Inteligência coletiva, redes sociais e capital social: em busca de conexões conceituais

Autores

  • Julia Bellia Margoto Universidade Federal do Espírito Santo/Universidade de Brasília
  • Jorge Henrique Cabral Fernandes Universidade de Brasília - UnB

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2015v20n42p93

Palavras-chave:

Inteligência coletiva, Complexidade, Redes Sociais, Capital Social

Resumo

Trata-se de um ensaio teórico cujo objetivo foi a busca por aproximações conceituais entre os fenômenos da inteligência coletiva, das redes sociais e do capital social, inseridos no contexto da sociedade da informação. Para isso, tais elementos são apresentados e discutidos à luz de diferentes autores. Verifica-se que os conceitos abordados possuem inúmeros pontos de convergência entre si, desenhando-se fortes relações de proximidade e complementaridade entre eles. Aponta-se para ideia de que a consideração destas relações nas perspectivas teóricas adotadas em pesquisas desenvolvidas nos campos em análise poderia enriquecer significativamente os resultados a serem alcançados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julia Bellia Margoto, Universidade Federal do Espírito Santo/Universidade de Brasília

Professora assistente do Departamento de Administração da Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, sendo mestre (2007) e graduada (1996) pela mesma instituição, na área de Administração. Atualmente é doutoranda do DINTER UnB/UFES em Ciência da Informação (2012-2015). É especialista em marketing pela ESPM - Escola Superior de Propaganda e Marketing (2000) e em Gestão e Desenvolvimento de Pessoas pela Fundação Getúlio Vargas (2004). Seus interesses de pesquisa estão nas questões relacionadas ao uso da Inteligência Coletiva voltada para a Gestão de Riscos e Desastres Naturais, além da Análise de Redes Sociais.Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UnB – DINTER UnB/UFES. Bolsista Capes.

Jorge Henrique Cabral Fernandes, Universidade de Brasília - UnB

Doutor (2000) e Mestre (1992) em Ciência da Computação pela UFPE. Especialista em Engenharia de Sistemas (1988) e graduado em Ciências Biológicas (1986) pela UFRN. É diretor do Centro de Informática - CPD, docente do Departamento de Ciência da Computação (CIC) do Instituto de Ciências Exatas, da Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCINF) da Faculdade de Ciência da Informação e da Pós-graduação em Computação Aplicada (PPCA) do Instituto de Ciências Exatas, na UnB. Orienta alunos de graduação, mestrado e doutorado. É coordenador do Grupo de Pesquisa GESIC - Segurança da Informação e Defesa Cibernética, registrado no CNPq.

Referências

ASHBY, W. R. An Introduction to Cybernetics. London: Chapman & Hall, 1999.

BARABÁSI, A.L. Linked: a nova ciência dos networks. Rio de Janeiro, Ed. Leopardo: 2009.

BENKLER, Y. The Wealth of Networks: How Social Production Transforms Markets and Freedom. 2006. Disponível em: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.5/ Acesso em: 20 mai. 2014.

BORGATTI NETO, Ricardo. Perspectivas da complexidade aplicadas à gestão de empresas. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3136/tde-03062008-100514/. Acesso em: 26 mai. 2014.

BRAGA, E. C. As redes sociais e suas propriedades emergentes como a inteligência coletiva: a criação do comum e da subjetividade. Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, n. 2, 2009. Disponível em: < http://www4.pucsp.br/pos/tidd/teccogs/artigos/2009/edicao_2/3-as_redes_sociais_e_suas_propriedades_emergentes_como_a_inteligencia_coletiva-a_criacao_do_comum_e_da_subjetividade-eduardo_cardoso_braga.pdf>. Acesso em: 13 jun. 2013.

BURT, R. S. The network structure of social capital. Research in Organizational Behavior, v. 22, jan. 2000.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 8a. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DI FELICE, M. As formas digitais do social e os novos dinamismos da sociabilidade contemporânea. In: I ABRAPCORP - I Congresso Brasileiro Científico de Comunicaçao Organizacional e de Relaçoes Públicas, 2007. São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo: ECA-USP, 2007. Disponível em: <http://www.abrapcorp.org.br/anais2007/trabalhos/gt3/gt3_felice.pdf >. Acesso em 22 dez. 2013.

