Grupos de convivência para idosos como espaços de lazer (também) para homens: o olhar dos coordenadores em Florianópolis (SC)

Autores

  • Priscila Mari dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Alcyane Marinho Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n47p128

Palavras-chave:

Atividades de Lazer, Idoso, Gênero

Resumo

Este estudo investigou como Grupos de Convivência para Idosos (GCI) em Florianópolis (SC) estão se configurando como espaços de lazer para homens. Desenvolveu-se uma pesquisa descritiva exploratória e qualitativa. Participaram quatro coordenadores e uma secretária (representando a coordenação) de cinco GCI, um de cada Região da cidade. Utilizou-se um roteiro de entrevista semiestruturada para investigar os entendimentos de lazer; as compreensões dos GCI como espaços de lazer; e as percepções sobre a participação de homens. Aplicou-se a técnica de análise de conteúdo. Os entendimentos de lazer foram marcados por aspectos funcionalistas (prática de atividades; diversão; fuga dos problemas), sendo estendidos à compreensão dos GCI como espaços de lazer. Enquanto nos GCI Centro e Continente a participação de homens é limitada aos casados, nos GCI Norte e Leste não há limitações. No GCI Sul a coordenadora não tem interesse na participação masculina e geralmente se referiu ao grupo no feminino.

Biografia do Autor

Priscila Mari dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutoranda em Educação Física (UFSC); Universidade Federal de Santa Catarina; Florianópolis, Santa Catarina, Brasil; priscilamarisantos@hotmail.com; Servidão Olindina Maria Lopes, 904, Campeche. Cep: 88066-028. Florianópolis, SC, Brasil.

Alcyane Marinho, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutora em Educação Física (UNICAMP); Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC); Florianópolis, Santa Catarina, Brasil; alcyane.marinho@hotmail.com

Downloads

Publicado

2016-05-25

Edição

Seção

Artigos Originais