 202 Éditions Montparnasse, 1996. (Transcrição sintetizada, em inglês, por Charles J. Stivale, e traduzida para o português por Tomaz Tadeu).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Editora 34, 2010.

DIDI-HUBERMAN. De semelhança a semelhança. Alea, vol.13, n.1, Rio de Janeiro, Jan./June, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/alea/v13n1/a03v13n1.pdf

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: Ética, sexualidade, política. Ditos & Escritos V. Trad. Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010a, p. 144-162.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. Trad. Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

FOUCAULT, Michel. A linguagem ao infinito. In: Estética: literatura e pintura, música e cinema. Ditos & escritos III. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009a, p. 47-59.

FOUCAULT, Michel. O pensamento do exterior. In: Estética: literatura e pintura, música e cinema. Ditos & escritos III. Trad. Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009b, p. 219-242.

FOUCAULT, Michel. Polêmica, política e problematizações. In: Ética, sexualidade, política. Ditos & escritos V. Rio de Janeiro: Forense, 2010b, p. 225-233.

LEARY, Timothy O’. Foucault, experiência, literatura. Antíteses, v.5, n. 10, p. 875-896, jul./dez.2012 Disponível em: http://www0.hku.hk/philodep/dept/to/TO_FoucStuArt2008.pdf

LISPECTOR, Clarice. Água Viva. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Estética e política. Trad. Mônica Costa Netto. Rio de Janeiro: Editora 34, 2009.

SKLIAR, Carlos. Desobedecer a linguagem: Educar. Trad. Giane Lessa. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

Downloads

Publicado

2019-06-28