A cultura de paz na percepção dos professores de Educação Física de uma escola da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul

Autores

  • José Paulo Reichenbach Centro Universitário Internacional - UNINTER
  • Denise Grosso da Fonseca Uiversidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n48p331

Resumo

Em resposta à violência, tanto autoridades quanto a própria população parecem crer na repressão como única possibilidade. Assim, o presente trabalho objetiva compreender como o professor de Educação Física percebe a promoção da cultura de paz, no ambiente escolar. Partimos de um referencial teórico que analisa o fenômeno violência, a violência escolar e suas nuances. E depois, adentrarmos ao tema da Promoção da Cultura de Paz, a partir de uma linha de pensamento que acredita que, se a cultura da violência se constrói cultural e socialmente, a cultura de paz também pode vir a ser construída, a partir de ações intencionalmente planejadas. Valemo-nos da pesquisa qualitativa, que usa como instrumentos de coleta de dados a entrevista, as observações de campo e a análise do projeto político pedagógico. Constatamos que os professores são conhecedores da Cultura de paz, mas que ações objetivas e intencionais nessa direção, ainda, não são desenvolvidas.

Biografia do Autor

José Paulo Reichenbach, Centro Universitário Internacional - UNINTER

Pós-graduando em Organização do Trabalho Pedagógico:orientação, supervisão e gestão escolar.

Uninter

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil

 

Autor José Paulo Reichenbach

zepaulop@outlook.com

R. Demétrio Ribeiro 715/202

Centro Histórico - Porto Alegre - RS - BR

90010310

Fone: 051 97926873

 

 

 

Denise Grosso da Fonseca, Uiversidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Denise Grosso da Fonseca

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

 

Referências

ABRAMOVAY, Mirian; RUA, Maria das Graças. Violência nas escolas. Brasília: Unesco, 2003.

AQUINO, Júlio Groppa. A violência escolar e a crise da autoridade docente. Caderno Cedes, Campinas, v. 19, n. 47, p. 7–19, dez. 1998.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BOFF, Leonardo. Virtudes para um outro mundo possível: convivência, tolerância e respeito. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

BOSSLE, Fabiano; MOLINA NETO, Vicente. No “olho do furacão”:Uma autoetnografia em uma escola da rede municipal de ensino de porto alegre. Rev. Bras. Cienc. Esporte, Campinas, v. 31, n. 1, p. 131-146, setembro, 2009.

BOURDIEU, Pierre. Esboço de uma teoria da prática. In. ORTIZ, Renato. Sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. 3 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

BRASIL. Ministério Da Saúde. Violência faz mal à saúde. Brasília, 2004.

CORREA, Rosângela Azevedo. Cultura, educação para, sobre e na paz. In: MILANI, Feizi Masrour; JESUS, Rita de Cássia Dias Pereira de. Cultura de paz: estratégias, mapas e bússulas. Salvador: Edições Inpaz, 2003. p. 98-141.

DUSI, Miriam Lúcia Herrera Masotti; ARAÚJO, Claisy Maria Marinho de; NEVES, Marisa Maria Brito da Justa. Cultura da paz e psicologia escolar no contexto da instituição educativa. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 9, n. 1, p. 135-145, jun. 2005.

FILHO, Ciro Marcondes. Violência fundadora e violência reativa na cultura brasileira. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, v15, n2, p.20- 27, abr/jun, 2001.

FREIRE Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

HUNTER, James C. O monge e o executivo: uma história sobre a essência da liderança. 2 ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2004

LA TAILLE, Yves de. Turista ou peregrino. Campinas, jul. 2013. Disponível em: http://vimeo.com/71441803>. Acesso em: 12 ago. 2014.

LANDIM, Maria Neide de Souza; ARAÚJO, Paulo Sérgio Medeiros de. A temática da violência escolar na percepção dos professores. Fortaleza - Ceará, 2013. Disponível em: <http://professorvirtual.org/site/wp-content/uploads/sites/2/2013/12/Artigo-Ne...pdf>. Acesso em: 8 set. 2014.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 22. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

LUZ, Araci Asinelli da. Planejando a cultura de paz e a prevenção da violência na escola. In: MILANI, Feizi Masrour; JESUS, Rita de Cássia Dias Pereira de. Cultura de paz: estratégias, mapas e bússulas. Salvador: Inpaz, 2003. p. 159 - 171.

MARIOTTI, Humberto. Diálogo: um Método de Reflexão Conjunta e Observação Compartilhada da Experiência. Thot, São Paulo, n. 76, p. 6-22, 2001.

MILANI, Feizi. Cidadania: construir a paz ou aceitar a violência? In: Cidadania mundial: a base da paz. FREITAS, M. (org.). Planeta Paz. Mogi Mirim, São Paulo. 2000.

MILANI, Feizi. Cultura de paz x violências: papel e desafios da escola. In: MILANI, Feizi Masrour; JESUS, Rita de Cássia Dias Pereira de. Cultura de paz: estratégias, mapas e bússulas. Salvador: Inpaz, 2003. p. 31 - 62.

MILANI, Feizi. Violências x cultura de paz: a saúde e cidadania do adolescente em promoção. 197 f. Tese (Doutorado). Instituto de saúde coletiva, UFBA, Salvador, 2004.

MINAYO, Maria Cecília de Souza et al. Conceitos, teorias e tipologias de violência. In: NJAINE, Kathie; ASSIS, Simone Gonçalves de; CONSTANTINO, Patrícia. (Org.). Impactos da violência na saúde. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2013. v. 1, p. 21-42.

MUÑOZ, Manuel Alfonso Díaz. Violência e escola: o desafio ético de educar para a paz. Cultura e Comunidade, Belo Horizonte, v. 8, n. 14, p. 280-295, jul./dez. 2013.

NETTO-MAIA, Luciana de Lourdes Queiroga et. al. O professor também vivência a violência escolar? Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, v. 3, n. 3, p. 797-803, set/dez. 2013.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos da Criança. 1959. [site]. Disponível em: < http://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10120.htm>. Acesso: 17 nov.2014

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração sobre os direitors dos povos à paz. Assembléia geral. nº 39/11. 12 de novembro de 1984. [site]. Disponível em: < http://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10120.htm>. Acesso: 17 nov.2014

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração sobre uma cultura de paz. nº 53/243, 1999. [site]. Disponível em: < http://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10120.htm>. Acesso: 17 nov.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. [Site]. Disponível em: <http://www.unesco.org.br/programas/index.html>. Acesso em: 08 set. 2014.

SEBASTIÃO, João; ALVES, Mariana Gaio; CAMPOS, Joana. Violência na escola: das política ao cotidiano. Sociologia, Problemas e Práticas, Oeiras, n. 41, p. 37-62, jan. 2003 .

SILVA, Aida Maria Monteiro. A violência na escola: a percepção dos alunos e professores. Diálogo, São Paulo, p. 10-14, 30 jun. 1997.

SPOSITO, Maria Pontes. A instituição escolar e a violência. Caderno de Pesquisa, São Paulo, v. 104, p. 58-75, 1998.

VIANA, Nildo. Violência e escola. In. VIANA, Nildo et. al. Educação, cultura e sociedade: abordagens críticas na escola. Goiânia: Germinal, 2002.

WAISELFISZ, Júlio Jacobo. Homicídios e juventude no Brasil. Rio de Janeiro: Secretaria Geral da Presidência, 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATIO. World reporton violence and health. Geneva: WHO; 2002.

Downloads

Publicado

2016-09-21

Edição

Seção

Artigos Originais