Grupos de convivência para idosos como espaços de lazer (também) para homens: o olhar dos coordenadores em Florianópolis (SC)

Priscila Mari dos Santos, Alcyane Marinho

Resumo


Este estudo investigou como Grupos de Convivência para Idosos (GCI) em Florianópolis (SC) estão se configurando como espaços de lazer para homens. Desenvolveu-se uma pesquisa descritiva exploratória e qualitativa. Participaram quatro coordenadores e uma secretária (representando a coordenação) de cinco GCI, um de cada Região da cidade. Utilizou-se um roteiro de entrevista semiestruturada para investigar os entendimentos de lazer; as compreensões dos GCI como espaços de lazer; e as percepções sobre a participação de homens. Aplicou-se a técnica de análise de conteúdo. Os entendimentos de lazer foram marcados por aspectos funcionalistas (prática de atividades; diversão; fuga dos problemas), sendo estendidos à compreensão dos GCI como espaços de lazer. Enquanto nos GCI Centro e Continente a participação de homens é limitada aos casados, nos GCI Norte e Leste não há limitações. No GCI Sul a coordenadora não tem interesse na participação masculina e geralmente se referiu ao grupo no feminino.


Palavras-chave


Atividades de Lazer; Idoso; Gênero

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n47p128



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA