Professor de Matemática: saber em formação movente

Roselaine Machado Albernaz, Cynthia Farina

Resumo


Este ensaio trata da formação do professor de Matemática a partir de suas experiências no regime escolar e dos saberes que o constituíram histórica, filosófica e politicamente. Esses saberes não se resumem a conhecimentos acadêmicos, mas envolvem os efeitos subjetivos dos saberes científicos que ele incorpora. Partindo de um conto, a personagem chamada ‘professora-pesquisadora’ conduz o texto através de indagações sobre os processos de formação dos professores de uma disciplina tão particular como a Matemática. A personagem parece ter um ‘quê interrogativo’ que não é alheio a cada um de nós, professores inquietos em frente a seu campo disciplinar. Com o objetivo de problematizar a formação e os saberes de nossa personagem, seus modos de ser, pensar e perceber, pretende-se questionar, com e através dela, as novas solicitações que se fazem aos professores de Matemática e os saberes que a constituem como tal, sua forma de atuar e posicionar-se no universo escolar.O ensaio proposto busca uma articulação entre os campos da arte, filosofia, ciência e educação. Diz respeito ao formigante mundo escolar, mas, antes de tudo, aos modos como pensamos tratar a formação de professores de Matemática, a partir de um conjunto de saberes lógicos, subjetivos e sensíveis.

 

 


Palavras-chave


Formação de professores; Matemática; Experiência estética; Filosofias da diferença

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2010v7n1p302

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.