Entre negacionismos e a entronização da ciência: a epistemologia como campo de possibilidades para a formação universitária (no campo da Educação Física)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2022.e89858

Palavras-chave:

Ciências, Educação física, Formação universitária

Resumo

O objetivo central deste texto é apresentar uma reflexão acerca de elementos complexos que se colocam de maneira intensa em nossos tempos: a entronização da ciência e a produção de narrativas negacionistas. Trabalho com a ideia de que a epistemologia poderia assumir um papel nevrálgico na possibilidade de qualificar a formação universitária, potencializando nossa capacidade de enfrentar, por um lado, a entronização das ciências, por outro, negacionismos carentes de fundamentação científica minimamente plausíveis. O texto se subdivide em três momentos. No primeiro, procuro abordar o paradoxo que vivemos na contemporaneidade, em que a produção da vida se dá entre negacionismos e cientificismos. No segundo, procuro evidenciar contribuições que a epistemologia poderia trazer, levando a discussão para o âmbito da formação universitária. Por fim, apresento nexos desta discussão com a Educação Física, um campo do conhecimento ainda recente, em fase de afirmação no amplo espectro acadêmico-científico contemporâneo.

Biografia do Autor

Ricardo Rezer, UFPel

Doutor em Educação Física (UFSC) Docente da ESEF/UFPel, Pelotas/RS, Brasil

Referências

FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. Atividade epistemológica. In: GONZÁLEZ, Fernando Jaime; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo (Org.). Dicionário crítico de Educação Física. 3ª. Ed. Ijuí: Unijuí, 2014.

FLECK, Ludwig. Gênese e Desenvolvimento de um Fato Científico: introdução à doutrina do estilo de pensamento e do coletivo de pensamento. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010.

KUHN, Thomas Samuel. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Perspectiva, 2013.

KUNZ, Elenor. Educação Física: ensino e mudanças. Ijuí: Unijuí, 1991.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Arte & Ensaios, 2(32). 2017. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993/7169. Acesso em 20 de dezembro de 2021.

POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo: Cultrix, 1975.

RECH, Júlia; REZER, Ricardo. A interdisciplinaridade como fenômeno complexo. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, 6(17). 2020. Disponível em http://natal.uern.br/periodicos/index.php/RECEI/article/view/2198. Acesso em 20 de dezembro de 2021.

REZER, Ricardo; MATSUÊ, Regina Yoshi. Paradoxos e contradições da interdisciplinaridade: reflexões críticas em um programa de pós-graduação da área interdisciplinar. Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar, 6(16). 2020. Disponível em: http://natal.uern.br/periodicos/index.php/RECEI/article/view/1605. Acessado em 20 de dezembro de 2021.

REZER, Ricardo. Tempos de epistemofobia? Epistemologia e prática pedagógica no campo da educação física brasileira. In: GALAK, E.; ATHAYDE, P. LARA, L. (Org.). Por uma epistemologia da educação dos corpos e da educação física. Natal - RN: EDUFRN, 2020, v. 1, p. 113-126.

REZER, Ricardo. Pedagogia das competências como princípio de organização curricular: “efeitos colaterais” para a educação superior. Educação (Santa Maria. Online), v. 45, p. 20, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/34008/html. Acesso em 20 de dezembro de 2021.

SOUSA SANTOS, Boaventura de. (Org.). Conhecimento prudente para uma vida decente: “Um discurso sobre as ciências” revisitado. São Paulo: Cortez, 2004.

SOUSA SANTOS, Boaventura de. O futuro começa agora: da pandemia à utopia. Lisboa: Edições 70, 2020.

ZILLES, Urbano. Fé e razão no pensamento medieval (Coleção Filosofia, 1), 2a edição, Porto Alegre, EDIPUCRS, 1996.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Edição

Seção

Seção Temática