ÉRDI, P. Complexity Explained. Springer-Verlag Berlin Heidelberg, 2008.

HEYLIGHEN, F. Modelling Emergence. World Futures:the Journal of General Evolution 31 (Special Issue on Emergence, edited by G. Kampis), v. 31, p. 89–104, 1991.

HEYLIGHEN, F. Self-organization in Communicating Groups : the emergence of coordination , shared references and collective intelligence. In: MASSIP-BONET, À.; BASTARDAS-BOADA, A. (Eds.). Complexity Perspectives on Language, Communication and Society Understanding Complex Systems. Springer- Verlag Berlin Heidelberg, 2013.

JENKINS, B. H. Collective Intelligence vs The Wisdom of Crowds. 2006. Disponível em: <http://henryjenkins.org/?s=Collective+Intelligence+vs.+The+Wisdom+of+Crowds+By>. Acesso em 15 dez. 2013.

JOHNSON, S. Emergência: a dinâmica de rede em formigas, cérebros, cidades e softwares. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

KELLY, K. Out of Control. 2008. Disponível em: <http://kk.org/books/ooc-mf.pdf>. Acesso em 12 fev. 2013.

LÉVY, P. Cibercultura. 3a. ed. São Paulo: Editora, 34, 1999. p. 272.

LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Edições Loyola, 2011. 8ª ed.

MANDARANO, L.; MEENAR, M.; STEINS, C. Building Social Capital in the Digital Age of Civic Engagement. Journal of Planning Literature, v. 25, n. 2, p. 123–135, 2010.

MARTELETO, R. M.; SILVA, A. B. DE O. Redes e capital social : o enfoque da informação para o desenvolvimento local. Ci. Inf., Brasília, v. 33, n. 3, p. 41–49, 2004.

MITCHELL, M. Complexity: a guide tour. New York, Oxford University Press: 2009.

MOODY, J.; PAXTON, P. Building Bridges: Linking Social Capital and Social Networks to Improve Theory and Research. American Behavioral Scientist, v. 52, n. 11, p. 1491–1506, 24 mar. 2009.

NOUBEL, J.-F. Collective Intelligence: the invisible revolution. [s.l: s.n.]. p. 1–49.

RECUERO, R. DA C. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Editora Sulina, 2009.

RHEINGOLD, H. Net Smart: how to thrive online. Mit Press, 2012.

SOLACHIDIS, V. et al. Collective Intelligence Generation from User Contributed Content (A. Fink, A and Lausen, B and Seidel, W and Ultsch, Ed.)ADVANCES IN DATA ANALYSIS, DATA HANDLING AND BUSINESS INTELLIGENCE. Anais...: Studies in Classification Data Analysis and Knowledge Organization.2010.

TAKAHASHI, T. (org.). Livro verde da Sociedade da Informação no Brasil. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000. Disponível em: http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/18878.html. Acesso em 18 abr. 2012.

WASSERMAN, S.; FAUST, K. Social network analysis: methods and aplications. New York: Cambridge University Press, 2009. 19ª ed.

WERTHEIN, J. A sociedade da informação e seus desafios. Ci. Inf., Brasília, v. 29, n. 2, p. 71–77, 2000.

WILLIAMS, K.; DURRANCE, J. C. Social Networks and Social Capital : Rethinking Theory in Community Informatics. The Journal of Community Informatics, v. 4, n. 3, p. 1–20, 2008.

WERTHEIN, J. A sociedade da informação e seus desafios. Ci. Inf., Brasília, v. 29, n. 2, p. 71–77, 2000.

WOOLLEY, A. W. et al. Evidence for a collective intelligence factor in the performance of human groups. Science (New York, N.Y.), v. 330, n. 6004, p. 686–8, 29 out. 2010.

Downloads

Publicado

2015-04-14

Como Citar

MARGOTO, Julia Bellia; FERNANDES, Jorge Henrique Cabral. Inteligência coletiva, redes sociais e capital social: em busca de conexões conceituais. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 20, n. 42, p. 93–108, 2015. DOI: 10.5007/1518-2924.2015v20n42p93. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2015v20n42p93. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Ensaios

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.