Traduzir, Remontar: Antologia e a Invenção do Objeto Traduzido.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e83237

Palavras-chave:

Tradução de Poesia, Traduzir como Remontar, Tradução e Antologia, Poesia de Brecht, André Vallias

Resumo

Este ensaio tem por objetivo discutir os diferentes sentidos da noção de traduzir como remontar, explorando as acepções desse verbo em português, seja no sentido da (re)montagem, seja no sentido da referência a uma origem. À luz dessa reflexão preliminar, este ensaio se encerra com uma leitura crítica do projeto de tradução da poesia de Bertolt Brecht, publicada por André Vallias em 2019.

Biografia do Autor

Mauricio Mendonça Cardozo, Universidade Federal do Paraná

Licenciatura em Letras: Língua e Literatura Alemã (1995), pela UFPR, Mestrado em Letras: Língua e Literatura Alemã (1999), pela USP, e Doutorado em Letras: Língua e Literatura Alemã (2004), pela USP e pela Universidade de Leipzig, Alemanha. Pós-doutorados: na PUC-Rio (supervisão de Maria Paula Frota, 2009-2010); na Johannes Gutenberg-Universität Mainz, Alemanha, e na Univeristé de Strasbourg, França (supervisão de Dilek Dizdar e Jean-Luc Nancy, 2013-2014); e no Programa de Pós-graduação em Teoria e História Literária da Unicamp e no Programa de Pós-graduação em Ciência da Literatura, da UFRJ (supervisão de Marcos Siscar e Marcelo Jacques de Moraes, 2018-2019). Foi tesoureiro da Associação Brasileira de Associações de Professores de Alemão (ABRAPA, 1997-2000), secretário-adjunto do Centro de Estudos Linguísticos e Literários do Paraná (CELLIP, 2000-2001), segundo-tesoureiro da Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC, 2009-2011), co-coordenador do GT Estudos da Tradução (GTTRAD-ANPOLL, 2008-2010 e 2010-2012) e coordenador do Fórum de Coordenadores de PPG da Região Sul (2020). Também foi vice-coordenador do Programa de Pós-graduação em Letras da UFPR (2009-2011) e coordenador desse mesmo Programa, gestão 2019-2021. É tradutor de literatura, com trabalhos em poesia moderna e contemporânea (e.e.cummings, Paul Celan, Rilke, Else Lasker-Schüler) e narrativa alemã do século XIX (Theodor Storm, Heinrich Heine, Goethe). Em 2008 foi finalista do Prêmio Jabuti, na categoria de Tradução literária, com a obra O Tigre de Veludo, tradução de poemas de e.e.cummings. Em 2018 foi contemplado com o Prêmio Paulo Rónai de Tradução, da Fundação Biblioteca Nacional, com a tradução da obra De minha vida: Poesia e Verdade, de Goethe. É professor associado IV da Universidade Federal do Paraná, atuando, em nível de graduação, no curso de Bacharelado em Letras com ênfase nos Estudos da Tradução. Em nível de pós-graduação, atua no Programa de Pós-graduação em Letras, na área de concentração dos Estudos Literários, com linha de pesquisa em Estudos da Tradução. É pesquisador do CNPq desde 2011 e, como pesquisador da área dos Estudos da Tradução, desenvolve e orienta, em nível de graduação, mestrado e doutorado, projetos nas áreas de Teoria da tradução, Teoria literária, Tradução e Poesia, Tradução e Pensamento Contemporâneo, Tradução literária e Crítica de tradução literária.

Referências

Benjamin, Walter. Passagens. Organização e posfácio de Willi Bolle e Olgária Chain Féres Matos; Tradução de Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

Brecht, Bertolt. Bertolt Brecht: Poesia. Introdução e tradução de André Vallias. São Paulo: Perspectiva, 2019. Adenda digital disponível em http://andrevallias.com/brecht.

Britto, Paulo Henriques. “O tradutor como antologista”. Literatura Traduzida: antologias, coletâneas e coleções. Torres, Marie‑Hélène; Freitas, Luana Ferreira de; Costa, Walter Carlos (org.). Fortaleza: Substânsia, 2016, pp.23-35.

Berman, Antoine. Pour une critique des traductions: John Donne. Paris: Gallimard, 1995.

Campos, Augusto de. “Bertolt Brecht em montagem poética”, texto de orelha. Brecht, Bertolt. Bertolt Brecht: Poesia. Introdução e tradução de André Vallias. São Paulo: Perspectiva, 2019.

Campos, Haroldo de. “Da tradução como criação e como crítica”. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 1992a, pp.31-48.

Campos, Haroldo de. “Da razão antropofágica: diálogo e diferença na cultura brasileira”. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 1992b, pp.231-255.

Campos, Haroldo de. Deus e o Diabo no Fausto de Goethe: marginalia fáustica (leitura do poema acompanhada da transcriação em português das duas cenas finais da segunda parte). São Paulo: Perspectiva, 2005.

Campos, Haroldo de. Haroldo de Campos – Transcriação. Organização de Marcelo Tápia e Thelma Médici Nóbrega. São Paulo: Perspectiva, 2013.

Campos, Augusto de; Campos, Haroldo de; Pignatari, Décio. Teoria da Poesia Concreta: textos críticos e manifestos 1950-1960. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1975, pp.156-158.

Cardozo, Mauricio Mendonça. “Tradução e o (ter) lugar da relação”. Pensando a Política com Derrida: responsabilidade, tradução, porvir. Lopes, Alice Casimiro; Siscar, Marcos (org.). São Paulo: Cortez, 2018, pp.285-321.

Cardozo, Mauricio Mendonça. Literatura e tradução: descontinuidades na ficção do outro. Revista Brasileira de Literatura Comparada, 24 (2014, publicada em 2015): 08-125. Disponível em: https://revista.abralic.org.br/index.php/revista/article/view/326/330 Acessado em 10.12.2020.

Cardozo, Mauricio Mendonça. Tradução como transformação: liminaridade, incondicionalidade e a crítica da relação tradutória. Revista Letras, 85 (2012):181-201. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v85i1.27796. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/letras/article/view/27796/19491 Acessado em 10.12.2020.

Cardozo, Mauricio Mendonça. “Tradução e o trabalho de relação: notas para uma poiética da tradução”. O trabalho da tradução. Pietroluongo, Márcia Atálla (org.). Rio de Janeiro: Ed. ContraCapa, 2009, pp.181-188.

Didi-Huberman, Georges. Remontar, remontagem (do tempo). Tradução de Milene Migliano. Belo Horizonte: Chão da Feira, 2016. Acessado em 20.01.2020. Disponível em: https://chaodafeira.com/wp-content/uploads/2016/07/cad_47.pdf

Goethe, Johann Wolfgang von. Die Leiden des jungen Werthers – Dei Wahlverwandschaten – Kleine Prosa – Epen. Organização de Waltraud Wiethölter, com colaboração de Christoph Brecht. Frankfurt am Main: Deutscher Klassiker Verlag (DKV), 2006.

Perrone-Moisés, Leyla. Altas literaturas: escolha e valor na obra crítica de escritores modernos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

Siscar, Marcos. Não se diz. Rio de Janeiro: 7 Letras, 1999.

Siscar, Marcos. Metade da Arte. São Paulo; Rio de Janeiro: Cosac & Naify; 7 Letras, 2003.

Tarallo, Fernando. “Aspectos Sociolinguísticos da Tradução”. Tradução: teoria e prática. Coulthard, M; Caldas-Coulthard, C. R. (org.). Florianópolis: Editora da UFSC, 1991, pp. 33-46.

Downloads

Publicado

2021-09-30