A imagem da mulher no âmbito científico

Silvia Domínguez Gutiérrez

Resumo


As mulheres não se imaginam a si mesmas como cientistas. Quando solicitou-se a 58 estudantes (22 homens e 36 mulheres) de nível superior da Universidade de Guadalajara (U. de G.), México, que escrevessem a primeira ideia que tinham quando escutavam a palavra “cientista”, a maioria informou que imaginavam tratar-se principalmente de um homem, vestindo jaleco branco, com óculos, de idade avançada. Somente uma estudante visualizou uma mulher como cientista. Este fato é relevante, já que os alunos informantes são do Centro Universitário de Ciências da Saúde de diferentes profissões que em sua maioria estão compostas por mulheres (Enfermagem, Psicologia, Nutrição, Odontologia, Medicina e Educação Física). Para obter tal informação foi utilizado um questionário com questões associativas consolidado com entrevistas semi-estruturadas, instrumentos que foram analisados através de técnicas indutivo/dedutivas e por análise de conteúdo de tipo qualitativo. Apesar de ter sido observado que o papel das mulheres é fundamental para o desenvolvimento dos países, a presença feminina tem sido relegada ou percebida como suporte aos seus “grandes homens”, o que está relacionado com a cultura, a educação e com uma tradição patriarcal, podendo ser observado em quase qualquer área da pesquisa.


Palavras-chave


Imagem do cientista; Mulheres estudantes; Representações sociais; Ciência; México

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2011v8n2p57

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.