As equipes colaboradoras do programa segundo tempo e suas contribuições para o desenvolvimento de uma política de esporte educacional

Fernando Augusto Starepravo, Ieda Parra Barbosa Rinaldi, Juliana Pizani, Taiza Daniela Seron, Roseli Terezinha Selicani Teixeira, Amauri Aparecido Bássoli de Oliveira

Resumo


 

Este estudo do tipo descritivo objetivou analisar o funcionamento das Equipes Colaboradoras (ECs), evidenciando as possibilidades e os limites do processo de acompanhamento pedagógico e administrativo. Utilizamos questionários aplicados a 75 integrantes do Programa Segundo Tempo, que foram analisados por meio de análise estatística simples e de conteúdo. Segundo os participantes da pesquisa, o bom funcionamento das ECs se dá pela sua interação com o convênio, acontecendo a partir das seguintes experiências: capacitações, correções de projetos pedagógicos de núcleo, avaliações in loco; e intervenções junto ao coordenador do convênio, como contato via e-mail e telefone, reunião e relações pessoais.


Palavras-chave


Esporte; Educação; Políticas públicas

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2012v24n39p129



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA