Articulações entre cuidado de si e Ecosofia: problematizando a formação de professores

Isabel Gomes Ayres, Roselaine Machado Albernaz

Resumo


Neste artigo percorremos obras de Michel Foucault e de Félix Guattari através das quais tentaremos articular os conceitos filosóficos “cuidado de si” (Foucault) e “ecosofia” (Guattari) para, posteriormente, discutirmos como estes conceitos podem favorecer a criação de um pensamento sobre a formação de professores e sugerir uma formação a qual chamamos de ecosófica. Entre os anos de 1981 e 1982, Foucault falava sobre a urgência da reconstrução de uma ética de “si” como um possível enfrentamento contra relações de poder dissimétricas. Mais tarde, em 1989, Guattari, também referenciava esta urgência frente a uma crise multifacetada que deteriorava simultaneamente o ambiente físico, as relações sociais e as subjetividades em todo o planeta. Estas críticas foram formuladas por Foucault e por Guattari há aproximadamente três décadas, acreditamos que seus escritos podem contribuir para problematizarmos os modos de vida atuais.


Palavras-chave


Cuidado de si; Práticas de si; Ecosofia; Ressingularização; Formação de Professores

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALBERNAZ, R. M. Formação ecosófica: a cartografia de um professor de matemática. 2011. 217f. Tese (Programa de Pós-graduação em Educação Ambiental) – Universidade Federal de Rio Grande (FURG). Rio Grande, 2011.

DELEUZE, G. Conversações. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2010.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Plâtos: capitalismo e esquizofrenia. v. 1. São Paulo: Rditora 34 Ltda., 1995.

FOUCAULT, M. A hermenêutica do subleito: curso do Collège de France (1981-1982). 3 ed. São Paulo: Editora MF Martins Fontes, 2010a.

FOUCAULT, M. Ética, sexualidade política. 2 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010b.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: a vontade de saber. 3 ed. São Paulo: Paz & Terra, 2015.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. São Paulo: Paz e terra, 2014.

GROS, F. Situação do curso. In: FOUCAULT, M. A hermenêutica do sujeito: curso do Collège de France (1981-1982). 3 ed. São Paulo: Editora MF Martins Fontes, 2010.

GUATTARI, F. ¿Que és la Ecosofia? Textos presentados y agenciados por Stéphane Nadaud. Buenos Aires: Cactus: 2015.

GUATTARI, F. As três ecologias. 21 ed. Campinas: Papirus, 2012a.

GUATTARI, F. Caosmose: um novo paradigma estético. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2012b.

GUATTARI, F. Revolução Molecular: pulsações políticas do desejo. 3 ed. Editora Brasiliense: Sã Paulo, 1985.

GUATTARI, F.; ROLNIK, S. Micropolítica: cartografias do desejo. 12 ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

KASPER, K. M. Eco-lógica: Efigênia entre arte e vida. Ciência e Educação: Bauru. n.2, p. 331-344, 2014.

PEREIRA, M. V. Estética da professoralidade: estudo crítico da formação de professores. Santa Maria: Editora UFSM, 2013.]

QUERRIEN, A. Esquizoanálisis, capitalismo y libertad. La larga marcha de los desafiliados. In: GUATTARI, F. Plan sobre el planeta: capitalismo mundial integrado y revoluciones moleculares. Madri: Traficantes de sueños, 2004.

SOARES, L. B.; MIRANDA, L. L. Produzir subjetividades: o que significa? Estudos e pesquisas em Psicologia: Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 1-13, 2015.

TRENTO, F. B. Sobre a urgência do pensamento de Michel Foucault. Galáxia: São Paulo, n. 30, p. 185-190, dez 2015.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2018v15n1p17

Direitos autorais 2018 Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.