Dos dados ao conhecimento: tendências da produção científica sobre Big Data na Ciência da Informação no Brasil.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e70527

Palavras-chave:

Big data, Ciência da Informação no Brasil, Análise da produção científica, Estudos métricos

Resumo

Objetivo: Este estudo analisa a produção científica acerca da temática do big data na Ciência da Informação no Brasil, a fim de compreender os elementos estruturais dessa produção e como o assunto é discutido no campo da CI, além de suas relações com outras áreas e subáreas do conhecimento.

Método: Assume um caráter exploratório, utilizando-se o levantamento bibliográfico como método de coleta dos artigos indexados na base Brapci, entre os anos de 1972 e 2019, além da análise de conteúdo, e da bibliometria como técnica de análise.

Resultado: Como resultados, evidencia-se o caráter exploratório e predominantemente teórico desses artigos em detrimento da experimentação e pesquisa de campo. As publicações distribuem-se em 25 periódicos, contudo, 67% dessa produção concentram-se em nove periódicos.

Conclusões: O cenário apresentado sinaliza um espaço profícuo para as novas pesquisas da área e um posicionamento estratégico à CI, mas também, uma lacuna a ser preenchida frente a novas exigências de pesquisas que tragam algum impacto social, sendo essa, inclusive, uma das novas dimensões de avaliação dos Programas de Pós-graduação no País, anunciada recentemente pela Capes.

Biografia do Autor

Karen Isabelle dos Santos-d'Amorim, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI-UFPE).

Karen Santos-d'Amorim é mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). É membro do grupo de Pesquisa SCIENTIA (CNPq/UFPE), atuando nas áreas de Estudos métricos da Informação, Comunicação Científica, Economia Política da Informação, mais especificamente com os temas 'Desinformação, Desinformação na Comunicação Científica' e 'Information as a Commodity'.

Rúbia Wanessa dos Reis Cruz, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI-UFPE).

Doutoranda em Ciência da Informação e Mestre em Ciência da Informação, ambos no programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco. É Bacharel em Secretariado Executivo, também pela Universidade Federal de Pernambuco. Foi professora substituta no Curso de Bacharelado em Secretariado Executivo Bilíngue da Universidade Federal da Paraíba. Possui interesses e atuação direcionados aos Estudos Métricos da Informação e Comunicação Científica, principalmente relacionados à construção de indicadores em Ciência Tecnologia e Inovação (CT&I). Atualmente, dá ênfase à construção de indicadores científicos do campo do Secretariado Executivo no Brasil.

Marcela Lino da Silva, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI-UFPE).

Doutoranda e Mestra em Ciência da Informação (2016), no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI), e Bacharela em Gestão da Informação (2014), ambos pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Também é Bacharela em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo (2008), pela Faculdade Maurício de Nassau. Tem experiência em Assessoria de Comunicação e Jornalismo Online, bem como em docência presencial e EAD. Integrou o grupo de pesquisa Prospecção e Práxis em Gestão da Informação e tem interesse nas pesquisas sobre Estudo do Usuário, Competência e Comportamento Informacional, Cultura em Informação, Comunicação e Mídia, Epistemologia, Paradigmas da Ciência da Informação e Teoria da Complexidade. Atualmente, atua como Gestora de Parcerias Estratégicas no Projeto de Desenvolvimento Institucional da CAPPE (Coordenação de Articulação e Promoção de Parcerias Estratégicas), vinculado à Positiva (Diretoria de Inovação da UFPE). 

Anna Elizabeth Galvão Coutinho Correia, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (PPGCI-UFPE).

Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Pernambuco (1988), mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006), e doutorado em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2012). Atualmente é professora Adjunto 4 da Universidade Federal de Pernambuco, atuando na graduação em Biblioteconomia, e no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. Participa dos grupos de pesquisa SCIENTIA e Organização e Representação do Conhecimento. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Processos de Disseminação da Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: acesso à informação, organização de arquivo, bibliometria, cientometria, tratamento da informação, Política de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2008.

BARRETO, A. O Rumor do Conhecimento. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 12, n. 4, p. 69-77, 1998. Disponível em: http://produtos.seade.gov.br/produtos/spp/v12n04/v12n04_10.pdf. Acesso em: 9 abr. 2020.

