A análise patentométrica como subsídio à gestão da inovação tecnológica: um estudo de caso em radiofármacos para câncer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e92608

Palavras-chave:

Patentometria, Gestão da Informação, Saúde Pública

Resumo

Objetivo: Prospectar a evolução dos pedidos de patentes sobre oncológicos contendo os radioisótopos gálio-68 (68Ga), cobre-64 (64Cu) e zircônio-89 (89Zr) visando a compreensão do desenvolvimento da ciência e da tecnologia na área.

Método: Utilizou-se a plataforma ORBIT Intelligence® da empresa QUESTEL® para identificar, extrair, tratar os dados, organizar e disponibilizar as informações tecnológicas em formato de interfaces gráficas das patentes depositadas vigentes nos últimos 20 anos nos principais escritórios de patentes no mundo.

Resultado: Foram identificadas para gálio-68, cobre-64 e zircônio-89, respectivamente, 36, 18 e 10 famílias de patentes contendo os termos de busca descritos na metodologia. Em ambos os casos, a China se destaca no número de pedidos de patentes depositados, chegando a depositar 61% do total analisado. Observou-se ainda, que muitos dos documentos analisados foram depositados por universidades, reforçando o conceito da parceria empresa-universidade. Os resultados obtidos apontam que a área do presente estudo continua em crescimento e o entendimento sobre as informações presentes nos documentos de patente possibilitam refletir espaços para intensificar o desenvolvimento de inovações na área oncológica.

Conclusões: Os resultados obtidos demonstram a relevância das informações para a gestão no desenvolvimento tecnológico de um país, o qual podem servir como método eficiente para analisar, comparar e monitorar atividades de pesquisa e desenvolvimento em câncer e, ainda, subsidiar os processos de planejamento estratégico das organizações, assim como apoiar as políticas públicas e privadas de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Koch Chaves, Oswaldo Cruz Foundation

Atualmente faço pós-doutorado na Fiocruz, trabalhando com Big Data em Saúde Coletiva (2021). As investigações são realizadas através da elaboração de cenários prospectivos e tecnológicos com ferramentas de ciência da informação, Inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento. Incluída neste contexto está a análise do BIG DATA, Web 2.0, Saúde 2.0, Tendências Tecnológicas, Marketing, Patentes e Tradução de Conhecimento. Possuo mestrado e doutorado em Química Analítica e Inorgânica pela Universidade de São Paulo (USP), tendo experiência nos seguintes temas: 1) compostos organometálicos, complexos de rutênio para catálise homogênea, polímeros, metátese de olefinas; 2) complexo de rênio e tecnécio para aplicações farmacológicas e medicinais, incluindo aplicações como agentes antitumorais. Graduado em Química pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Júlia Maria Brandão da Silva, Oswaldo Cruz Foundation

Bacharelanda em  Farmácia no Centro Universitário Uniabeu (Belford Roxo - RJ) e faz iniciação científica na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com bolsa da CNPq.

Carla Cristina de Freitas da Silveira, Oswaldo Cruz Foundation

Doutora em Saúde Coletiva - Instituto de Medicina Social (IMS) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ (2016). Pós-graduada em Gestão de Organizações de Ciência e Tecnologia em Saúde - Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fiocruz (2014). Pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil - Universidade Gama Filho (2010). Bacharel em Direito - Universidade Estácio de Sá (2008). Mestre em Ciência - Química Orgânica - Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (1998). Bacharel em Química com Atribuições Tecnológicas (1992) e Licenciada em Química (1991) - Faculdade de Humanidades Pedro II. Atualmente é Analista de Gestão em Saúde em Farmanguinhos, onde atua como Coordenadora do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-FAR) do Instituto de Tecnologia em Fármacos - FARMANGUINHOS/FIOCRUZ, Professora Titular da Pós-graduação Lato Sensu em Tecnologias Industriais Farmacêuticas - TIF de Farmanguinhos/FIOCRUZ e Docente da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC), onde leciona a disciplina de Química. Atuou como: Consultora em Propriedade Intelectual no CENPES/PETROBRAS (2005-2009); Consultora Técnica na área de Propriedade Industrial de Produtos e Processos Farmacêuticos na Coordenação de Propriedade Intelectual (COOPI) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA (2001-2005); Analista de Patentes no Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI (1998-2000); Membro da equipe responsável pela estruturação de um Banco de Dados de Patentes na área de Química Fina (Projeto: ALERTA PATENTES) na Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina - ABIFINA (1993-1994). Tem experiência na área de Química e Medicamentos com ênfase em Propriedade Industrial. Perito judicial na 9ª e 17ª VFRJ.

