O lúdico em contexto de saúde: inter-relações com as práticas humanizadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e54349

Palavras-chave:

Crianças com deficiência, Humanização da assistência, Reabilitação, Jogos e brinquedos

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi analisar as concepções e as formas de utilização do lúdico por profissionais, que atuam na reabilitação de crianças com deficiência, em uma instituição de saúde estadual de Santa Catarina. A pesquisa configura-se como uma investigação de campo, descritiva e exploratória, com abordagem qualitativa dos dados. Para a coleta de dados foi utilizado um roteiro de entrevista semiestruturada e observações sistemáticas. A análise de dados ocorreu por meio da técnica “análise de conteúdo”. As profissionais demonstraram visões semelhantes sobre o lúdico reconhecendo-o nos jogos e nas brincadeiras que propiciam prazer e diversão, porém, desconsideraram outras possibilidades de sua fruição, fato que, aparentemente, não influencia na utilização deste elemento no contexto investigado. Isto porque o atendimento humanizado é refletido na manifestação de elementos lúdicos geradores de benefícios em todos os aspectos da vida da criança.

 

Biografia do Autor

Giandra Anceski Bataglion, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGCMH/UFRGS). Integrante do Núcleo de Estudos em História do Esporte e da Educação Física (NEHME) da ESEFID/UFRGS. 

Alcyane Marinho, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Professora permanente da Universidade do Estado de Santa Catarina. LÍDER DO LABORATÓRIO DE PESQUISA EM LAZER E ATIVIDADE FÍSICA (LAPLAF/CEFID/UDESC).

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: ed. 70, 229 p. 2011.

BATAGLION, G. A.; MARINHO, A. Familiares de crianças com deficiência: percepções sobre atividades lúdicas na reabilitação. Ciência e Saúde Coletiva. v. 21, n. 10, p. 3101-3110, 2017.

BEZERRA, I. M. P.; SORPRESO, I. C. E. Conceitos de saúde e movimentos de promoção da saúde em busca da reorientação de práticas. Journal of Human Growth and Development. v. 26, n. 1, p. 11-16, 2016.

BEZERRA, I. M. P.; MACHADO, M. de F. A. S.; SOUZA, O. F. de.; ANTÃO, J. Y. F. de L.; DANTAS; M. N. L.; REIS, A. O. A.; MARTINS; A. A. A.; ABREU; L. C. de. O fazer de profissionais no contexto da educação em saúde: uma revisão sistemática. Journal of Human Growth and Development. v. 24, n. 3, p. 255-262, 2014.

BUENO AX. A educação física na saúde: reflexões acerca do fazer da profissão no SUS. In: Wachs F, Almeida UR, Brandão FF de F (Org.). Educação Física e Saúde Coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais. Porto Alegre: Rede UNIDA; p. 2016. 143-167.

CAZEIRO, Ana Paula Martins; LAMÔNACO, José Fernando Bitencourt. Formação de conceitos por crianças com paralisia cerebral: um estudo exploratório sobre a influência de atividades lúdicas. Psicologia: Reflexão e Crítica. Porto Alegre, v. 24, n. 1, p. 40 - 50, 2011.

CHICON, José Francisco; HUBER. Leilane Lauer; ALBIÁS, Thais Rodrigues Mardegan; SÁ, Maria das Graças Carvalho Silva de.; ESTEVÃO, Adriana. Educação Física e Inclusão: a mediação pedagógica do professor na brinquedoteca. Revista Movimento. Porto Alegre, v. 22, n. 1, p. 279 - 292, jan./mar., 2014.

ISAYAMA, Hélder Ferreira; SIQUEIRA, Fernanda Tatiana Ramos; ARAÚJO, Natália Sousa; PINTO, Gabriela Baranowski; SOUZA, Tatiana Roberta de; NUNES, Laís Machado. O lazer na humanização hospitalar: diálogos possíveis. Licere, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, jun., p. 1 - 26, 2011.

HUIZINGA, Johan. HOMO LUDENS: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1971.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. C. Estudos do lazer: uma introdução. ed. 3, Campinas, São Paulo: Autores associados, p. 1-99, 2002.

MARINHO, Alcyane. Repensando o lúdico na vida cotidiana: atividades na natureza. In: SCHWARTZ, Gisele Maria (Org.). Dinâmica lúdica: novos olhares. Barueri, São Paulo: Manole, p. 1 - 16, 2004.

MENDES, Valéria Monteiro; CARVALHO, Yara Maria de.; BRANDÃO, Fabiana F. de Freitas; Nós, com os outros e o SUS: uma perspectiva micropolítica do cuidado para além da atenção básica. In: WACHS, Felipe; ALMEIDA, Ueberson Ribeiro; BRANDÃO, Fabiana F. de Freitas (Org.). Educação Física e Saúde Coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais. Porto Alegre: Rede UNIDA, p. 335-349, 2016.

MORAN, C. A. Use of music during physical therapy intervention in a neonatal intensive care unit: a randomized controlled trial. Journal of Human Growth and Development. v. 25, n. 2, p. 177-181, 2015.

SANTIN, Silvino. Educação Física: da alegria do lúdico à opressão do rendimento. ed. 3, Porto Alegre: EST/ESEF, 2001.

SANTOS, Santa Marli Pires dos. O lúdico na formação do educador. ed. 2, Petrópolis: Vozes, 1998.

SCHILLER, Pamela Byrne; ROSSANO, Joan. Ensinar e aprender brincando: mais de 700 atividades para educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 374 p., 2008.

SIMON, Heloisa dos Santos; KUNZ, Elenor. O brincar como diálogo/pergunta e não como resposta à prática pedagógica. Revista Movimento. Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 375 - 394, jan./mar., 2014.

SOUZA, Bianca Lopes de; MITRE, Rosa Maria de Araújo. O Brincar na Hospitalização de Crianças com Paralisia Cerebral. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Brasília, v. 25 n. 2, p. 195 - 201, abr/jun., 2009.

SOUZA, Edison Roberto de. Jogo e educação. In: Atividade física, saúde e lazer: olhar e pensar o corpo. PEREIRA, Beatriz Oliveira; SILVA, Alberto Nídio; CUNHA, António Camilo; NASCIMENTO, Juarez Vieira do. Florianópolis: Tribo da Ilha, p. 13-26, 2014.

THOMAS, Jerry R.; NELSON, Jack K. Métodos de pesquisa em atividade física. Porto Alegre: Artmed, 2012.

VASCONCELOS, Mardênia Gomes Ferreira; JORGE, Maria Salete Bessa; CATRIB, Ana Maria Fontenelle; BEZERRA, Indara Cavalcante; FRANCO, Túlio Batista. Projeto terapêutico em saúde mental: práticas e processos nas dimensões constituintes da atenção psicossocial. Interface: comunicação, saúde, educação. v. 20, n. 57, 313-327, 2016.

VOLPATO, Gildo. Jogo, brincadeira e brinquedo: usos e significados no contexto escolar e familiar. Florianópolis: Futura, 208 p., 2002.

Downloads

Publicado

2019-03-18

Edição

Seção

Artigos Originais