BARRETO, A. A condição da informação. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 67-74, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-88392002000300010. Acesso em: 9 abr. 2020.

BARRETO, A. A aventura de perceber significados. DataGramaZero, [s. l.], v. 15, n. 3, p. 1-8, jun. 2014. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/53483. Acesso em: 9 abr. 2020.

BEYER, M. A.; LANEY, D. The Importance of Big Data: A Definition. Gartner Publications, Stamford, Jun. 2012. Disponível em: https://www.gartner.com/en/documents/2057415. Acesso em: 9 set. 2019.

BORKO, H. Information Science: What is it? American Documentation, [s. l.], v. 19, n. 1, p. 3-5, Jan. 1968. Disponível em: https://doi.org/10.1002/asi.5090190103. Acesso em: Acesso em: 7 abr. 2020.

BRASCHER, M.; CAFÉ, L. Organização da Informação ou Organização do Conhecimento. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 9., 2008. Anais [...]. São Paulo: USP, 2008.

BROOKES, B. C. The foundations of information science: Part 1. Philosophical aspects. Journal of Information Science, [s. l.], v. 2, n. 3-4, p.125-133, Jun. 1980. Disponível em: https://doi.org/10.1177/016555158000200302. Acesso em: 7 abr. 2020.

CAPURRO, R. Epistemologia e ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE

PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5., 2003. Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

CASTIEL, L. D.; SANZ-VALERO, J.; MEL-CYTED, R. Entre o fetichismo e sobrevivência: o artigo científico é uma mercadoria acadêmica? Cad. Saúde Pública, São Paulo, v. 23, n. 12, p. 3041-3050, 2007.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v23n12/25.pdf. Acesso em: 8 abr. 2020.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Avaliação Multidimensional. Disponível em: https://www.capes.gov.br/36-noticias/9979-avaliacao-medira-impacto-social-e-insercao-regional-das-pesquisas. Acesso em: 30 nov. 2019.

CORREIA, A. E. G. C. A influência exercida pelo sistema de avaliação da CAPES na

produção científica dos programas de pós-graduação em física. 2012. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

COX, M. B.; ELLSWORTH, D. Application-controlled demand paging for Out-of-Core visualization. In: CONFERENCE ON VISUALIZATION, 8., 1997. Proceedings […]. Arizona: Institute of Electrical and Electronics Engineers, 1997, p. 235–244.

DAVENPORT, T. H.; PATIL, D. J. “Data Scientist: The Sexiest Job of the 21st Century”. Harvard Business Review, [s. l.], v. 90, n. 10, p. 70-76, Oct. 2012. Disponível em: https://hbr.org/2012/10/data-scientist-the-sexiest-job-of-the-21st-century. Acesso em: 9 set. 2019.

DE MAURO, A.; GRECO, M.; GRIMALDI, M. A Formal Definition of Big Data based on its Essential Features. Library Review, [s. l.], v. 65, n. 3, p.122-135, Apr. 2016. DOI: 10.1108/LR-06-2015-0061. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/LR-06-2015-0061/full/html. Acesso em: 9 set. 2019.

GANTZ, J.; REINSEL, D. The Digital Universe in 2020: Big Data, Nigger Digital Shadows, and Biggest Growth in the Far East. IDC, New York, v. 3, Dec. 2012. Disponível em: https://www.emc.com/collateral/analyst-reports/idc-digital-universe-united-states.pdf. Acesso em: 9 set. 2019.

HJØRLAND, B. Domain analysis. ISKO Encyclopedia of Knowledge Organization, [s. l.]. Disponível em: http://www.isko.org/cyclo/domain_analysis. Acesso em: 10 abr. 2020.

INFORMAÇÃO & INFORMAÇÃO. Londrina: UEL, 1996-. ISSN 1981-8920.

INFORMAÇÃO & TECNOLOGIA. Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação: ANCIB, 2014- . ISSN 2358-3908.

LE COADIC, Y.F. A Ciência da Informação. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MCAFEE, A.; BRYNJOLFSSON, E. Big Data: The Management Revolution. Harvard Business Review, [s. l.], v. 90, n. 10, p. 61-67, Oct. 2012. Disponível em: https://hbr.org/2012/10/big-data-the-management-revolution. Acesso em: 10 set. 2019.

