Mujeres universitarias, militancia y vida cotidiana en Tucumán, 1969-1972

Autores

  • Silvia Gabriela Nassif Universidad Nacional de Tucumán, Tucumán
  • Verónica Alicia Ovejero Universidad Nacional de Tucumán, Tucumán

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2013v10n1p109

Resumo

Este trabalho aborda as diferentes manifestações da militância estudantil de mulheres tucumanas e o impacto disso em suas vidas cotidianas durante o período de 1969-1972, momento em que aconteciam no estado de Tucumán importantes levantes que estavam em sintonia com os protestos que aconteciam em nível nacional, protagonizados por diversos setores populares contra a auto-intitulado "Revolução Argentina". Nossa primeira hipótese consiste em que neste momento houve uma maciça entrada das mulheres na militância estudantil, o que revela um salto qualitativo em relação a períodos anteriores. Esses fatores, a maior presença feminina na universidade e seu crescente envolvimento na política estudantil, produziram importantes mudanças em suas vidas cotidianas.Além disso, a aproximação das mulheres com a militância não esteve determinada a priori por sua condição feminina, mas sim pela adesão a reinvindicações politicas e sociais gerais. No entanto, talvez através desta prática militante tomassem consciência das objetivas assimetrias com o gênero masculino.Embora nos últimos tempos se veja uma proliferação de vários estudos sobre a temática das mulheres, as fontes continuam fragmentadas e escassas. Neste sentido, esperamos que o nosso trabalho represente mais uma contribuição para a história das mulheres, assim como para história de nosso estado. O referencial teórico utilizado perpassa as contribuições da psicologia social de pichoniana. Ainda utilizamos a história oral para a coletar diversos depoimentos de mulheres e homens militantes durante o período mencionado.

Biografia do Autor

Silvia Gabriela Nassif, Universidad Nacional de Tucumán, Tucumán

Profesora y licenciada en historia por la Universidad Nacional de Tucumán, UNT, Tucumán, Argentina. Investigadora del Instituto de Investigaciones Históricas Dr. Ramón Leoni Pinto de la UNT, Becaria doctoral del Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas CONICETn, Tucumán

Verónica Alicia Ovejero, Universidad Nacional de Tucumán, Tucumán

Licenciada en historia por la Universidad Nacional de Tucumán,UNT, Tucumán, Argentina. Investigadora del Instituto de Investigaciones Históricas Dr. Ramón Leoni Pinto de la UNT, Becaria doctoral del Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET).

Publicado

2013-06-07

Edição

Seção

Dossiê: Militância e vida cotidiana: os anos ’60 e ’70 no Cone Sul