Geomorfologia, paisagem e arte: um percurso em construção

Jairo Valdati

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n1p181

 

O artigo apresenta algumas concepções pertinentes às ciências naturais, de modo especial na geomorfologia, as quais são usadas para representar a paisagem no campo das artes. Para isso, parte-se das origens de alguns princípios norteadores da geomorfologia, tais como catastrofismo e uniformitarismo que tentam explicar a paisagem, o relevo, segundo a corrente de pensamento vigente em cada época, até trabalhos mais recentes de geomorfologia aplicados aos estudos ambientais, tais como os estudos sobre os geomorfosites. O conceito de espaço natural, evolutivo da geomorfologia, e a ideia de espaço construído dos paisagistas, especialmente a de Burle Marx, conduzem ao universo da Land Art, ou arte e paisagem. A metodologia se baseia principalmente em material bibliográfico e trabalhos realizados pelo autor e na aplicação de técnicas mistas sobre suporte fixo (tela) em forma de obras artísticas. Finalizando a análise, evidencia-se que os conceitos aplicados nos estudos acadêmicos sobre a relação homem e ambiente ou homem e paisagem natural podem ser aplicados nas artes. Por fim, são apresentadas obras realizadas pelo autor em que o conceito de espaço aparece em uma relação de escala (desproporção) e tempo, evidenciando a efemeridade do homem perante os processos naturais.

 


Palavras-chave


Geomorfologia; Geomorfosites; Paisagem; Arte

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2012v9n1p181

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.