Fabio Luiz Navarro Marques, Universidade de São Paulo

Bacharelado em Ciências - Habilitação em Química pela Faculdades Oswaldo Cruz (1991), Mestrado em Química Orgânica pelo Instituto de Química - USP (1998) e Doutorado em Ciências pela Faculdade de Medicina - USP (2007), na área de oncologia experimental. Profissionalmente atuo como químico no setor de Radiofarmácia do Centro de Medicina Nuclear da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (desde 1994); como assistente de direção da diretoria da FMUSP (desde 2012); responsável técnico por produtos químicos controlados da FMUSP (desde 2011); membro da Comissão do Programa de Gerenciamento de Resíduos (desde 2012). Atua como orientador específico no programa de pós-graduação em oncologia da FMUSP. É co-responsável pelas disciplinas de pós-graduação FBF5831 - Fundamentos de Radiofarmácia: da Pesquisa às Aplicações (desde 2019) e MCM5945 - Práticas de Radiofarmácia e Imagem Molecular (desde 2021). Supervisor/orientador do programa de aprimoramento/especialização em radiofarmácia do Hospital das Clínicas - FMUSP (desde 1999). Tem experiência na área de síntese orgânica e radiofarmácia, atuando nos seguintes temas: síntese de moléculas para obtenção de complexos de [99mTc]tecnécio; preparação de radiofármacos de [99mTc]tecnécio, [18F]fluor, [89Zr]zircônio, [68Ga]gálio; estudos de biodistribuição em modelos celulares e animais; desenvolvimento de metodologias analíticas para controles de qualidade de radiofármacos e de seus precursores. Pertence ao grupo de pesquisa Estudo em Imagem Molecular (http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/592827). Responsável pelos Workshop Positron Emission Radiopharmaceuticals and Molecular Imaging (2014 e 2015) e Workshop Advances in Molecular Imaging and Radiopharmaceuticals (2018). Membro da Comissão Técnica de Química-Farmacêutica do Conselho Regional de Química IV Região (CRQ-IV desde 2022).

