A Educação Física na BNCC: procedimentos, concepções e efeitos

Marcos Garcia Neira, Marcílio Souza Júnior

Resumo


Na tentativa de atender às demandas sociais surgem políticas públicas que vislumbram orientar a construção de propostas curriculares para os sistemas e unidades educacionais. Dentre elas, destaca-se a construção de uma Base Nacional Curricular Comum, conduzida pelo Ministério de Educação em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Educação e a União dos Dirigentes Municipais de Educação. Como participantes do processo de elaboração das duas versões preliminares que vieram à baia do debate público, pretendemos contribuir com a reflexão acerca do componente Educação Física e registrar um olhar sobre os bastidores do processo. Assim, procuramos dar visibilidade aos procedimentos para elaboração do documento, às concepções que nortearam os trabalhos e aos efeitos que se espera causar.


Palavras-chave


Currículo; Educação Física; Política Educacional

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

ALVES, N. Sobre a possibilidade e a necessidade curricular de uma base nacional comum. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03 p. 1464 – 1479 out./dez. 2014.

APPLE, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982

BAUDELOT, C.; ESTABLET, R. Escuela capitalista. México: Siglo XXI, 1980.

BOBBIT, J. F. O currículo. Lisboa: Plátano, 2004.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BOWLES, S.; GINTIS, H. La instrucción escolar en la America capitalista. México: Siglo XXI, 1981.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

________. Base Nacional Comum Curricular. 2ª versão. Brasília: MEC, 2016.

CAPARROZ, F. E. Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação Física. In: BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Orgs.). A educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas, SP: Autores Associados; Rio de Janeiro: Prosul, 2003.

DEWEY, J. A escola e a sociedade e a criança e o currículo. Relógio D'Água, 2002.

FABRIS, E. H. Holywood e a produção de sentidos sobre o estudante. In: COSTA, M. V. (Org.) Estudos culturais em educação: mídia, arquitetura, brinquedo, biologia, literatura, cinema... Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000.

GRAMORELLI, L. C. A cultura corporal nas propostas curriculares estaduais de Educação Física: novas paisagens para um novo tempo. 2014. Tese. (Doutorado em Educação). Universidade de São Paulo, 2014.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

LOPES, A. C.; Macedo, E. O pensamento curricular no Brasil. In A. C. Lopes, & E. Macedo (Orgs.). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2002.

MACEDO, E. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para a educação. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03 p. 1530-1555 out./dez. 2014.

MACHADO, R. B.; LOCKMAN, K. Base Nacional Comum, escola, professor. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03, p. 1591-1613, out./dez. 2014

MOREIRA, A. F. B.; SILVA, T. T. (org.) Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1994.

NEIRA, M. G. Ensino de Educação Física. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

________. Análise dos currículos estaduais de Educação Física: inconsistências e incoerências. Cadernos CENPEC, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 233-254, jul-dez., 2015.

________. O currículo cultural da Educação Física: por uma pedagogia das diferenças. In: NEIRA, M. G.; NUNES, M. L. F. (Org.). Educação Física cultural: por uma pedagogia da(s) diferença(s). Curitiba: CRV, 2016,

PARAÍSO, M. A. Diferença no currículo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.40, n.140, p. 587-604, maio/agosto, 2010.

ROCHA, M. A. B. et al. As teorias curriculares nas produções acerca da educação física escolar: uma revisão sistemática. Currículo sem Fronteiras, v. 15, p. 178-194, 2015.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991.

SILVA, T. T. (org.) O sujeito da educação: estudos foucaultiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

SOUZA JÚNIOR, M. A constituição dos saberes escolares na educação básica. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife: Ufpe, 2007.

SOUZA JÚNIOR M, SANTIAGO E, TAVARES M. Currículo e saberes escolares: ambiguidades, dúvidas e conflitos. Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 1, p. 183-196, jan-abr., 2011.

SOUZA JÚNIOR, M. et al. Coletivo de autores: a cultura corporal em questão. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 33, p. 391-411, 2011.

TYLER, R W. Princípios básicos de currículo e ensino. Rio de Janeiro: Globo, 1974.

VEIGA-NETO, A. (org.) Crítica pós-estruturalista e educação. Porto Alegre: Sulina, 1995.

YOUNG, M. Knowledge and control: new directions for the sociology of education. Londres: Collier-Macmillan, 1971.

ZANLORENZI, M. J.; LIMA, M. F. Uma análise histórica sobre a elaboração e divulgação dos PCN no Brasil. In: Anais do VIII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas, 2009, Campinas-SP. Anais do VIII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas, 2009.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n48p188



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA