Futebol e migração: a perspectiva dos treinadores brasileiros no exterior

Autores

  • Diego Ramos do Nascimento Centro Universitário Brasileiro, Uniabeu Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0001-7393-5200
  • Carlos Henrique de Vasconcellos Ribeiro Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) - RJ.
  • Erik Giuseppe Barbosa Pereira Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro http://orcid.org/0000-0001-8129-4378

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e59846

Palavras-chave:

Esporte, Futebol, Migração

Resumo

O fluxo migratório nos esportes é definido como o movimento entrada/saída de atletas entre países. Causas e consequências são mutáveis e definidas de acordo com características globais. Apesar de sua importância no esporte, os treinadores não possuem o mesmo peso nesse processo. O objetivo desse estudo foi compreender a visão dos treinadores sobre o fluxo migratório no futebol. Trata-se de um estudo observacional de característica qualitativa. Entrevistas semiestruturadas sobre questões inerentes ao fluxo migratório foram realizadas com 2 treinadores brasileiros de experiência internacional. Para análise dos dados nos apoiamos na Análise de Conteúdo proposta por Bardin. Concluímos que a visão dos treinadores sobre o fluxo migratório no futebol brasileiro tem aspectos diferentes dos atletas. As motivações foram o desafio profissional e novas oportunidades. Aspectos socioculturais foram as principais dificuldades. Além disso, uma possível segregação política, falta de resultados expressivos e ausência das licenças específicas fecham portas internacionais para treinadores brasileiros.

Biografia do Autor

Diego Ramos do Nascimento, Centro Universitário Brasileiro, Uniabeu Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrando em Educação Física pelo PPGEF / UFRJ. Participante do Grupo de Estudos em Corpo, Esporte e Sociedade, do GECOS e do Laboratório de Estudos do Corpo, Esporte e Sociedade, o LABCOESO, devidamente cadastrado pelo DGP do CNPq.

Carlos Henrique de Vasconcellos Ribeiro, Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) - RJ.

Professor da Rede Faetec/RJ. Em 2015 escreveu a APCN do Mestrado Profissional em Estudos do Esporte para a Universidade Santa Úrsula. Área de atuação e interesse estão relacionadas aos aspectos culturais, históricos e sociais das práticas corporais em seus diversos ambientes de intervenção. Tem experiência como pesquisador no exterior, tendo feito doutoramento sanduíche na Escócia (2003)

Erik Giuseppe Barbosa Pereira, Escola de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor efetivo da UFRJ, onde é líder do Grupo de Estudos em Corpo, Esporte e Sociedade, o GECOS e do Laboratório de Estudos Corpo, Esporte e Sociedade, o LAbCOESO. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Física Escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, sexualidades e metodologia da pesquisa qualitativa e metodologia do ensino e da aprendizagem do voleibol. 

Atuação e interesse estão relacionadas aos aspectos culturais, históricos e sociais das práticas corporais e culturais em seus diversos ambientes de intervenção.

http://lattes.cnpq.br/2639550563831479

Referências

ANTUNES, Fatima Martin Rodrigues Ferreira. Com brasileiros, não há quem possa! Futebol e identidade nacional em José Lins do Rego, Mário Filho e Nelson Rodrigues [online]. SciELO Books <http://books.scielo.org> Ed. UNESP, 2004.

Associação de Futebol da União Europeia. Treinadores e Formação. Acesso em: 30/08/2018. Disponível em: <https://pt.uefa.com/insideuefa/football-development/technical/coach-education/index.html>

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BATISTA, Maryssa de Oliveira Lima. Movimentos migratórios e a perda de nacionalidade dos jogadores de futebol. Trabalho de conclusão de curso submetido ao Programa de Graduação em Direito da Universidade Estadual da Paraíba para a obtenção do título de Bacharel em Direito. Paraíba. 2015.

BELLOS, Alex. Futebol: The Brazilian Way of Life - Updated Edition. Bloomsbury Publishing, London, UK, 2014.

CANETTIERI, Thiago. A importância do futebol como instrumento da geopolítica internacional. Revista de Geopolítica, v. 1, n. 2, p. 116-128, 2016.

COELHO, João Nuno.”Vestir a camisola” – jornalismo desportivo e a selecção nacional de futebol. Media & Jornalismo, v. 4, n. 4, p. 27-39, 2004.

Confederação Brasileira de Futebol. acessado em 08/08/2018 às 22:15.

Confederação Brasileira de Futebol (CBF). <https://www.cbf.com.br/cbfacademy/pt/licencas/> acessado em 13/08/2018 às 23:20.

DEMO, Pedro. Pesquisa e informação qualitativa: aportes metodológicos. 5ed. Campinas: Papirus, 2012.

DIMEO, Paul, RIBEIRO, Carlos Henrique Vasconcellos. I Am Not A Foreigner Anymore: A micro-sociological study of the experiences of Brazilian futsal players In European Leagues. Movimento, v. 15, n. 2, p. 33-44, 2009.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Zahar: Rio de Janeiro, 2000.

FERREIRA, Marcelo Ducati. Dentro e fora de campo: a relação entre o sucesso econômico dos clubes de futebol e as suas conquistas. Trabalho de Conclusão de Curso em Ciências Contábeis. UFRGS, Porto Alegre, 2014.

GALLINO, Luciano. Diccionario de Sociología. Buenos Aires. Siglo XXI Editores, 2005.

GASPARETTO, Thadeu Miranda. Internacionalização dos clubes de futebol do brasil. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, v. 3, n. 1, p. 51-63, jan/jun, 2013.

GASTALDO, Édison Luis. A pátria na “imprensa de chuteiras”: futebol, mídia e identidades brasileiras. In. GUEDES, Édison; GUEDES, Simoni Lahud. Nações em campo: Copa do Mundo e identidade nacional. Niterói: Intertexto, p. 87-102, 2006

GOMES, Paulo Cesar da Costa. A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. 1ª Ed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2002.

JUNIOR, João; VENANCIO, Rafael Duarte Oliveira. Estórias do futebol no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. XXIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste, Belo Horizonte, MG. 2018.

LOPES, José Sergio Leite. Considerações em torno das transformações do profissionalismo no futebol a partir da observação da Copa de 1998. Revista Estudos Históricos, v. 13, n. 23, p. 175-190, 1999

MAGUIRE, Joseph. Política o ‘Ética’: deporte, globalización, migración y políticas nacionales. Revista eletronica efdeportes. Buenos Aires, v.12, n. 111, p. 1-6, 2007. Disponível em http://www.efdeportes.com/efd111/deporte-globalizacion-migracion-y-politicas-nacionales.htm

PISANI, Mariane da Silva. Migrations and displacements of soccer players: merchandise that nobody buys? Esporte e Sociedade, v. 9, n. 23, 2014.

PISANI, Mariane da Silva. Poderosas do Foz: trajetórias, migrações e profissionalização de mulheres que praticam futebol. Dissertação submetida ao Programa de Pós Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina para a obtenção do Grau de Mestre em Antropologia Social. Florianópolis, 2012.

PONTES, Vanessa Silva et al. Migração no voleibol brasileiro: a perspectiva de atletas e treinadores de alto rendimento. Movimento, v. 24, n. 1, p. 187-198, 2018.

RIAL, Carmen. Jogadores brasileiros na Espanha: emigrantes porém... Revista de dialectología y tradiciones populares, v. 61, n. 2, p. 163-190, 2006.

RIAL, Carmen. Rodar: a circulação dos jogadores de futebol brasileiros no exterior. Horizontes antropológicos, v. 14, n. 30, p. 21-65, 2008.

SALAS, E. CANNON-BOWERS, J. JOHNSTON, J. How can you turn a team of experts into an expert team? Emerging training strategies. In: Zsambok C, Klein G. Naturalistic decision making: where are we now? Hillsdale: Lawrence Erlbaum; 1997, p.359-370.

SANTANA, Carlos Ribeiro. O aprofundamento das relações do Brasil com os países do Oriente Médio durante os dois choques do petróleo da década de 1970: um exemplo de ação pragmática. Revista Brasileira de Políticas Internacionais v. 49, n.2, p. 157-177, 2006.

SILVA, Roberto Nascimento Braga et al. Futebol e a construção da imagem de treinadores pela mídia: um estudo a partir das notícias de um site de grande visitação na web. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 36, n. 3, p. 648-655, 2014.

SOARES, Antonio Jorge Gonçalves et al. Jogadores de futebol no Brasil: mercado, formação de atletas e escola. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 33, n. 4, p. 905-921, out./dez. 2011.

SOCA, Dante Steffano. Deporte y migración: aportes para su comprensión desde el caso uruguayo. Revista da ALESDE, v. 2, n. 2, p. 33-43, 2012.

FREYRE, Gilberto. Sociologia: introdução ao estudo de seus princípios. Rio de Janeiro, José Olympio, 2ed. 1945.

SOUZA JUNIOR, Marcílio Barbosa Mendonça de; MELO, Marcelo Soares Tavares de; SANTIAGO, Maria Eliete. A análise de conteúdo como forma de tratamento dos dados numa pesquisa qualitativa em Educação Física escolar. Movimento. Vol.16, núm. 3, Jul-Set, 2010. p. 31-49. Rio Grande do Sul, Brasil.

TIESLER, Nina Clara. Diasbola: futebol e emigração portuguesa. Etnográfica. Revista do Centro em Rede de Investigação em Antropologia, v. 16, nº1, p. 77-96, 2012.

TIESLER, Nina Clara. Three types of transnational players: differing women's football mobility projects in core and developing countries. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 38, n. 2, p. 201-210, 2016.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. O positivismo; a fenomenologia; o marxismo. Atlas, 2015.

VALDERRAMA, Cristina Blanco Férnandez. Las migraciones sociales contemporáneas. Alianza editorial, Madrid, 2000.

WAGG, Stephen. «Anjos de todos nós?» os treinadores de futebol, a globalização e as políticas de celebridade. Análise social, n. 179, p. 347-369, 2006.

Downloads

Publicado

2019-09-24