O uso de figuras de linguagens do domínio da lesbiandade no acervo fotográfico do Lesbian Herstory Archives: uma proposta de taxonomia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e72248

Palavras-chave:

Figuras de linguagens, Representação temática, Taxonomia, Lesbiandade, Lesbian Herstory Archives

Resumo

Objetivo: Explorar os termos metafóricos empregados na representação temática (assunto) em uma amostra de fotografias do Lesbian Herstory Archives (LHA), no intuito de organizá-los semanticamente para o ambiente web.
Método: Utiliza o metafiltro proposto por Orrico (2001b), baseado na Classificação Facetada de Ranganathan, para categorizar as figuras de linguagem selecionadas por meio de sua Essência, Função e Modo, e, a partir disso, estabelecer as características que nortearão os renques e as cadeias da proposta taxonômica.
Resultado: Demonstra que a comunidade lésbica utiliza as figuras de linguagem como meio de afirmação de identidade. Aponta a urgência de soluções práticas que corrijam os desvios na representação de assunto sobre lésbicas e propõe uma estrutura taxonômica baseada em figuras de linguagem que proporcione visibilidade em ambiente web.
Conclusões: Destaca a necessidade e a urgência das discussões sobre gênero e sexualidade no contexto da representação temática, principalmente no que diz respeito a lesbiandade e a representação das lésbicas e das suas relações afetivo-sexuais, de forma que essa comunidade discursiva se veja eticamente representada nos instrumentos de controle de vocabulário.

Biografia do Autor

Raquel da Silva Teixeira, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

Brisa Pozzi de Sousa, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Professora Adjunta na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Departamento de Biblioteconomia, Rio de Janeiro, Brasil

Referências

AGUIÃO, S. “Sapatão não! Eu sou a mulher da sapatão!”: homossexualidades femininas em um espaço de lazer no subúrbio carioca. Gênero, Niterói, v. 9, n. 1, p. 293-310, 2008. Disponível em: https://is.gd/z6FHYu. Acesso em: 09 nov. 2019.

ANTONINO, D. Lesbianismo é uma posição política. [S. l.]: QG Feminista, 2018. Disponível em: https://is.gd/uB7Oih. Acesso em: 08 out. 2019.

AQUINO, I. J.; CARLAN, E.; BRÄSCHER, M. B. Princípios classificatórios para a construção de taxonomias. Ponto de Acesso, Salvador, v. 3, n. 3, p. 196-215, dez. 2009. Disponível em: https://is.gd/w5j99y. Acesso em: 20 nov. 2019.

BLUEVISION. O que significa a sigla LGBTQIA+?. [S. l.]: Bluevision, 2019. Disponível em: https://is.gd/kKvK0F. Acesso em: 28 abr. 2020.

BRÄSCHER, M. B.; CARLAN, E. Sistemas de organização do conhecimento: antigas e novas linguagens. In: ROBREDO, J.; BRÄSCHER, M. B. (org.). Passeios no bosque da informação: estudos sobre representação e organização da informação e do conhecimento - eroic. Brasília, DF: IBICT, 2010. p. 147-176. Disponível em: https://is.gd/ukPKaK. Acesso em: 06 dez. 2019.

CAMPBELL, G. Queer theory and the creation of contextual subject access tools for gay and lesbian communities. Knowledge Organization, Würzburg, v. 27, n. 3, p. 122-131, 2000. Disponível em: https://is.gd/z0GV2a. Acesso em: 06 dez. 2019.

CAMPOS, N. C. A lesbianidade como resistência: a trajetória dos movimentos de lésbicas no Brasil – 1979-2001. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: https://is.gd/NbUXqp. Acesso em: 15 out. 2019.

CHRISTENSEN, B. Minoritization vs. universalization: lesbianism and male homosexuality in LCSH and LCC. Knowledge Organization, Würzburg, v. 35, n. 4, p. 229-238, 2008. Disponível em: https://is.gd/5Y0qnf. Acesso em: 06 dez. 2019.

