Deslocamentos políticos e de gênero no esporte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2021v29n280215

Resumo

Apresentação

Referências

ANJOS, Luiza dos. “Tribuna 77 e a defesa de LGBTQI+ nos estádios”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79318, 2021.

BARBOSA, Fábio Luís. “A crise do futebol no Brasil e o dilema da formação nacional”. Revista O Olho da História, n. 22, p. 1-17, abril 2016. Disponível em http://oolhodahistoria.ufba.br/wp-content/uploads/2016/04/fabioluis.pdf. Acesso em 26/02/2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Desportos. Deliberação nº 10/79 do Conselho Nacional de Desportos. Baixa instruções às entidades Desportivas do país para a prática de desportos pelas mulheres. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 31/12/1979, Seção 1, p. 92, Disponível em https://www.jusbrasil.com.br/diarios/3438879/pg-92-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de31-12-1979. Acesso em 11/02/2021.

BRASIL. Presidência da República. Decreto-lei nº 3.199, de 14 de abril de 1941. Estabelece as bases de organização dos desportos em todo o país. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16/04/1941, Seção 1, p. 000; retificado em 18/04/1941, Seção 1, p. 7.452. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-3199-14-abril-1941-413238-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em 08/04/2021.

BRITO, Leandro Teófilo de. “Da masculinidade hegemônica à masculinidade queer/cuir/kuir: disputas no esporte”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79307, 2021.

BUTLER, Judith. “Alianças queer e política anti-guerra”. Bagoas: Estudos Gays: Gêneros e Sexualidades, v. 11, n. 16, p. 29-49, 2017. Disponível em https://periodicos.ufrn.br/bagoas/article/view/12530. Acesso em 13/01/2021.

BUTLER, Judith. “Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do ‘sexo’”. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 151-172.

CAMARGO, Wagner Xavier. “Dilemas insurgentes no esporte: as práticas esportivas dissonantes”. Movimento, Porto Alegre, v. 22, n. 4, p. 1.337-1.350, out./dez. 2016. Disponível em https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/66188. Acesso em 01/12/2020.

CAMARGO, Wagner Xavier de. “Gêneros em disputa: a LiGay Nacional de Futebol Society e o espaço de acontecimento”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79423, 2021.

CAMARGO, Wagner Xavier. “Uma história diferente: os Gay (Olympic) Games e sua origem”. Revista Homium, v. 1, p. 36-54, 2014. Disponível em https://www.revistahominum.com/wp-content/uploads/2020/08/Ed15JUL2014.pdf. Acesso em 13/02/2021.

DEVIDE, Fabiano P. Gênero e mulheres no esporte: história das mulheres nos Jogos Olímpicos Modernos. Ijuí: Ed. da Unijuí, 2005.

DUNNING, Eric. “O desporto como uma área masculina reservada: notas sobre os fundamentos sociais da identidade masculina e as suas transformações”. In: ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. A busca da excitação. Tradução de Maria Manuela Almeida e Silva . Lisboa, Portugal: Difel, 1992. p. 389-412.

FAUSTO-STERLING, Anne. “Dualismos em duelo”. Cadernos Pagu, Campinas, n. 17-18, p. 9-79, 2002. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-83332002000100002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 18/11/2020.

FOUCAULT, Michel. Herculine Barbin: o diário de um hermafrodita. Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves, 1982.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: a vontade de saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985. v. 1.

GOELLNER, Silvana Vilodre. “Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços e potencialidades”. Tempo, v. 17, p. 45-52, 2013. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/tem/v19n34/05.pdf. Acesso em 20/02/2021.

GONÇALVES, Michelle Carreirão; COSTA, Amanda Torres Vieira da. “Corpo laboratório: experimentos de mulheres fisiculturistas”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79290, 2021.

GONÇALVES, Vivianne Oliveira; PEREIRA, Henrique. “‘Sou negro, homossexual e tenho doença mental’: intersecções em jornais portugueses”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79314, 2021.

