Contaminação fúngica do acervo da biblioteca de manguinhos da Fundação Oswaldo Cruz: ações desenvolvidas para sua solução

Autores

  • Maria Élide Bortoletto Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública – Rio de Janeiro - RJ

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2002v7n14p9

Palavras-chave:

Fungos, Conservação de acervos, Higienização de acervos

Resumo

Em fins de dezembro de 1996 o acervo da Biblioteca de Manguinhos, vinculada ao Centro de Informação Científica e Tecnológica (CICT) da Fundação Oswaldo Cruz, contando na época com aproximadamente 620.000 volumes, sofreu um agressivo ataque de fungos, o que provocou a sua interdição por um período cinco meses. Vários profissionais e especialistas se mobilizaram na definição de estratégicas para a solução do problema a partir de três tipos de abordagens: o aspecto da adequação das instalações do prédio, as medidas referentes à higienização e conservação do acervo e as ações relacionadas com a proteção à saúde, tanto dos usuários quanto dos funcionários da Biblioteca e dos demais Departamentos e da própria Diretoria do CICT, que também ocupam as instalações do prédio Haity Moussatché.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Élide Bortoletto, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública – Rio de Janeiro - RJ

Informações:Currículo Lattes - CNPq

Downloads

Publicado

2002-01-01

Como Citar

BORTOLETTO, Maria Élide. Contaminação fúngica do acervo da biblioteca de manguinhos da Fundação Oswaldo Cruz: ações desenvolvidas para sua solução. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 7, n. 14, p. 9–18, 2002. DOI: 10.5007/1518-2924.2002v7n14p9. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2002v7n14p9. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.