Direitos trabalhistas e assassinato em tempos de regime civil-militar (1972 - 1973): o indiciamento dos irmãos Barreto.

Autores

  • Antonio Torres Montenegro Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2014v6n11p91

Palavras-chave:

História e Direitos Trabalhistas, História e Resistência, História e Ditadura

Resumo

Este artigo analisa o processo de indiciamento de dois trabalhadores rurais que, após ganharem uma causa na Justiça do Trabalho, junto com outros trabalhadores, passam a ser ameaçados de morte pelo arrendatário do Engenho Matapiruma de Baixo, no município de Escada em Pernambuco. Em face dessas ameaças, o trabalhador Luis Inocêncio Barreto, com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, peregrina pelos órgãos policiais e militares denunciando o arrendatário. Mas, o que a documentação revela é que estes passam a tratá-lo como subversivo e o arrendatário como vítima. Em seguida, a polícia e o vigia do engenho realizam uma abordagem dos trabalhadores que resultará na morte de um trabalhador e do próprio vigia, além de ferimentos em dois policiais. O artigo analisa, sobretudo, como o delegado responsável pelo inquérito irá alterar sua avaliação do conflito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Torres Montenegro, Universidade Federal de Pernambuco

Federal University of Pernambuco

Downloads

Publicado

2014-08-14

Como Citar

MONTENEGRO, A. T. Direitos trabalhistas e assassinato em tempos de regime civil-militar (1972 - 1973): o indiciamento dos irmãos Barreto. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 6, n. 11, p. 91-106, 2014. DOI: 10.5007/1984-9222.2014v6n11p91. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/1984-9222.2014v6n11p91. Acesso em: 6 dez. 2021.