Jorge Lima de Magalhães, Oswaldo Cruz Foundation

Possui pós-doutorado pela Aix Marseille Université, France (Laboratoire IRSIC EA4262 - Institut de Recherche en Sciences de lInformation et de la Communication) em Inteligência Competitiva para saúde pública (2013). É detentor dos títulos de Doutor em Ciências pelo Programa de Pós-graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ - área de concentração Gestão e Inovação Tecnológica (2010) e Mestre em Ciências pelo mesmo programa (2007). Tem especialização em Administração e Gerência Empresarial pelas Faculdades Simonsen (1998) e é Químico Industrial com Licenciatura Plena pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Souza Marques (1996). Possui mais de 20 anos de vivência em Gestão estratégica nas Operações Industriais farmacêuticas. Dedica-se nos últimos 20 anos à P,D&I na área da Saúde Pública na FIOCRUZ onde possui 5 livros publicados, 35 capítulos de livros e diversos artigos em revistas indexadas no âmbito nacional e internacional. Atua em Gestão e Inovação Tecnológica no Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-Far) do Instituto de Tecnologia em Fármacos de Farmanguinhos/FIOCRUZ. Em grupos de Pesquisas do CNPq, é líder do grupo Gestão do Conhecimento e Prospecção em Saúde da FIOCRUZ, participa do Sistema de Informação sobre Indústria Química - SIQUIM da UFRJ e do grupo Prospecção Tecnológica em Propriedade Intelectual do INPI. É pesquisador convidado do Global Health and Tropical Medicine (GHMT) do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) da Universidade NOVA de Lisboa. Membro fundador da Plataforma Internacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (PICTIS) e coordenador do LabSec Fármacos, Medicamentos e Bioprodutos da PICTIS na Universidade de Aveiro). A ênfase de suas pesquisas permeiam a identificação, extração e análise da informação essencial dentro do "Big data" em Saúde no que tange a Gestão e Inovação Tecnológica. Os temas cobertos são inerentes a Saúde Global, nos quais envolvem o setor farmacêutico, farmoquímico e a saúde pública. As investigações são realizadas através da elaboração de cenários prospectivos e tecnológicos com ferramentas da ciência da informação, a inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento para Saúde Global e "One Health". Inclui-se neste contexto a análise do Big Data em saúde, estratégia negócios área farmacêutica, Saúde Digital, Tendências Tecnológicas, Mercadológica, Patentes e Translação do Conhecimento.

Referências

ALBERTS, D. et al. Introduction to Patent Searching. In: LUPU, M. et al. (Eds.). Current Challenges in Patent Information Retrieval. The Information Retrieval Series. Berlin, Heidelberg: Springer, 2011. p. 3–43.

ALBUQUERQUE, E. DA M. Empresas transnacionais e suas patentes no Brasil: resultados iniciais de uma investigação sobre a internalização de atividades tecnológicas. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 85-111, 2000. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rec/article/view/19628. Acesso em: 06 set. 2023.

AL-LAZIKANI, B.; BANERJI, U.; WORKMAN, P. Combinatorial drug therapy for cancer in the post-genomic era. Nature Biotechnology, [S. l.], v. 30, n. 7, p. 679–692, 10 jul. 2012. Disponível em: https://europepmc.org/article/med/22781697. Acesso em: 06 set. 2023.

AMADEI, J. R. P.; TORKOMIAN, A. L. V. As patentes nas universidades: análise dos depósitos das universidades públicas paulistas (1995-2006). Ciência da Informação, Brasília, v. 38, n.2, p. 9-18, ago. 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/MYdP3fsztxHs89XzWFkgdmj/. Acesso em: 06 set. 2023.

BINNS, R.; DRISCOLL, B. Intellectual property issues in R&D contracts. Pharmaceutical Science & Technology Today, [S.l.], v. 1, n. 3, p. 95–99, 1 jun. 1998. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1461534798000339. Acesso em: 06 set. 2023.

BLASI, C. G. D. A propriedade industrial: os sistemas de marcas, patentes e desenhos industriais analisados a partir da Lei n. 9.279, de 14 de maio de 1996. Forense: Rio de Janeiro, 2005.

BLINNIKOV, V. I.; BELOV, V. V.; MAKAROV, M. A. Some problems in the use of the international patent classification. World Patent Information, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 63–68, 1 jan. 1984. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/0172219084900711. Acesso em: 06 set. 2023.

CARPENTER, A. M.; JONES, M.; OPPENHEIM, C. Consistency of use of the International Patent Classification. Knowledge Organization, [S. l.], v. 5, n. 1, p. 30-32, 1978. Disponível em: https://www.nomos-elibrary.de/10.5771/0943-7444-1978-1-30.pdf. Acesso em: 06 set. 2023.

