A aprendizagem da linguagem física em um curso de introdução à Mecânica Clássica

Henrique Estevan Ballestero, Sergio Mello Arruda, Marinez Meneghello Passos

Resumo


Este estudo aborda a aprendizagem da linguagem física, segundo os pressupostos estabelecidos por Thomas Kuhn em A Estrutura das Revoluções Científicas e outros escritos. Trata-se de um estudo de caso, onde investigamos a aprendizagem do estudante A5 durante um curso introdutório de Mecânica Clássica. Por meio de seus relatos e resoluções de problemas foi possível concluir que as proposições de Kuhn são confirmadas no que diz respeito ao aprendizado da ciência Física e que estão relacionados aos efeitos e à utilização da linguagem pelo estudante. O principal destaque no processo de aprendizagem de A5 refere-se à expansão de seu léxico ou vocabulário. Com a análise dos dados coletados pudemos constatar que essa expansão se deu durante as aulas por meio de procedimentos didáticos instaurados pelo docente, que se pautava em explicações simples e diretas e na utilização contínua de exemplos. Por conseguinte, com as resoluções dos problemas propostos pelo professor, o estudante A5 demonstrou em suas manifestações e registros os processos de interpretação, principalmente durante o módulo de Lagrange. Fica evidente nesse processo que a Mecânica Lagrangiana, por exemplo, se enquadrou como um novo vocabulário adquirido por A5.


Palavras-chave


Aprendizagem da Linguagem Física; Aprendizagem por Ostensão; Léxico

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2018v35n1p2

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >