QIGONG: uma contribuição para a Educação Física escolar

Edson Ronei Da Silveira Júnior, Carlos Luiz Cardoso

Resumo


Uma nova ‘concepção de ciência’ nos permitiu, através de uma pesquisa exploratória-descritiva, investigar o Qigong que é uma antiga prática corporal/corporeidade do povo chinês, aplicado tanto nas artes marciais, quanto na manutenção da saúde, e passou por ‘altos e baixos’, da perseguição pelo governo à utilização terapêutica em hospitais chineses. Segundo o referencial teórico consultado, existem várias pesquisas que se relacionam também a outras práticas milenares/antiqüíssimas. Com relação à Educação Física escolar, alguns trabalhos buscam elementos componentes dessas práticas, direcionando os procedimentos didáticos, proporcionando novos significados na interação pedagógica. Quanto à inserção do Qigong na escola, a nossa experiência mostrou êxito junto às crianças da 3a Série de uma Escola Pública Municipal de Palhoça/SC. Buscamos compreender (pela hermenêutica), esses novos elementos significativos em entrevistas com instrutores de Artes Marciais e professores Educação Física, além, é claro, de registros fotográficos e pela fundamentação teórica, com seus aspectos norteadores das antiqüíssimas técnicas corporais de origem oriental.

Palavras-chave


Qigong, Se-movimentar, Educação Física Escolar, Artes Marciais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA