Educação, relações etnicorraciais e decolonização na práxis de professores/as

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2019.e52614

Palavras-chave:

Formação de professores/as, Relações etnicorraciais, Decolonização

Resumo

Este artigo traz discussões teóricas a respeito da decolonialidade, colonialidade – em sua tríade poder, ser e saber – e racismos. Enfatizaremos a decolonialidade como epistemologia que rompe dualismos, compreende intersecções entre identidades sociais e analisa classificações etnicorraciais como pedra angular da colonialidade do poder, ou seja, fundamental para estruturar o sistema-mundo moderno/colonial/capitalista. Assim, traremos narrativas de professoras, que promovem debates sobre as colonialidades e racismos presentes em nossa sociedade. O artigo resulta de teses em elaboração com foco nas relações etnicorraciais na formação de professores/as. Ressaltamos que a práxis destes processos educativos é compreendida aqui como atitude decolonial e antirracista. Neste momento, trabalhamos com narrativas de duas professoras na interface com o pensamento de autores/as decoloniais e antirracistas.

Biografia do Autor

Elison Antonio Paim, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Maria (1986), mestrado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2005). Professor Adjunto I da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), lotado no Departamento de Metodologia de Ensino (MEN) do Centro de Educação. Tem experiência na área de História e Educação, com ênfase em Praticas de Ensino, Experiências de Ensino. Desenvolve trabalhos de Ensino, Pesquisa nos seguintes temas: estagio; formacao docente; experiencia, memória; fazer-se professor, historia; historiografia; ensino de historia, memória e patrimônio cultural.

Patrícia Magalhães Pinheiro, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha Sociologia e História da Educação - UFSC, participa dos grupos de pesquisa: Rastros: História, Memória e Educação, da Universidade São Francisco - SP e Patrimônio, Memória e Educação (PAMEDUC) da UFSC. Orientanda do Prof. Dr. Elison Antonio Paim. Endereço: Campus Reitor João David Ferreira Lima, s/n - Trindade, Florianópolis - SC, 88040-900; Telefone: (48); Email: patti_magalhaes@hotmail.com.

Josiane Beloni de Paula, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação, na linha Sociologia e História da Educação – UFSC, integrante dos grupos de pesquisa: Rastros: História, Memória e Educação, da Universidade São Francisco – SP, Patrimônio, Memória e Educação (PAMEDUC) da UFSC e Filosofia, Educação e Práxis Social (FEPráxiS) - do Núcleo de Estudos Paulo Freire - UFPel. Orientanda do Prof. Dr. Elison Antonio Paim. Bolsista CNPq. Endereço: Campus Reitor João David Ferreira Lima, s/n - Trindade, Florianópolis - SC, 88040-900; Telefone: (53) 98423-9201; Email: belonijbc@hotmail.com.

Referências

ANTONACCI, Maria Antonieta. Corpos negros em zonas de contato interculturais. In: VELLOSO, Mônica Pimenta. ROUCHOU, Joëlle. OLIVEIRA, Cláudia (Org.). Corpo: identidades, memórias e subjetividades. Rio de Janeiro: Mauad X, 2009.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, nº11. Brasília, maio - agosto de 2013, pp. 89-117.

BEATO, Joaquim. Um novo milênio sem racismo na Igreja e na sociedade. CENACORA, 1998.

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, 2002. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2002000100011 Acesso em: 20 de maio de 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17ª. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra. 1987.

GROSFOGUEL, Ramon. La opción decolonial: desprendimiento y apertura. Um manifiesto y un caso. Tabula Rasa, n.8, 2008, p. 243-282.

IANNI, O. O preconceito racial no Brasil. In: Estudos Avançados. São Paulo: USP, 2004. (Entrevista). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=0103-401420040001&lng=pt&nrm=iso Acesso em: 20 de maio de 2017.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder y clasificación social. Journal of world-systems research,v. 11, n. 2, 2000, p. 342-386.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidad-racionalidad. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/36091067/Anibal-Quijano-Colonialidade-eModernidade-Racionalidade Acesso em: 20 de maio de 2017.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de um concepto. In: CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. El giro decolonial. Reflexiones para uma diversidad epistêmica más Allá del capitalismo global, Colombia: Siglo del Homem Editores, p. 127-167, 2007.

MIGNOLO, Walter. Desobediência epistémica: retórica de la modernidad, lógica de la colonialidad, gramática de la descolonialidad. 1° ed. Buenos Aires: Del Signo, 2010.

MUNANGA, Kabengele. Mestiçagem como símbolo da identidade brasileira. In: SANTOS, Boaventura de Sousa e MENESES, Maria Paula (Orgs.) Epistemologia do Sul. São Paulo: Cortez: 2010.

MUNANGA, Kabengele. Superando o racismo na escola. 3. ed. Brasília: MEC/SEF, 2001.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito racial de marca e preconceito racial de origem. Sugestão de um quadro de referência para a interpretação. Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 19, n. 1, 2006, pp. 287-308.

OSÓRIO. R. G. Desigualdade racial e mobilidade social no Brasil: um balanço das teorias. In: THEODORO, M. (Org.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. Brasília; IPEA, 2008. (p. 65-96). Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/Livro_desigualdadesraciais.pdf Acesso em: 20 de maio de 2017.

PAIM, Elison Antonio. Para além das leis: o ensino de culturas e histórias africanas, afrodescendentes e indígenas como decolonização do ensino de História. In: MOLINA, Ana Heloisa; FERREIRA, Carlos Augusto Lima. Entre textos e contextos: Caminhos do ensino de História. Curitiba: Editora CRV: 2016.

PASSOS, Joana Célia. dos. Jovens Negros: trajetórias escolares, desigualdades e racismo. 29ª reunião anual da ANPED: Caxambu, 2006. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/29ra/trabalhos/trabalho/GT21-1846--Int.pdf Acesso em: 20 de maio de 2017.

PROGRAMA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Gênero e Raça – todos pela igualdade de oportunidades: teoria e prática. Brasília: MTb-a. Assessoria Internacional, 1998.

WALSH, Catherine. ¿Son posibles unas ciencias sociales/culturales otras? Reflexiones en torno a las epistemologias decoloniales. Nómadas. Revista Crítica de Ciencias Sociales y Jurídicas, Colômbia, n. 26, p. 102-113, abril 2007, p. 103.

Downloads

Publicado

2019-06-28

Edição

Seção

Dossiê A Decolonização da Pesquisa em Educação: Culturas Africanas, Afrobrasileiras e Indígenas