MEDEIROS, J. S.; CAREGNATO, S. E. Compartilhamento de dados e e-Science: explorando um novo conceito para a comunicação científica. Liinc em revista, [s. l.], v. 8, n. 2, 2012. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/50657. Acesso em: 14 out. 2019.

MERTON, R. K. The Matthew Effect in Science: The reward and communication systems of science are considered. Science, [s. l.], v. 159, n. 3810, p. 56-63, Jan. 1968. Disponível em: http://www.garfield.library.upenn.edu/merton/matthew1.pdf. Acesso em: Acesso em: 6 abr. 2020.

MIRANDA, M. K. F. O. O acesso à informação no paradigma pós-custodial: da aplicação da Intencionalidade para a findability. 2010. Tese (Doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais) – Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Porto, Portugal, 2010.

PENCE, H. What is Big Data and Why is It Important? Journal of Educational Technology Systems, [s. l.], v. 43, n. 2, p. 159-171, Dec. 2014. DOI: 10.2190/ET.43.2.d. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.2190/ET.43.2.d. Acesso em: 16 set. 2019.

SANTOS, P. L. V. A. C.; SANT’ANA, R. C. G. Transferência da informação: análise para valoração de unidades de conhecimento. DataGramaZero, [s. l.], v. 3, n. 2, p.01-16, abr. 2002. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/7482. Acesso em: 14 set. 2019.

SARACEVIC, T. Interdisciplinary Nature of Information Science. Ciência da Informação, Brasília, v. 24, n. 1, p. 1-9, 1995. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/8887. Acesso em: 9 abr. 2020.

SETZER, W. V. Dado, Informação, Conhecimento e Competência. DataGramaZero, [s. l.], n. zero, p. 1-11, dez. 1999. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~vwsetzer/datagrama.html. Acesso em: 14 set. 2019.

SILVA, A. M.; RIBEIRO, F. Das Ciências Documentais à Ciência da Informação: ensaio epistemológico para um novo modelo curricular. Porto: Edições Afrontamento, 2002.

SCHIMIDT, E. Every 2 Days we Create as much Information as we did Up to 2003. TechCrunch, [S. l.], 4 Aug. 2010. Disponível em: http://techcrunch.com/2010/08/04/schmidt-data. Acesso em: 9 jun. 2018.

SCHROECK, M.; SHOCKLEY, R.; SMART, J.; ROMERO-MORALES, D.; TUFANO, P. Analytics: The real-world use of big data. Research Report: IBM Institute for Business Value, Apr. 2013. Disponível em: https://www.informationweek.com/pdf_whitepapers/approved/1372892704_analytics_the_real_world_use_of_big_data.pdf. Acesso em: 18 set. 2019.

SOLON, O. Facebook says Cambridge Analytica may have gained 37m more users' data. The Guardian, Reino Unido, Apr. 2018. Disponível em: https://www.theguardian.com/technology/2018/apr/04/facebook-cambridge-analytica-user-data-latest-more-than-thought. Acesso em: 28 nov. 2019.

SOPRANA, P. Idec pede investigação sobre uso indevido de dados em campanha no WhatsApp. Folha de São Paulo, São Paulo, 12 out. 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/idec-pede-investigacao-sobre-uso-indevido-de-dados-em-campanha-no-whatsapp.shtml. Acesso em: 28 nov. 2019.

TARGINO, M. G. A. A interdisciplinaridade da ciência da informação como área de pesquisa. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 5, n. 1, p. 12-17, jan./dez. 1995. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/_repositorio/2010/12/pdf_4e5a4cbdb9_0013906.pdf. Acesso em: 29 nov. 2019.

URBIZAGÁSTEGUI, R. A Lei de lotka na bibliometria brasileira. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, 2002. DOI: 10.1590/S0100-19652002000200002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v31n2/12904.pdf. Acesso em: 9 abr. 2020.

ZIMAN, J. Conhecimento Público. São Paulo: Edusp, 1979.

ZINS, C. Conceptual approaches for defining data, information, and knowledge. Journal of The American Society for Information Science and Technology, [s. l.], v. 58, n. 4, p. 479-493, Jan. 2007. DOI:10.1002/asi.20508. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/asi.20508. Acesso em: 28 nov. 2019.

Downloads

Publicado

2020-07-07

Edição

Seção

Artigo