Educação a distância como ferramenta de inclusão social e digital.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019.e58846

Palavras-chave:

Educação a distância, Inclusão social, Inclusão digital, UFPB,

Resumo

Apresenta a modalidade de ensino superior a distância como uma possibilidade de inclusão social e digital. A partir de 2006, com a regulamentação da educação a distância (EAD) em instituições federais de ensino superior, foi possível ter uma expansão significativa no número de vagas oferecidas, e a EAD, antes vista como uma educação marginalizada e sem reconhecimento, agora se apresenta como uma possibilidade concreta de uma educação de qualidade. O objetivo do artigo foi identificar como o acesso aos cursos de ensino superior a distância pode contribuir no processo de inclusão social e digital de pessoas residentes em pequenas cidades do Nordeste. Para isso, realizou-se uma pesquisa quanti-qualitativa com 42 ingressos do curso de licenciatura em Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba. Evidencia-se que a EAD pode se tornar uma das opções mais adequadas para algumas pessoas que possuem fatores limitantes, como trabalho em tempo integral, ausência de tempo para dedicação exclusiva a graduação presencial ou residem em locais que não possuem proximidade com as universidades públicas tradicionais. Ademais, não ter um computador com acesso à internet ou julgar não ter habilidade em manusear as tecnologias necessárias para participar de um curso a distância, podem ser motivos que limitam o interesse de algumas pessoas, as quais eventualmente são de classes sociais desfavorecidas ou tiveram pouco contato com a tecnologia. Os estudantes ainda percebem que há preconceito ou discriminação da sociedade por realizarem um curso a distância, mas reconhecem que se sentem socialmente incluídos, esperam ser incorporados pelo mercado de trabalho e não acreditam que haja distinção das empresas em relação a EAD.

Biografia do Autor

Ítalo José Bastos Guimarães, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando em Ciência da Informação (UFPB). Mestre em Ciência da Informação (UFPB). MBA em Gestão Empresarial e Logística. Graduação em Administração (UFPB). Autor dos livros: Usabilidade na web - análise em sites do Governo Federal (2016) e Acessibilidade em websites de comércio eletrônico na perspectiva dos usuários cegos (2017). 

Marckson Roberto Ferreira de Sousa, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Engenharia Elétrica na área de Processamento da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI/UFPB) e do Programa de Pós-Graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes (MPGOA/UFPB).

Izabel França de Lima, Universidade Federal da Paraíba

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais(2012), mestre em Educação (2007) especialista em Gestão de Unidades de Informação (2006), graduada em Biblioteconomia (1989) e em Administração (1999) pela Universidade Federal da Paraíba. Atualmente é professora Adjunta do Departamento de Ciência da Informação, do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação do Centro de Ciências Sociais Aplicadas e do Programa de Pós-Graduação em Gestão nas Organizações Aprendentes do Centro de Educação , Diretora da Editora da UFPB, e líder do grupo de Pesquisa iMclusoS da Universidade Federal da Paraíba. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Informação e tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Memória, Memória Institucional, Memória e Identidade, bibliotecas digitais, bibliotecas universitárias, serviço referência em bibliotecas universitárias, acesso e uso de informação, acessibilidade, usabilidade, inclusão digital/social/racial, informação etnicorracial.

Referências

ALMEIDA, A. S.; GONÇALVES, R. B. Inclusão social e suas abordagens na Ciência da Informação: análise da produção científica em periódicos da área de Ciência da Informação no período de 2001 a 2010. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, v. 18, n. 37, p.239-264, mai./ago.

ARETIO, L. G. La Educación a Distancia: de la teoria a la prática. Barcelona: 2001.

AKHRAS, F. N. Inclusão digital contextualizada para a inclusão social de comunidades isoladas. Inclusão. Social, Brasília, DF, v. 4 n. 1, p.19-27, jul./dez. 2010.

BRASIL. Decreto nº 5.622 de 19 de dezembro de 2005. 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em:<http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/portarias/dec5.622.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2017.

