Patentes universitárias brasileiras: perfil dos inventores e produção por área do conhecimento

Adriana Stefani Cativelli, Elaine de Oliveira Lucas

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2016v21n47p67

O estudo caracteriza as invenções provenientes das patentes universitárias brasileiras quanto à autoria e área de assunto, com o propósito de identificar quais são os possíveis departamentos e áreas das instituições, que estão concentrando esforços ou possuem maior facilidade, em produzir e atingir a concessão de patentes no Brasil. Utilizou-se para o levantamento de dados acerca das universidades, a plataforma E-mec; a base de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) para as coletas de informações referentes às patentes; e a Classificação Internacional de Patentes (CIP) para determinar as áreas do conhecimento contempladas. Desta forma, foram analisadas a produção de patentes por região brasileira; as universidades com patentes concedidas; a quantidade de inventores por patente; o perfil dos principais inventores; e as patentes concedidas conforme a CIP. Os resultados indicam que as características das patentes concedidas às Universidades Públicas Brasileiras são provenientes das áreas de Química e Metalurgia, desenvolvidas por professores com formação em Química ou Engenharia Mecânica e pertencem na sua maioria à Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).


Palavras-chave


Patentes; Universidade Pública; Inovação Tecnológica

Texto completo:

PDF-A

Referências


BRASIL. Lei nº 9279, de 14 de maio de 1996. Regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial. Planalto. Brasília, DF, Disponível em: . Acesso em: 04 jul. 2014.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Manual de orientações gerais sobre inovação. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, 2011. 186 p. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2015.

CASTRO, Biancca Scarpeline de; SOUZA, Gustavo Costa de. O papel dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) nas universidades brasileiras. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, 2012. Disponível em : . Acesso em: 8 maio 2016.

DAGNINO, Renato; GOMES, Erasmo. A relação universidade-empresa: comentários sobre um caso atípico. Gestão & Produção, Campinas, v. 10, n. 3, p.283-292, 2003. Disponível em: . Acesso em: 1 abr. 2016.

GUIA DO ESTUDANTE (São Paulo). Profissões. 2015. Disponível em: . Acesso em: 1 abr. 2016.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. 2010. Disponível em: . Acesso em: 13 mar. 2016.

INPI. INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Universidades Brasileiras - Utilização do Sistema de Patentes de 2000 a 2004. 2007. 46 p. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2016.

JUNG, Carlos Fernando. Metodologia Científica e Tecnológica. Campinas: Unicamp, 2009. 58 slides, color. Disponível em: . Acesso em: 27 out. 2015.

MAYERHOFF, Zea Duque Vieira Luna. Inovações estão em aperfeiçoar o tratamento de águas e efluentes. Inovação Uniemp, Campinas, v. 3, n.1, fev. 2007. Disponível em . Acessos em: 18 abr. 2016.

OCDE. ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Rio de Janeiro: OCDE, EUROSTAT, FINEP, 2005. 136 p. Disponível em: < http://www.uesc.br/nucleos/nit/manualoslo.pdf>. Acesso em: 20 out. 2015.

OLIVEIRA, Rodrigo Maia de. Proteção e comercialização da pesquisa acadêmica no Brasil: motivações e percepções dos inventores. 2011. 167 f. Tese (Doutorado) - Curso de Política Científica e Tecnológica, Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2016.

PETROIANU, Andy. Autoria de um trabalho científico. Revista da Associação Médica Brasileira, v.48, n.1, p. 60-65, 2002. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2016.

SILVA, José Carlos Teixeira da. Tecnologia: conceitos edimensões. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 22., 2002, Curitiba. Anais... . Rio de Janeiro: Enegep, 2002. p. 1 - 8. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2015.

VERASZTO, Estéfano Vizconde et al. Tecnologia: buscando uma definição para o conceito. Prisma.com, Porto, n. 7, p. 60-85, 2008. Disponível em: . Acesso em: 1 nov. 2015.

WIPO. WORLD INTELLECTUAL PROPERTY ORGANIZATION. Módulo 7: patentes. In: ___. Curso Geral de Propriedade Intelectual à Distância. Switzerland: Wipo/Ompi/Inpi, [2014]. 61 p. 01-61.




DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2016v21n47p67



Direitos autorais 2016 Adriana Stefani Cativelli, Elaine de Oliveira Lucas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)