DIGITAL CULTURE OF METROPOLITAN NEW YORK. About digital culture of metropolitan New York. New York: DCMNY, 2019a. Disponível em: https://is.gd/x0WtBl. Acesso em: 24 nov. 2019.

DIGITAL CULTURE OF METROPOLITAN NEW YORK. DCMNY metadata requirements and guidelines. New York: DCMNY, 2019b. Disponível em: https://is.gd/aFBYb6. Acesso em: 17 nov. 2019.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, c2009.

KLINGER, A. Resources for lesbian ethnographic research in the Lavender Archives. In: ROBERTSON, J. (ed.). Same-sex cultures and sexualities: an anthropological reader. Massachusetts: Blackwell Publishing, 2005. p. 73-88. (Blackwell readers in anthropology, 6).

LESBIAN HERSTORY ARCHIVES. A brief history. New York: LHA, 2019. Disponível em: https://is.gd/VpQryN. Acesso em. 06 dez. 2019.

LÓPEZ-HUERTAS, M. J. Some current research questions in the field of knowledge organization. Knowledge Organization, Würzburg, v. 35, n. 2/3, p. 113-136, 2008. Disponível em: https://is.gd/zdfLZx. Acesso em: 17 maio 2020.

LÓPEZ-HUERTAS, M. J.; BARITÉ ROQUETA, M. G. Knowledge representation and organization of gender studies on the Internet: towards integration. In: LÓPEZ-HUERTAS, M. J. (ed.). Challenges in knowledge representation and organization for the 21st century: integration of knowledge across boundaries. Würzburg: ERGON Verlag, 2002. p. 393-403. (Advances in Knowledge Organization, 8). Disponível em: https://is.gd/2Krbot. Acesso em: 12 maio 2020.

LÓPEZ-HUERTAS, M. J.; TORRES RAMÍREZ, I. Terminología de género. Sesgos, interrogantes, posibles respuestas. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v.6, n.5, out. 2005. Disponível em: https://is.gd/OKBPmI. Acesso em: 15 maio 2020.

MALTI-DOUGLAS, F. (ed.). Encyclopedia of sex and gender. Detroit: Thomson Gale, c2007. 4 v.

NAVARRO-SWAIN, T. O que é lesbianismo. São Paulo: Brasiliense, 2004.

ORRICO, E. G. D. A representação metafórica como filtro de recuperação da informação. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 2, n. 5, p. [1-6], out. 2001a. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/7453. Acesso em: 07 dez. 2019.

ORRICO, E. G. D. Binômio lingüística - ciência da informação: abordagem teórica para elaboração de metafiltro de recuperação da informação. 2001. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia / Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001b. Disponível em: https://is.gd/oNM6n9. Acesso em: 23 nov. 2019.

PINHO, F. A. Aspectos éticos em representação do conhecimento em temáticas relativas à homossexualidade masculina: uma análise da precisão em linguagens documentárias brasileiras. 2010. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade do Estado de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: https://is.gd/noDGKG. Acesso em: 30 out. 2019.

PINHO, F. A. Metafiltro para controle terminológico de metáforas no domínio da homossexualidade masculina. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 41 n. 1, p.120-133, jan./abr., 2014. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1422. Acesso em: 23 nov. 2019.

PINHO, F. A. Percurso investigativo para contextualização de metáforas relativas à gênero e sexualidade em linguagens documentais. Informação & Informação, Londrina, v. 22, n. 2, p. 117 -143, maio/ago. 2017. Disponível em: https://is.gd/I5lm4Y. Acesso em: 06 dez. 2019.

SOARES, G. S.; COSTA, J. C. Movimento lésbico e movimento feminista no Brasil: recuperando encontros e desencontros. Labrys, estudos feministas, [s. l.], jul./dez. 2011. Disponível em: https://bit.ly/33vEaK6. Acesso em: 13 out. 2019.

SWALES, J. M. The concept of discourse community. In: SWALES, J. M. Genre analysis.

Cambridge: Cambridge University Press, 1990. p. 21-32.

Downloads

Publicado

2020-09-02

Edição

Seção

Estudos de Caso