O acesso aberto à luz dos Estudos Sociais da Ciência e Tecnologia

Paulo Roberto Cintra, Ariadne Chloe Furnival, Douglas Henrique Milanez

Resumo


O acesso aberto é um movimento em prol de uma literatura científica disponibilizada sem custos aos usuários e livre de restrições para seu reuso. Este ensaio tem por objetivo refletir sobre as mudanças trazidas pelo acesso aberto à comunicação científica à luz dos conceitos propostos pelos teóricos dos Estudos Sociais da Ciência e Tecnologia. Para tanto, o estudo se baseou nos imperativos institucionais de Merton, nos conceitos de Bourdieu sobre capital simbólico e nos argumentos de Latour acerca do arregimento de aliados. Concluiu-se que o acesso aberto tem potencial para alterar as disparidades hierárquicas existentes entre os pares, uma vez que possíveis ganhos em visibilidade, legibilidade e acessibilidade dos artigos disponibilizados em livre acesso poderiam impactar positivamente na avaliação da produção do pesquisador junto às agências de fomento e instituições de ensino e, dessa forma, elevar seu capital científico.


Palavras-chave


Ciência; Comunicação científica; Estudos sociais da ciência e tecnologia; Acesso aberto; Periódico científico; Sociologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANTELMAN, K. Do open-access articles have a greater research impact? College & Research Libraries, v.65, n.5, p.372-382, set. 2004.

ARAÚJO, C. A. A. A ciência como forma de conhecimento. Ciências & Cognição, v. 8, p.127-142, 2006.

ATCHINSON, A.; BULL, J. Will open access get me cited? an analysis of the efficacy of open access publishing in political science. PS: Political Science & Politics, v.48, n.1, p.129-137, jan. 2015.

BECERRA, J. J. Origen, desarrollo de los estudios CTS y su perspectiva en America Latina. In: MANCERO, M.; POLO, R. Ciencia, política y poder: debates contemporáneos desde Ecuador. Quito: FLACSO, Sede Equador, 2010. 413p.

BÍBLIA. N. T. Mateus. In: BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada: Nova Versão Internacional. São Paulo: Editora Vida, 2000.

BOAI. Budapest Open Access Initiative. 2002. Disponível em:

Acesso em: 09 abr. 2016.

BOHANNON, J. Who´s afraid of peer review? Science, v.342, n.6154, p.60-65, out. 2013.

BORDONS, M.; ZULUETA, M. A. Evaluación de la actividad científica a través de indicadores biblimétricos. Revista Española de Cardiología, v.52, n.10, p.790-800, 1999.

BOURDIEU, P. Le champ scientifique: actes de la recherche en sciences sociales. Paris: Ed. du Seuil, 1976.

BOURDIEU, P. Para uma sociologia da ciência. Lisboa: Edições 70, 2008.

COSTA, S. M. S. Filosofia aberta, modelos de negócios e agências de fomento: elementos essenciais a uma discussão sobre o acesso aberto à informação científica. Ciência da Informação, Brasília, v.35, n.2, p.39-50, maio/ago. 2006.

CRAIG, I. D. et al. Do open access articles have greater citation impact? A critical review of the literature. Journal of Informetrics, v.1, n.3, p.239-248, 2007.

CRISTOVÃO, H. T. Da comunicação informal a comunicação formal: identificação da frente de pesquisa através de filtros de qualidade. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p. 3-36, 1979.

DIAS, R. de B.; DAGNINO, R. Políticas de Ciência e Tecnologia: sessenta anos do relatório Science: the Endless Frontier. Avaliação, v.11, n.2, p.51-71, jun. 2006.

DINIZ, E. Acesso aberto: um tema a ser mais bem explorado. RAE - Revista de Administração de Empresas, v.55, n.5, set./out. 2015.

DROESCHER, F. D.; SILVA, E. L. O acesso aberto e o uso da informação científica. Investigación bibliotecológica, México, v.29, n.65, jan./abr. 2015.

FRANDSEN, T.F. The effects of open access on un-published documents: a case study of economics working papers. Journal of Informetrics, v.3, n.2, p.124-133, 2009.

FREITAS, M. H. de A. Oito anos de Transinformação. Transinformação, v.9, n.3, p.120-134, set./dez. 1997.

