Inspirações freirianas e Educação Física escolar: a organização do currículo em uma comunidade de aprendizagem brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e56430

Palavras-chave:

Educação física escolar, Comunidade de aprendizagem, Educação libertadora

Resumo

Paulo Freire é um autor que influencia educadores/as progressistas nos mais diversos espaços, como as Comunidades de Aprendizagem (CA), que começam a surgir e a se destacar no Brasil e na América do Sul. Objetivamos entender como a obra freiriana foi interpretada na construção do currículo de Educação Física (EF) de uma CA com o intuito de refletir a respeito de possíveis aproximações entre esse ideário e as bases filosófico/pedagógicas do componente curricular. O método consistiu em analisar e interpretar o referencial teórico do documento curricular da CA buscando identificar ideias freirianas presentes nele. O resultado da análise mostra que o currículo da EF visa ao desenvolvimento de senso crítico dos/das estudantes a partir da interpretação da cultura corporal de movimento e que existe a ideia de que é importante ser fisicamente ativo para efetivar uma postura cidadã na sociedade.

Biografia do Autor

Valdilene Aline Nogueira, Universidade de Guarulhos

Mestre em Educação Física pela Universidade São Judas. Docente do curso de graduação em Educação Física da Universidade de Guarulhos.

Daniel Teixeira Maldonado, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo.

Doutor pela Universidade São Judas Tadeu e professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo.

Sheila Aparecida Pereira dos Santos Silva, Universidade São Judas

Doutora em Educação pela PUC. Foi docente dos cursos de Mestrado e Doutorado em Educação Física da Universidade São Judas

Marcos Garcia Neira, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Livre-Docência em Metodologia do Ensino de Educação Física. É Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, atua nos cursos de graduação e pós-graduação, orienta pesquisas em nível de iniciação científica, mestrado e doutorado, e supervisona pesquisas de pós-doutorado.

Referências

ANASTASIOU, L. Metodologia do ensino superior: da prática docente a uma possível teoria pedagógica. IBPEX Autores Associados, 1998.

ÂNCORA, Currículo da Educação Física, In: QUADROS, F. Pra não virar bocó: Retratos da Ensinagem da Educação Física. Monografia de graduação, UNICAMP - Campinas – SP, 2014.

APPLE, M.; AU, W.; GANDIN, L. A. Educação crítica: análise internacional. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BRACHT, V. A Constituição das Teorias Pedagógicas em Educação Física. Caderno Cedes, Campinas, ano XIX, n. 58, p. 69 – 88, 1999.

________. BRACHT, V. Educação Física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992.

BRACHT, V; CAPARROZ, F. E.; DELLA FONTE, S. S.; FRADE, J. C.; PAIVA, F.; PIRES, R. Pesquisa em ação. 3ª ed. Ijuí: Unijuí, 2007.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 7ª ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

CALLEJA, J. M. R., Os professores deste século. Algumas reflexões. Revista Institucional Universidad Tecnológica Del Chocó, v. 27, n. 1, p. 109-117, 2008.

CAPLLONCH, M; FIGUERAS, S. Educación física y comunidades de aprendizaje. Estudios pedagógicos (Valdivia), v. 38, n. ESPECIAL, p. 231-247, 2012.

CATELA, H. Comunidades de aprendizagem: em torno de um conceito. Revista de educação, v. 18, n. 2, p. 31-45, 2011.

CORREIA, M. S.; MIRANDA, M. L. de J.; VELARDI, M. A prática da educação física para idosos ancorada na pedagogia freireana: reflexões sobre uma experiência dialógica-problematizadora. Movimento. Porto Alegre, v. 17, n. 4, p. 281-297, 2011.

DEWEY, J. A escola e a sociedade. A criança e o currículo. Lisboa: Relógio D’Água, 2002.

FRANÇOSO, S.; NEIRA, M. G. Contribuições do legado freireano para o currículo da Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 36, n. 2, 2014.

FREIRE, P. Educação: o sonho possível. Obra de Paulo Freire; Série Capítulos, 1982.

________. Pedagogia do Oprimido. 17ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra., 1987.

________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

________. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 12ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P.; NOGUEIRA, A. S. Que fazer: teoria e prática em educação popular. Obra de Paulo Freire; Série Livros, 1989.

GOODSON, I. F. Currículo: teoria e história. 4ª ed. São Paulo: Editora Vozes, 2001.

HERNÁNDEZ, F.; VENTURA, M. A organização do currículo por projetos de trabalho. O conhecimento é um caleidoscópio. 5ª ed., Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

HABERMAS, J. Teoria de la Acción Comunicativa: racionalidad de la acción y racionalización social. Vol.1. Madrid: Taurus, 1987.

KILPATRICK, W. R. Educação para uma civilização em mudança. 12ª ed. São Paulo: Melhoramentos, 1974.

KUNZ, E. Educação Física: ensino e mudanças. Ijuí: Unijuí, 1991.

________. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 1994.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítica-social dos conteúdos. 8ª ed. São Paulo: Loyola, 1989.

MEDINA, J. P. S. A Educação Física cuida do corpo...e “mente”: bases para a renovação e transformação da Educação Física. Campinas: Papirus, 1983.

NOGUEIRA, V. A. A Pedagogia da Educação Física: diálogos e reflexões em uma Comunidade de Aprendizagem. Dissertação de Mestrado. Universidade São Judas Tadeu: São Paulo, 2016.

NUNES, M. L. F; RÚBIO, K. O Currículo(s) da Educação Física e a constituição da identidade de seus sujeitos. Currículo sem fronteiras, v. 8, n. 2, p. 55-77, 2008.

RAMÓN S.; RUTH J., Education for social change? A Freirean critique of sport for development and Peace, 2014. Physical Education and Sport Pedagogy, v. 18, n. 4, p. 442-457, 2013.

SÃO PAULO. O menino popular e a Educação Física. Secretaria Municipal de Educação: DOT, 1990.

SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E.; CASTELLANI FILHO, L.; ESCOBAR, M.O.; BRACHT, V. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. Artmed Editora, 2009.

VENTORIM, S. Caracterização do esporte segundo a orientação didático-pedagógica da teoria de Paulo Freire. Motrivivência, v. XI, n. 14, p. 187-198, 2000.

Downloads

Publicado

2019-07-30

Edição

Seção

Porta Aberta