BRASIL. Resumo técnico: Censo da educação superior 2014. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2016. Disponível em:< http://download.inep.gov.br/download/superior/censo/2014/resumo_tecnico_censo_educacao_superior_2014.pdf>. Acesso em 01 ago. 2017.

CAMARGO, E. P. Inclusão social, educação inclusiva e educação especial: enlaces e desenlaces. Ciência & educação, Bauru, vol.23, n.1, jan./mar. 2017.

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Relatório conjunto sobre a inclusão social, que sintetiza os resultados da análise dos planos de ação nacionais para a inclusão social, Bruxelas, 2003.

DAL POZZO, C. F.; FURINI, L. A. O conceito de exclusão social e sua discussão. GeoAtos – Revista Geografia em Atos. Presidente Prudente, n. 10, v.1, p 86-92, jan./jun. 2010, Disponível em: <http://revista.fct.unesp.br/index.php/geografiaematos/article/viewFile/225/claytonn10v1>. Acesso em: 01 ago. 2017.

FONSECA, J. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, A. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KAUARK, F.; MANHÃES, F.; MEDEIROS, C. Metodologia da Pesquisa: um guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

KOWARICK, L. Sobre a vulnerabilidade socioeconômica e civil — Estados Unidos, França e Brasil, Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 61‑85, 2003.

LACLAU, E. Inclusão, exclusão e a construção de identidades. In: AMARAL

JR, Aécio; BURITY, Joanildo (Orgs.). Inclusão social, identidade e diferença: perspectiva pós‑estruturalista de análise social. São Paulo: Annablume, 2006.

LE COADIC, Y-F. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MATTOS, F. A. M.; SANTOS, B. D. D. R. Sociedade da informação e inclusão digital: uma análise crítica. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.5, n.1, 2009.

MINAYO, M. Trabalho de campo, contexto de observação, interação e descoberta. In:_________. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Igualdade e diferenças na escola: como andar no fio da navalha. In: ______; PRIETO, Rosângela Gavioli. Inclusão escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006, p. 15-29.

PEDROSA, R. H. L. A universidade e a inclusão social. Rev. latinoam. psicopatol. Fundam, São Paulo, vol.16, n.1, mar. 2013.

SHEPPARD, M. Social work and social exclusion: the idea of practice. Aldershot: Ashgate, 2006.

SILVA, H.; et al. Inclusão digital e educação para a competência informacional: uma questão de ética e cidadania. Ci. Inf., Brasília, v. 34, n. 1, p. 28-36, jan./abr. 2005.

SILVA FILHO, A. M. da. Os três pilares da inclusão digital. Revista Espaço Acadêmico, v. 3, n. 24, maio 2003.

SILVER, Hilary. Políticas dos países europeus para promover a inclusão social. In:

BUVINIC, M.; MAZZA, J.; DEUTSCH, R. (Orgs.). Inclusão social e desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

TARAPANOFF, K.; SUAIDEN, E.; OLIVEIRA, C. L. Funções sociais e oportunidades para profissionais da informação. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação, v. 3, n. 5, out. 2002.

UFPBVIRTUAL. Missão da UFPBVIRTUAL. 2012. Disponível em:<http://portal2.virtual.ufpb.br/index.php/instituicao/missao/>. Acesso em: 02 ago. 2017.

VAN DER LINDEN, M. M. G. Introdução à Educação a Distância — EAD. In: Marcos Barros de Medeiros e Geralda Macedo. (Org.). Caderno de Licenciatura em Ciências Agrárias. 1ª ed. João Pessoa/PB: Editora Universitária/UFPB, 2009, v. 1, p. 33-104.

WIXEY, S. et al., Measuring Accessibility as Experienced by Different Socially Disadvantaged Groups, funded by the EPSRC FIT Programme — Transport Studies Group — Universidade de Westminster, 2005.

Downloads

Publicado

2019-09-09

Edição

Seção

Artigo