Participação e sustentabilidade: reflexões sobre uma pesquisa-intervenção com jovens no semiárido cearense

Domingos Arthur Feitosa Petrola, Verônica Salgueiro do Nascimento

Resumo


Participar social e politicamente da vida do país ainda é um grande desafio democrático, principalmente no que se refere à juventude brasileira. Esta pesquisa pretendeu, portanto, compreender a ação de participação social e política de jovens no semiárido, analisando sua relação com a sustentabilidade. De caráter qualitativo, foi desenvolvida entre maio e agosto de 2014, junto a um grupo de sujeitos, com idades entre 15 e 30 anos, participantes de uma organização não governamental na cidade de Arneiroz, interior do Ceará. O tipo de pesquisa se expressa na pesquisa-intervenção, que assume caráter político-metodológico, e foram usados também os círculos de cultura como espaços-instrumentos de coleta de dados. No campo dos resultados, os jovens demonstraram que apesar do reconhecimento a importância da ação e do papel político na transformação da realidade, através dos mecanismos de participação, eles não se sentem convidados a ocupar esse lugar, tendo em vista o modelo tradicional e tecnocrático de controle social, e, portanto, demonstram-se pouco interessados na efetiva ação participativa. Torna-se urgente a construção de metodologias que promovam e alcancem uma participação comprometida e crítica, e que se estruturem em um ideal sustentável e ético de políticas públicas e que estimulem formas mais criativas de emancipação.


Palavras-chave


Juventude; Sertão; Sustentabilidade; Participação; Política Pública

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABRAMOVAY, Ricardo. Juventude rural: ampliando as oportunidades. Raízes da Terra: parcerias para a construção de capital social no campo. Secretaria de Reordenamento Agrário do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Brasília – DF, ano 1, n. 1, abr. 2005. Disponível em: < http://www.creditofundiario.org.br/materiais/revista/artigos/artigo05.htm >. Acesso em: 10 jan. 2015.

BARROS, João Paulo et al. O Conceito de “sentido” em Vygotsky: Considerações Epistemológicas e suas Implicações para a investigação psicológica. Psicologia & Sociedade; v. 21, n. 2, p. 174-181; mar. 2009.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A pergunta a várias mãos: a experiência de partilha através da pesquisa na educação. São Paulo: Cortez, 2003.

CASTRO, Lúcia Rabelo de. Conhecer, transformar(-se) e aprender: pesquisando com crianças e jovens. In: CASTRO, Lúcia Rabelo de; BESSET, Vera Lopes (Org.). Pesquisa-intervenção na infância e juventude. Rio de Janeiro: Trarepa/FAPERJ, 2008.

CHACON, Suely Salgueiro. Desenvolvimento, liberdade e paz. In: MATOS, K. S. L.; NASCIMENTO, Verônica Salgueiro do; NONATO JUNIOR, Raimundo. Cultura de Paz: do conhecimento à sabedoria. Fortaleza: Edições UFC, 2008.

_______. O sertanejo e o caminho das águas: políticas públicas, modernidade e sustentabilidade no semi-árido. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 42. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FONSECA, Igor Ferraz; BURZSTYN, Marcel. A banalização da sustentabilidade: reflexões sobre governança ambiental em escala local. Sociedade e Estado, v. 24, n. 1, p. 17-46, jan./abr. 2009.

GADOTTI, Moacir. Educar para a sustentabilidade: Uma contribuição à década da educação para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Ed. L, 2008. (UniFreire).

GUIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE JUVENTUDE. Secretaria Nacional de Juventude. Brasília, 2013.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em: < http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=230150&search= ceara|arneiroz|infograficos:-informacoes-completas >. Acesso em: 10 maio 2013.

LIMA, Aluísio Ferreira de; CIAMPA, Antônio da Costa. Metamorfose humana em busca de emancipação: a identidade na perspectiva da Psicologia Social Crítica. In: LIMA, Aluísio Ferreira de (Org.). Psicologia social crítica: paralaxes do contemporâneo. Porto Alegre: Sulina, 2012.

MARTIN-BARÓ, Ignácio. O papel do psicólogo. Revista de Estudos de Psicologia, v. 2, p. 7-27, jun. 1996.

MENEZES, Jaileila de Araújo; COSTA, Mônica Rodrigues. Festa estranha com gente esquisita: desafios e possibilidades para a participação juvenil. In: MAYROGA, Claudia; CASTRO, Lúcia Rabelo de; PRADO, Marco Aurélio Máximo (Org.). Juventude e a experiência do político no contemporâneo. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2012.

ROCHA, Marisa Lopes da; AGUIAR, Katia Faria de. Pesquisa-intervenção e a produção de novas análises. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 23, n. 4, p. 64-73, dez. 2003.

SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

SARMENTO, Manuel Jacinto; TOMÁS, Catarina; FERNANDES, Natália. Políticas públicas e participação infantil. Educação, Sociedade e Culturas, n. 25, p. 183-206, 2007.

SARTORI, Simone; LATRÔNCIO, Fernanda; CAMPOS, Lucila. Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável: Uma taxonomia no campo da literatura. Ambiente & Sociedade, v. 17, n. 1, p. 1-22, mar. 2014.

SILVA, Vanda. Sertão de jovens: antropologia e educação. São Paulo: Cortez, 2004.

SPOSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo César Rodrigues. Juventude e políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 24, p. 16-39, 2003.

TOTH, Mariann; MERTENS, Frédéric; MAKIUCHI, Maria de Fátima Rodrigues. Novos espaços de participação social no contexto do desenvolvimento sustentável: as contribuições da Educomunicação. Ambiente & Sociedade, v. 15, n. 2, p. 113-132, ago. 2012.

WEISHEIMER, Nilson. Sobre a invisibilidade social das juventudes rurais. DESidades, v. 1, n. 1, p. 22-27, dez. 2013.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2018v15n1p36

Direitos autorais 2018 Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.