O estágio curricular supervisionado na formação inicial para a docência: as significações dos estagiários como atores do processo

Camila Rinaldi Bisconsini, Amauri Aparecido Bássoli de Oliveira

Resumo


A pesquisa teve por objetivo analisar o papel do estágio curricular supervisionado na formação inicial de professores, na perspectiva discente. A pesquisa é descritiva e de característica qualitativa. Teve como instrumento para coleta de dados um questionário com questões fechadas e abertas. Participaram 130 discentes de seis cursos de licenciatura de uma Instituição de Ensino Superior pública do Paraná. Os resultados apontam um processo de alta complexidade quanto à estrutura e ao desenvolvimento do estágio curricular supervisionado. Os discentes esperavam que os componentes curriculares estabelecessem maior proximidade com as exigências para o exercício da profissão docente. Não se evidenciou uma articulação adequada entre os atores envolvidos no processo.  


Palavras-chave


Estágio supervisionado; Formação docente; Ensino; Saberes

Texto completo:

PDF/A

Referências


ASSIS, R.M. de; BONIFÁCIO, N.A. A formação docente na universidade: ensino, pesquisa e extensão. Educação e Fronteiras, v.1, n.3, p.36-50, 2011.

AYOUB, E.; PRADO, G. do V.J. Estágios curriculares na formação de professores de educação física: abordagens interdisciplinares. In: II Congresso Internacional de Formação Profissional em Educação Física e VI Semana de Estudos e Pesquisas em Formação Profissional no Campo da Educação Física, 2012, Florianópolis, Anais... Florianópolis, 2012. p.1197-1211. 1 CD-ROM.

BIANCHI, A.C. de M.; ALVARENGA, M.; BIANCHI, R. Manual de orientação: estágio supervisionado. São Paulo: Pioneira, 1998.

BORGES, C. A formação dos docentes de Educação Física e seus saberes profissionais. IN: BORGES, C.; DESBIENS, J-F. (Org.). Saber, formar e intervir para uma educação física em mudança. Tradução: Amin Simaika. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. p.157-190.

BRANDL NETO, I.; et al. A importância do estágio supervisionado na formação inicial do professor de educação física. In: II Congresso Internacional de Formação Profissional em Educação Física e VI Semana de Estudos e Pesquisas em Formação Profissional no Campo da Educação Física, 2012, Florianópolis, Anais... Florianópolis, 2012. p.1007-1021. 1 CD-ROM.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, v.134, n.248, 23 dez. 1996. Seção 1, p.2783427841, 1996.

_____. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP 009/2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de Licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 2001.

_____. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP 28/2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 2001.

______. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 02 de 19 de fevereiro de 2002. Brasília, DF, 2002.

_____. Resolução 2, de 1 de julho de 2015. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Brasília, 2015.

CARVALHO, A.M.P.D. de. As influências das mudanças da legislação na formação dos professores: as 300 horas de estágio supervisionado. Ciência e Educação, v.7, n.1, p.113-122, 2001. Disponível em: . Acesso em: 24 ago. 2012.

DINIZ-PEREIRA, J.E. O ovo ou a galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v.92, n.230, p.34-51, 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2014.

GAL-PETITFAUX, N. Saberes e ação situados: uma análise das práticas de ensino de educação física. IN: BORGES, C.; DESBIENS, J-F. (Org.). Saber, formar e intervir para uma educação física em mudança. Tradução: Amin Simaika. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. p.113-137.

GARCEZ, E.S. da C. et al. O Estágio Supervisionado em química: possibilidades de vivência e responsabilidade com o exercício da docência. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.5, n.3, p.149-163, 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2012.

GHEDIN, E.; ALMEIDA, M.I. de.; LEITE, Y.U.F. Formação de professores: caminhos e descaminhos da prática. Brasília: Líber Livro, 2008.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

KRUG, H.N. Os problemas/dificuldades na prática pedagógica nos estágios curriculares I-II-III na percepção dos acadêmicos na Licenciatura em educação física do CEFD/UFSM. EFDeportes.com, v.16, n.158, p. s/d, 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2012.

LIBÂNEO, J.C. Didática. 28. reimpr. São Paulo: Cortez, 1990.

MOLETTA, A.F. et al. Momentos marcantes do estágio curricular supervisionado na formação de professores de educação física. Pensar a Prática, v.16, n.3, p.619-955, 2013.

MORANDINO, M. A prática de ensino nas Licenciaturas e a pesquisa em ensino de ciências: questões atuais. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.20, n.2, p.168-193, ago. 2003. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2012.

OLIVEIRA, A.S. de.; BUENO, B.O. Formação às avessas: problematizando a simetria invertida na educação continuada de professores. Educação e Pesquisa, v.39, n.4, p.875-890, 2013.

PIMENTA, S.G.; LIMA, M.S.L. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.

RAMOS, G.N.S. Os estágios extracurriculares na preparação profissional em Educação Física. Movimento e Percepção, Espírito Santo, v.1, p.127-141, 2002. Disponível em: . Acesso em: 14 nov. 2012.

SANTOS, B. de S. Porque é tão difícil construir uma teoria crítica? Revista Crítica de Ciências Sociais, v. s/d, n.54, 1999. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2012.

TRIVIÑOS, A.N.S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2011.

VALSECCHI, E.A. de S. da S.; NOGUEIRA, M.S. Comunicação professor-aluno: aspectos relacionados ao estágio supervisionado. Revista Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, PR, v.1, n.1, p.137-143, 2002. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2012.

VIEIRA, A.O.; SANTOS, W. dos; FERREIRA NETO, A. Tempos de escola: narrativas da formação discente ao ofício docente. Movimento, Porto Alegre, v.18, n.3, p.119-139, jul./set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2012.

ZANK, V.; et al. O curso de especialização em docência para a educação profissional: inovando para formar, formando para inovar. Competência, v.4, n.1, p.11-26, 2011.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2016v28n48p347



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA