Alternativas epistêmicas emergentes na ciência e seu ensino a partir do sul global

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2021.e67902

Resumo

Este artigo apresenta as principais ideias dos estudos decoloniais desenvolvidos nas últimas décadas, na América Latina, assim como das Epistemologias do Sul, movimento que se consolida na Europa, mas que conta com reflexões de diferentes autores do sul global. Ambos os movimentos são paradigmas alternativos que instigam a ruptura da lógica colonial de que a ciência impera e questionam a imposição de valores às localidades subalternizadas pelas classes dominantes, apontando para a necessidade de uma mudança nos projetos epistêmicos sobre a produção e apropriação do conhecimento científico e das relações desse conhecimento com outros saberes. Posteriormente, o texto apresenta algumas asserções sobre a natureza da ciência embasadas nesses dois movimentos, discutindo suas implicações na ciência e seu ensino. O que se propõe nesse texto é a abertura para o diálogo crítico na luta por uma sociedade mais igualitária, justa e democrática, que busca romper com o patriarcalismo, com os efeitos da dominação colonial, o racismo e o capitalismo.

Biografia do Autor

Maíra Caroline Defendi Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC

Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina -UFSC

Irlan von Linsingen, Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC

Professor titular do Programa de Pós Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina -UFSC

Referências

ABRAHÃO, L. H. de L. A tese da incomensurabilidade teórica em Paul Feyerabend, dissertação de mestrado, Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2009.

AVELLANEDA, Manuel Franco; LINSINGEN, Irlan von. Um olhar para a educação científica e tecnológica a partir dos estudos sociais da CT latino-americanos: abrindo novas janelas para a educação, in KREIMER, Pablo; VESSURI, Hebe; VELHO, Léa; ARELLANO, Antonio (Coordinadores). Perspectivas Latinoamericanas en el Estudio Social de la Ciencia, la Tecnología y la Sociedad. México: Siglo XXI Editores: Foro Consultivo Científico y Tecnológico, 2014, p. 505-518.

AYRES, Anna Carolina e ANDRADE, Marcelo. Didática do Ensino de Ciências: como as concepções de Ciências influenciam as práticas pedagógicas? Trabalho apresentado na 33ª Reunião Anual da ANPEd. Programa e resumos. ANPEd. 2010. Disponível em: http://www.anped.org.br Acesso em: 15 de setembro de 2018.

AZIBEIRO, Nadir Esperança. ModernidadeColonialidade ocidental e a produção subalterna do outro. Pro-Posições, v. 18, n. 2 (53) - maio/ago. 2007

BALLESTRIN, L. América Latina e o giro decolonial. Rev. Bras. Ciênc. Polít. no.11 Brasília May/Aug. 2013 Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-33522013000200004&script=sci_arttext Acesso em 28 jul. 2020.

BERNARDINO-COSTA, J; GROSFOGUEL, R. Decolonialidade e perspectiva negra. Revista Sociedade e Estado – Volume 31 Número 1 Janeiro/Abril 2016.

CASSIANI, Suzani; LINSINGEN, Irlan von . Resistir, (Re) Exisitir e Reinventar a Educação Científica e Tecnológica. 1. ed. Florianópolis: Núcleo de Publicações da UFSC, 2019. v. 1. 401p. Disponível em: https://nup.ced.ufsc.br/files/2019/08/Ebook-PPGECT_Suzani-com-401-p%C3%A1ginas.pdf Acesso em 09 ago. 2020.

CASTRO-GÓMEZ, S., GROSFOGUEL, R. El giro descolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global, Bogotá, Siglo del Hombre Editores, 2007.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. Lisboa: Sá da Costa, 1978.

CHALMERS, Alan F. O que é ciência afinal? Tradução: Raul Filker: 1ª. Ed. – São Paulo: Brasiliense, 1993.

DILGER, Gerhard; LANG, Miriam; PEREIRA FILHO, Jorge. (Orgs). Descolonizar o imaginário: debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo, 2016.

DUSSEL, Enrique. 1492 O encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade: Conferência de Frankfur: tradução Jaime A. Clasen- Petroólis, RJ: Vozes, 1993.

FANON, Frantz. Os condenados da Terra. Minas Gerais: Editora UFJF, 2010.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Bahia: Editora Edufba, 2008.

FEYERABEND, Paul Karl. Contra o Método. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

FEYERABEND, P. Explanation, Reduction and Empiricism. Minnesota Studies in the Philosophy of Science vol. III: Scientific Explanation, Space, and Time. H. FEIGL & G. MAXWELL (Eds.). Minneapolis: University of Minnesota Press, 1962. p. 28-96.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa, 30.ed., São Paulo, Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido (17a ed.). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GERMANO, Marcelo Gomes. Uma nova ciência para um novo senso comum. Campina Grande: EDUEPB, 2011. 400 p.

