A Educação Física na BNCC: procedimentos, concepções e efeitos

Autores

  • Marcos Garcia Neira Universidade de São Paulo (USP)
  • Marcílio Souza Júnior Universidade de Pernambuco (UPE)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n48p188

Palavras-chave:

Currículo, Educação Física, Política Educacional

Resumo

Na tentativa de atender às demandas sociais surgem políticas públicas que vislumbram orientar a construção de propostas curriculares para os sistemas e unidades educacionais. Dentre elas, destaca-se a construção de uma Base Nacional Curricular Comum, conduzida pelo Ministério de Educação em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Educação e a União dos Dirigentes Municipais de Educação. Como participantes do processo de elaboração das duas versões preliminares que vieram à baia do debate público, pretendemos contribuir com a reflexão acerca do componente Educação Física e registrar um olhar sobre os bastidores do processo. Assim, procuramos dar visibilidade aos procedimentos para elaboração do documento, às concepções que nortearam os trabalhos e aos efeitos que se espera causar.

Biografia do Autor

Marcos Garcia Neira, Universidade de São Paulo (USP)

Livre-Docente em Metodologia do Ensino de Educação Física. Professor Titular da Faculdade de Educação da USP. Coordenador do Grupo de Pesquisas em Educação Física escolar da FEUSP (www.gpef.fe.usp.br)

Marcílio Souza Júnior, Universidade de Pernambuco (UPE)

Pós-Doutor em Educação pela FEUSP. Livre docente pela UPE. Professor da Graduação e Pós-Graduação em Educação Física na ESEF-UPE. Membro do Grupo de Estudos Etnográficos em Educação Física e Esporte.

Referências

ALTHUSSER, L. Aparelhos ideológicos de Estado. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

ALVES, N. Sobre a possibilidade e a necessidade curricular de uma base nacional comum. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03 p. 1464 – 1479 out./dez. 2014.

APPLE, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982

BAUDELOT, C.; ESTABLET, R. Escuela capitalista. México: Siglo XXI, 1980.

BOBBIT, J. F. O currículo. Lisboa: Plátano, 2004.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BOWLES, S.; GINTIS, H. La instrucción escolar en la America capitalista. México: Siglo XXI, 1981.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

________. Base Nacional Comum Curricular. 2ª versão. Brasília: MEC, 2016.

CAPARROZ, F. E. Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação Física. In: BRACHT, V.; CRISÓRIO, R. (Orgs.). A educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas, SP: Autores Associados; Rio de Janeiro: Prosul, 2003.

DEWEY, J. A escola e a sociedade e a criança e o currículo. Relógio D'Água, 2002.

FABRIS, E. H. Holywood e a produção de sentidos sobre o estudante. In: COSTA, M. V. (Org.) Estudos culturais em educação: mídia, arquitetura, brinquedo, biologia, literatura, cinema... Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000.

GRAMORELLI, L. C. A cultura corporal nas propostas curriculares estaduais de Educação Física: novas paisagens para um novo tempo. 2014. Tese. (Doutorado em Educação). Universidade de São Paulo, 2014.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

LOPES, A. C.; Macedo, E. O pensamento curricular no Brasil. In A. C. Lopes, & E. Macedo (Orgs.). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2002.

MACEDO, E. Base Nacional Curricular Comum: novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para a educação. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03 p. 1530-1555 out./dez. 2014.

MACHADO, R. B.; LOCKMAN, K. Base Nacional Comum, escola, professor. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 12, n. 03, p. 1591-1613, out./dez. 2014

MOREIRA, A. F. B.; SILVA, T. T. (org.) Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1994.

NEIRA, M. G. Ensino de Educação Física. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

________. Análise dos currículos estaduais de Educação Física: inconsistências e incoerências. Cadernos CENPEC, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 233-254, jul-dez., 2015.

________. O currículo cultural da Educação Física: por uma pedagogia das diferenças. In: NEIRA, M. G.; NUNES, M. L. F. (Org.). Educação Física cultural: por uma pedagogia da(s) diferença(s). Curitiba: CRV, 2016,

PARAÍSO, M. A. Diferença no currículo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.40, n.140, p. 587-604, maio/agosto, 2010.

ROCHA, M. A. B. et al. As teorias curriculares nas produções acerca da educação física escolar: uma revisão sistemática. Currículo sem Fronteiras, v. 15, p. 178-194, 2015.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1991.

SILVA, T. T. (org.) O sujeito da educação: estudos foucaultiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

SOUZA JÚNIOR, M. A constituição dos saberes escolares na educação básica. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife: Ufpe, 2007.

SOUZA JÚNIOR M, SANTIAGO E, TAVARES M. Currículo e saberes escolares: ambiguidades, dúvidas e conflitos. Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 1, p. 183-196, jan-abr., 2011.

SOUZA JÚNIOR, M. et al. Coletivo de autores: a cultura corporal em questão. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 33, p. 391-411, 2011.

TYLER, R W. Princípios básicos de currículo e ensino. Rio de Janeiro: Globo, 1974.

VEIGA-NETO, A. (org.) Crítica pós-estruturalista e educação. Porto Alegre: Sulina, 1995.

YOUNG, M. Knowledge and control: new directions for the sociology of education. Londres: Collier-Macmillan, 1971.

ZANLORENZI, M. J.; LIMA, M. F. Uma análise histórica sobre a elaboração e divulgação dos PCN no Brasil. In: Anais do VIII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas, 2009, Campinas-SP. Anais do VIII Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas, 2009.

Downloads

Publicado

2016-09-21

Edição

Seção

Seção Temática