CHEN, Y. et al. Report on the development and application of PET/CT in mainland China. Oncotarget, [S. l.], v. 8, n. 38, p. 64417–64426, 16 mar. 2017. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5610013/. Acesso em: 06 set. 2023.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (Brasil) (CNEN). RMB e a Produção de Radiofármacos. Brasília, c2015. Disponível em: http://antigo.cnen.gov.br/radiofarmacos. Acesso em: 5 maio. 2022.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (Brasil) (CNEN). CNS recomenda ao governo investimento de R$ 89,7 milhões para que SUS continue produção de radiofármacos até o final do ano. Brasília, 2021. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/ultimas-noticias-cns/2223-cns-recomenda-ao-governo-investimento-de-r-89-7-milhoes-para-que-sus-continue-producao-de-radiofarmacos-ate-o-final-do-ano. Acesso em: 5 maio. 2022.

D’HONDT, E. et al. Dealing with temporal variation in patent categorization. Information Retrieval, [S. l.], v. 17, n. 5, p. 520–544, 1 out. 2014. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10791-014-9239-6. Acesso em: 06 set. 2023.

GERMERAAD, P.; VANHAVERBEKE, W. Seize your open innovation opportunities by leveraging ip databases. CIMS Innovation Management Report, p. 7–12, 1 mar. 2017.

GLOBAL CANCER OBSERVATORY. Cancer today. France: WHO, 2020. Disponível em: http://gco.iarc.fr/today/home. Acesso em: 14 jul. 2023.

GRABOWSKI, H. Patents, Innovation and Access to New Pharmaceuticals. Journal of International Economic Law, [S. l.], v. 5, n. 4, p. 849–860, 1 dez. 2002. Disponível em: https://academic.oup.com/jiel/article-abstract/5/4/849/948415. Acesso em: 06 set. 2023.

GUERREIRO, E. S. et al. Análise de documentos de patentes sobre copaiba: uma comparação entre fontes de dados. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 11, n. 1, p. 26–26, 1 abr. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/nit/article/view/22725. Acesso em: 06 set. 2023.

HANNEY, S. R. et al. How long does biomedical research take? Studying the time taken between biomedical and health research and its translation into products, policy, and practice. Health Research Policy and Systems, [S. l.], v. 13, p. 1, 1 jan. 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25552353/. Acesso em: 06 set. 2023.

HOLOHAN, C. et al. Cancer drug resistance: an evolving paradigm. Nature Reviews. Cancer, [S. l.], v. 13, n. 10, p. 714–726, out. 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24060863/. Acesso em: 06 set. 2023.

IHEALTHCAREANALYST, I. Global Radiopharmaceuticals Market $537 Million by 2029. Missouri, 2023. Disponível em: https://www.ihealthcareanalyst.com/global-radiopharmaceuticals-market/. Acesso em: 06 set. 2023.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (Brasil) (INCA). Estimativa. Brasília, 2023. Disponível em: https://www.inca.gov.br/estimativa. Acesso em: 06 set. 2023.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Bases de patentes online. Brasília, 2015. Disponível em: https://www.gov.br/inpi/pt-br/assuntos/informacao/bases-de-patentes-online. Acesso em: 14 jul. 2023.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Patentes. Brasília, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/inpi/pt-br/servicos/perguntas-frequentes/patentes. Acesso em: 14 jul. 2023.

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI) Classificação de patentes — Português (Brasil). Brasília, 2023. Disponível em: https://www.gov.br/inpi/pt-br/servicos/patentes/classificacao-de-patentes. Acesso em: 06 set. 2023.

KOWALSKY, R. J.; WEATHERMAN, K. D. Radiopharmaceuticals in Nuclear Pharmacy and Nuclear Medicine,. Washington: American Pharmacists Association, 2004.

MAGALHÃES, J. L. DE et al. Big Data e a saúde negligenciada em dengue, zika e chicungunha: uma análise translacional da tríplice ameaça no século 21. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, 7 maio 2018. Disponível em: https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4061. Acesso em: 06 set. 2023.

MEGURO, K.; OSABE, Y. Lost in Patent Classification. World Patent Information, [S. l.], v. 57, p. 70–76, 1 jun. 2019. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0172219018301340?dgcid=rss_sd_all. Acesso em: 06 set. 2023.