GLÄSER, J.; LAUDEL, G. The social construction of bibliometric evaluation. In: WHITLEY, R.; GLÄSER, J. The changing governance of the sciences: the advent of research evaluation systems. Dordrecht, Springer, 2007. p.101-126.

GUMIEIRO, K. A.; COSTA, M. de S. O uso de modelos de negócios por editoras de periódicos científicos eletrônicos de acesso aberto. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.17, n.4, p. 100-122, out./dez. 2012.

HARNAD, S. OA impact advantage = EA + (AA) + (QB) + QA + (CA) + UA. School of Electronics & Computer Science, University of Southampton, 2005. Disponível em: Acesso em: 21 abr. 2016.

HARNAD, S. Opening access by overcoming Zeno´s Paralysis. In: JACOBS, N. (ed.) Open Access: key strategic, technical and economic aspects. Oxford: Chandos Publishing Limited, 2006.

HARNAD, S.; BRODY, T. Comparing the impact of open access (OA) vs. non-OA articles in the same journals. D-Lib Magazine, v.10, n.6, jun. 2004.

KURAMOTO, H. Informação científica: proposta de um novo modelo para o Brasil. Ciência da Informação, v.35, n.2, p.91-102, maio/ago. 2006.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. Tradução de Ivone C. Benedetti. 2. ed. São Paulo: Editora UNESP, 2011. 422p.

LATOUR, B.; WOOLGAR, S. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LAWRENCE, S. Free online availability substantially increases a paper’s impact. Nature, 2001. Disponível em: Acesso em: 21 abr. 2016.

LIMA, R. A. de; VELHO, L. M. L. S.; FARIA, L. I. L. de Bibliometria e "avaliação" da atividade científica: um estudo sobre o índice h. Perspectivas em Ciência da Informação, v.17, n.3, p.3-17, jul./set. 2012.

MACIAS-CHAPULA, C. A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, Brasília, v.27, n.2, p. 134-140, maio/ago. 1998.

MEADOWS, A. J. Comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 1999.

MERTON, R. K. The Matthew effect in science: the reward and communication systems of science are considered. Science, v.159, p.56-63, jan. 1968.

MERTON, R. K. “La estrutura normativa de la ciencia”. In: MERTON, R. K.. La Sociologia de la ciência 2. Madrid: Alianza Editorial, 1997.

MOREIRA, M. L.; VELHO, L. Pós-graduação no Brasil: da concepção “ofertista linear” para “novos modos de produção do conhecimento” implicações para avaliação. Avaliação, Campinas, v.13, n.3, p.625-645, nov. 2008.

MORIN, E. Ciência com consciência. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 350p.

MUELLER, S. P. M. A comunicação científica e o movimento de acesso livre ao conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v.35, n.2, p.27-38, maio/ago. 2006.

PINFIELD, S.; SALTER, J.; BATH, P. A. The "total cost of publication" in a hybrid open-access environment: institutional approaches to funding journal article-processing charges in combination with subscriptions. Journal of the Association for Information Science and Technology, 2015. Disponível em: Acesso em: 10 maio 2016.

PRICE, D. de S. A general theory of bibliometric and other cumulative advantage processes. Journal of the American Society for Information Science, v.27, n.5, p.292-306, set. 1976.

PRIEM, J.; GROTH, P.; TARABORELLI, D. The altmetrics collection. PLOS ONE, v.7, n.11, nov. 2012.

RODRIGUES, E. Acesso Livre ao conhecimento: a mudança do sistema de comunicação da ciência e os profissionais de informação. Cadernos BAD, n.1, p.24-35, 2004.

ROSENBERG, N. Por dentro da caixa preta – tecnologia e economia. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

SCHWARTZMAN, S. Ciência, universidade e ideologia: a política do conhecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

STOKES, D. E. O Quadrante de Pasteur – a ciência básica e a inovação tecnológica. Campinas: Editora da Unicamp, 2005.

SUBER, P. Open access. Cambrigde: MIT Press essential knowledge, 2012.

SWAN, A. The Open Access citation advantage: studies and results to date. Technical

Report, School of Electronics & Computer Science, University of Southampton. 2010.

Disponível em: Acesso em: 02 mai. 2015.

VAN RAAN, A. F. J. Bibliometrics and internet: some observation and expectations. Scientometrics, v.50, n.1, p.59-63, 2001.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2017v22n50p205



Direitos autorais 2017 Paulo Roberto Cintra, Ariadne Chloe Furnival, Douglas Henrique Milanez

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)