Tempo, espaço e simultaneidade: uma questão para os ciêntistas, artistas, engenheiros e matemáticos no séculos XIX

Autores

  • Andreia Guerra CEFET - Rio de Janeiro
  • José Claudio Reis UERJ - Rio de Janeiro
  • Marco Antonio Barbosa Braga CEFET - Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2010v27n3p568

Palavras-chave:

História e Filosofia da Ciência, Teoria da Relatividade, Ensino de Ciências

Resumo

A introdução de novos conteúdos de Física Moderna e Contemporânea no Ensino Médio é defendida por muitos pesquisadores de ensino de ciências. Nos últimos anos, trabalhos de pesquisa também analisaram e avaliaram práticas pedagógicas que visaram introduzir esses temas no ensino de Física. Este artigo se propõe a trazer subsídios à discussão em torno da introdução de temas de Física Moderna e Contemporânea no Ensino Médio, ao defender que, no caso específico do estudo da Teoria da Relatividade Restrita, o trabalho em sala de aula deve seguir uma abordagem histórico-filosófica, pois a contextualização desse conhecimento possibilitará aos alunos o estudo de um conteúdo que traz questões bem diferentes daquelas por eles aprendidas com o senso comum.

Downloads

Publicado

2010-03-01

Edição

Seção

Artigos