MORDOR INTELLIGENCE. China Relatório de mercado de imagens nucleares | Tamanho, participação, crescimento e tendências (2023-28). Telangana, 2022. Disponível em: https://www.mordorintelligence.com/industry-reports/china-nuclear-imaging-market. Acesso em: 14 jul. 2023.

NANAYAKKARA, D. Report on the Current Nuclear Medicine Status of the Asian Member States from the Initial Cooperative Project Meeting (RAS6061/9001/01) of International Atomic Energy Agency/Regional Cooperative Agreement (IAEA/RCA). Austral-Asian Journal of Cancer, [S. l.], v. 12, p. 135–145, 1 jul. 2013.

OLIVEIRA, R. et al. Preparações radiofarmacêuticas e suas aplicações. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, São Paulo, v. 42, p. 151–165, jun. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcf/a/RjFqKQxWrfCHv8Z4hqgq68m/. Acesso em: 06 set. 2023.

PERINI, E. A. et al. Pre-feasibility Study for establishing radioisotope and radiopharmaceutical production facilities in developing countries. Current Radiopharmaceuticals, [S. l.], v. 12, n. 3, p. 187–200, 2019. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30924426/. Acesso em: 06 set. 2023.

SAHA, G. Fundamentals of Nuclear Pharmacy. 7. ed. [S. l.]: Springer International Publishing, 2018.

SPEZIALI, M. G.; GUIMARÃES, P. P. G.; SINISTERRA, R. D. Desmistificando a proteção por patentes nas universidades. Química Nova, São Paulo, v. 35, n. 8, p. 1700–1705, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/qn/a/5WvPGQtZPTFYbQCCJytyPyq/. Acesso em: 06 set. 2023.

SPEZIALI, M. G.; NASCIMENTO, R. DA S. Patentometria: uma ferramenta indispensável no estudo de desenvolvimento de tecnologias para a indústria química. Quimica Nova, São Paulo, v. 43, n. 10, p. 1538–1548, 2020. Disponível em: https://quimicanova.sbq.org.br/detalhe_artigo.asp?id=9173. Acesso em: 06 set. 2023

TOLEDO, P. T. M. DE; LOTUFO, R. DE A. A relevância da proteção e da transferência dos resultados de pesquisas acadêmicas. Journal of the Brazilian Chemical Society, São Paulo, v. 22, p. 1005–1006, jun. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jbchs/a/FzmBKtWFtRD7yZrcsj8VKpz/?lang=pt. Acesso em: 06 set. 2023

WANG, B.; CHAI, K.-H.; SUBRAMANIAN, A. M. Roots and development of intellectual property management research: A bibliometric review. World Patent Information, [S. l.], v. 40, p. 10–20, 1 mar. 2015. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0172219014001586. Acesso em: 06 set. 2023

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Câncer de mama agora forma mais comum de câncer: OMS tomando medidas. [S. l.], 2021. Disponível em: https://www.who.int/pt/news/item/03-02-2021-breast-cancer-now-most-common-form-of-cancer-who-taking-action. Acesso em: 4 maio. 2022.

ZAPAROLLI, D. Radiofármacos sob ameaça. Pesquisa FAPESP, ed. 309, p. 66-69, nov. 2021. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/radiofarmacos-sob-ameaca/. Acesso em: 6 maio. 2022.

Publicado

2023-09-28

Como Citar

CHAVES, Henrique Koch; SILVA, Júlia Maria Brandão da; SILVEIRA, Carla Cristina de Freitas da; MARQUES, Fabio Luiz Navarro; MAGALHÃES, Jorge Lima de. A análise patentométrica como subsídio à gestão da inovação tecnológica: um estudo de caso em radiofármacos para câncer . Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, p. 1–21, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e92608. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/92608. Acesso em: 29 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.