HARAWAY, Donna J. “Manifesto Ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX”. In: TADEU, Tomaz (Org.). Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

HELAL, Ronaldo; GORDON JR., César. “A crise do futebol brasileiro: perspectivas para o século XXI”. Revista Eco-Pós, v. 5, n. 1, p. 37-55, 2002. Disponível em https://revistaecopos.eco.ufrj.br/eco_pos/article/view/1155/1096. Acesso em 26/02/2021.

LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero, dos gregos à Freud. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2001.

MCRUER, Robert. “Compulsory able-bodiedness and queer/disabled existence”. In: DAVIS, Lennard J. (Ed.). The disability studies reader. 5. ed. New York: Routledge, 2017. p. 396-405.

MELO, Victor Andrade. “Encontros nas quadras de grama: as mulheres e o tênis no Brasil do século XIX”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79300, 2021.

OKSALA, Johanna. Como ler Foucault. São Paulo: Zahar, 2011.

PIRES, Barbara Gomes. “Pânicos de gênero, tecnologias de corpo: regulações da feminilidade no esporte”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79320, 2021.

PISANI, Mariane; PINTO, Maurício Rodrigues. “Expressões e corporalidades de mulheres cis e homens trans no ambiente futebolístico”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79331, 2021.

PISCITELLI, Adriana. “Re-criando a (categoria) mulher?”. In: ALGRANTI, Leila Mezan (Org.). A prática feminista e o conceito de gênero. Campinas: IFCH/UNICAMP, 2002. v. 48, p. 7-42. Disponível em http://www.culturaegenero.com.br/download/praticafeminina.pdf. Acesso em 05/02/2021.

PRECIADO, Paul B. Manifesto contrassexual. Tradução Maria Paula Ribeiro. São Paulo: N-1 Edições, 2014.

PRECIADO, Paul B. “Regime heteronormativo e patriarcal vai colapsar com revolução em curso”. Folha de São Paulo [online], São Paulo, 16/01/2021. Disponível em https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2021/01/regime-heteronormativo-e-patriarcal-vai-colapsar-com-revolucao-em-curso-diz-paul-preciado.shtml. Acesso em 02/02/2021.

PRECIADO, Paul B. Testo yonqui. Madrid: Espasa, 2008.

RAGO, Margareth. A aventura de contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas: Ed. Unicamp, 2013.

SILVESTRIN, Julian Pegoraro; VAZ, Alexandre Fernandez. “Transmasculinidades no esporte: entre corpos e práticas dissonantes”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79366, 2021.

SOUZA, Érica Renata de. “Corpos transmasculinos, hormônios e técnicas: reflexões sobre materialidades possíveis”. Cadernos Pagu, n. 59, e205910, 2020. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/cpa/n59/1809-4449-cpa-59-e205910.pdf. Acesso em 10/01/2021.

SYMONS, Caroline. The Gay Games: a history. New York: Routledge, 2010.

TICIANELLI, Giovanna; ALTMANN, Helena. “Maria Esther Bueno: eficiência e competitividade no tênis”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79453, 2021.

THOMAZ, Diego Wander; SANTOS, Dionys Melo dos; TOLEDO, Luiz Henrique de. “Ethos militar e masculinidades nos esportes olímpicos”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79389, 2021.

TRALCI FILHO, Marcio; RUBIO, Katia. “As identidades da atleta brasileira: os ‘pontos de apego temporários’ da mulher na vida esportiva”. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 18, n. 2, abr./jun. 2012. Disponível em https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/21106. Acesso em 11/02/2021.

VIEIRA, Talita Machado; JUSTO, José Sterza; MANSANO, Sonia Regina Vargas. “Corpo e gênero na experiência inicial de jogadoras de futebol”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79309, 2021.

WADDELL, Tom; SCHAAP, Dick. Gay Olympian: the life and death of Dr. Tom Waddell. New York: Alfred A. Knopf, 1996.

ZOBOLI, Fabio; MANSKE, George Saliba; GALAK, Eduardo. “A generificação dos corpos de atletas trans e políticas de biologização do sexo”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 29, n. 2, e79304, 2021.

Downloads

Publicado

2021-10-21

Edição

Seção

Gênero, tecnologias e (novas) formas de subjetivação nas práticas esportivas