Humor ou sexismo? Uma análise crítica das narrativas publicitárias nos filmes do Porta dos Fundos

Autores

  • Renata Barreto Malta Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE
  • Álvaro de Lima Silva Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE
  • Luan Filipe Ferreira Costa Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE
  • Yuri Nascimento Costa Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2017v14n1p98

Resumo

O presente artigo pretende analisar a construção narrativa de três filmes publicitários encomendados por anunciantes de marcas massivas, produzidos pelo canal Porta dos Fundos, com a finalidade de ser veiculado no YouTube. Apresentamos como objetivo observar a produção publicitária como entretenimento e o humor como elemento de persuasão, problematizando a utilização de argumentos sexistas no interior de suas narrativas, os quais produzem significado e reforçam valores hegemônicos machistas. Para as análises, partimos das proposições teórico-metodológicas de Bordwell e Thompson (2014). A partir das conclusões, as quais apontam para o sexismo camuflado pelo humor como conteúdo apresentado pelas narrativas do corpus da pesquisa, emerge o questionamento acerca da função social da publicidade e as consequências negativas às marcas envolvidas, oriundas de narrativas que pregam a desigualdade de gênero.

 

Biografia do Autor

Renata Barreto Malta, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Doutora em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo com Doutorado Sanduíche na Carleton University, Ottawa, Canadá. Professora do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE, Brasil 

Álvaro de Lima Silva, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Aluno do Curso de Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Luan Filipe Ferreira Costa, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Aluno do Curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Yuri Nascimento Costa, Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Graduação em Direito pela Universidade Tiradentes. Aluno do Curso de Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda da Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, SE

Referências

BORDWELL, D.; THOMPSON, K. A arte do cinema: uma introdução. Campinas: Editora UNICAMP, 2014.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

DONATON, Scott. Madison & Vine: Why the entertainment and advertising industries must converge to survive. New York: McGraw-Hill, 2004.

FERREIRA, Flávia. A história e evolução do merchandising na televisão brasileira. Belo Horizonte, 2006. Acesso em 05 de novembro de 2015

Disponível em: http://www.artigocientifico.com.br/uploads/artc_1166812850_91.doc

FIGUEIREDO, Celso. Porque Rimos: Um Estudo Sobre o Funcionamento do Humor na Sociedade. Comunicação e Sociedade, Vol. 33, N. 57, 2012. p. 171-198.

LIPOVETSKY, G. A era do vazio: Ensaios sobre o Individualismo Contemporâneo. Lisboa: Antropos, 1989.

LOPES, C. B. Trabalho Feminino em Contexto Angolano: um possível caminho na construção de autonomia. 2010. 167f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

RODRIGUES, André. A graça de um herege. Rolling Stone, São Paulo, 2011. Disponível em: . Acesso em 03 novembro de 2015.

WILLIAMS, Raymond. Problems in Materialism and Culture: Selected Essays. London: Verso Editionsand NLB, 1980.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e Diferença: Uma Introdução Teórica e Conceitual. In: SILVA, TOMAZ (Org.). Identidade e Diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis, Editora Vozes, 2007. p.07-72.

Downloads

Publicado

2017-01-08

Edição

Seção

Artigos - Condição Humana e Saúde na Modernidade