GROSFOGUEL, R Dilemas dos estudos étnicos norte-americanos:multiculturalismo identitário, colonização disciplinar e epistemologias decoloniais. In: Ciência e cultura. São Paulo: v. 59, n. 2, p. 32-35, 2007.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista crítica de ciências sociais, n.80, p. 115-147, 2008.

HALL, Stuart. Da diáspora: Identidades e mediações culturais. Organização Liv Sovik; Tradução Adelaine La Guardia Resende et alii. Belo Horizonte: Editora UFMG; Brasília: Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

KUHN, T. A Estrutura das Revoluções Científicas. Tradução de Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. São Paulo: Editora Perspectiva, 1962/2001.

LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Colección Sur Sur, CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. setembro 2005.

LANDER, Edgardo. Com o tempo contado: Crise civilizatória, limites do planeta, ataques à democracia e povos em resistência. In DILGER, Gerhard; LANG, Miriam; PEREIRA FILHO, Jorge. (Orgs). Descolonizar o imaginário: debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo, 2016, p. 214-253.

LINSINGEN, I. Perspectiva educacional CTS: aspectos de um campo em consolidação na América Latina. Ciência & Ensino (UNICAMP), v. 1, p. 01-16, 2007.

MENESES, Maria Paula. Diálogos de saberes, debates de poderes: possibilidades metodológicas para ampliar diálogos no Sul global, Em Aberto, 27, 91, 90-110, 2014

MENESES, Maria Paula. A questão da 'Universidade Pública' em Moçambique e o desafio da abertura à pluralidade de saberes, in Cruz e Silva, T., Araújo, M. G.; Cardoso, C. (org.), Lusfonia em África: história, democracia e a interrogação africana. Dakar: Codesria, 2005.

MIGNOLO, Walter. Histórias Globais/projetos Locais. Colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

OLIVEIRA, M. C. D.; LINSINGEN, I. V. Reflexões acerca da educação CTS Latino-americana a partir das discussões do grupo de pesquisa DICITE da UFSC. In: CASSIANI, Suzani; LINSINGEN, Irlan von. (Orgs.). Resistir, (re)existir e (re)inventar a educação científica e tecnológica. 1ed. Florianópolis: NUP/CED/UFSC, 2019, v. 1, p. 178-193.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder e classificação social In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

RAMOS, Fernanda Peres; NEVES, Marcos Cesar Danhoni; CORAZZA Maria Júlia. A ciência moderna e as concepções contemporâneas em discursos de professores-pesquisadores: entre rupturas e a continuidade, Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias Vol 10, Nº 1, 84-108, 2011.

RIBEIRO, Simone. S. ; GIRALDI, Patricia. M. ; CASSIANI, Suzani. As não ausentes: Olhar interseccional para a ecologia de saberes. Revista Fórum Identidades, v. 30, p. 131-150, 2019. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/forumidentidades/article/view/13506 Acesso em 07 ago. 2020.

RODRIGUES, Victor Augusto Bianchetti; VON LINSINGEN, Irlan; CASSIANI, Suzani. Formação cidadã na educação científica e tecnológica: olhares críticos e decoloniais para as abordagens CTS. Educação e Fronteiras, Dourados, v. 9, n. 25, p. 71-91, abr. 2019. ISSN 2237-258X. Disponível em: <http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/11012>. Acesso em: 07 ago. 2020.

SAGAN, C. O Mundo Assombrado pelos Demônios. A Ciência Vista como uma Vela no Escuro. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2009.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs.) Epistemologias do Sul. S. Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estud. - CEBRAP no.79 São Paulo Nov. 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula; NUNES, João Arriscado. Para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistémica do mundo. In: SANTOS, B. S. (Org.). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 25-68.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Toward a new common sense: law, Science and politics in the paradigmatic transition. Nova Iorque: Routledge, 1995.

WALSH, Catherine. Interculturalidad Crítica/Pedagogia decolonial. In: Memórias del Seminário Internacional “Diversidad, Interculturalidad y Construcción de Ciudad”, Bogotá: Universidad Pedagógica Nacional 17-19 de abril de 2007.

WALSH, Catherine. Interculturalidad y colonialidad del poder. Un pensamiento y posicionamiento 'otro' desde la diferencia colonial". In: WALSH, C.; LINERA, A. G.; MIGNOLO, W. Interculturalidad, descolonización del estado y del conocimiento. Buenos Aires: Del Signo, 2006. p. 21-70

Downloads

Publicado

2021-05-11

Como Citar

Oliveira, M. C. D., & Linsingen, I. von. (2021). Alternativas epistêmicas emergentes na ciência e seu ensino a partir do sul global. erspectiva, 39(2), 1–19. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2021.e67902