O pensamento decolonial antropofágico na educação em ciências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2021.e66432

Resumo

Defendemos que em Timor-Leste o fim da colonização portuguesa em 1975 e o fim da invasão indonésia em 1999, via plebiscito, não foram acompanhados pelo fim da colonialidade. Nesse contexto, buscando caminhos para pensar a educação em ciências, a presente pesquisa tem como objetivo analisar o pensamento decolonial antropofágico no ensino de Biologia em Timor-Leste. Para tanto, foram realizados círculos de leitura com 14 (quatorze) professores de Biologia do 10º, 11º e 12º ano do Ensino Secundário Geral do município de Díli. Esses círculos de leitura fundamentam-se em duas vertentes teóricas: a Análise de Discurso (francesa e brasileira) e o pensamento decolonial. Nessa direção, buscamos problematizar os manuais dos alunos de Biologia e construir horizontes decoloniais, mediante a articulação dessa disciplina com o contexto local. Os resultados sinalizam que os círculos de leitura se transformaram em um espaço intercultural crítico, configurando-se também como caminhos para a construção de um pensamento decolonial antropofágico, desde o sul global. Como exemplo teórico-prático, destacamos a leitura discursiva e decolonial a respeito da medicina ocidental e a tradicional timorense. Assim, em termos de considerações finais, reforçamos a importância de valorizar as experiências dos educadores e educandos timorenses e criar caminhos emancipatórios, sintonizados com a cultura e a realidade sócio-histórica desse país.

Palavras-chave: Timor-Leste, Currículo; Ensino; Biologia.

Referências

ANDRADE, M. Macunaíma, o herói sem nenhum caráter. 2ª Ed. São Paulo: Penguin E Companhia das Letras, 2016.

ANDRADE. O. Manifesto antropófago. Revista de Antropofagia. Ano. 1, Nº. 1, maio de 1928.

ANIBAL, A. Os fantasmas da América Latina. In: NOVAES, A. (org). Oito visões da América Latina. São Paulo: Senac, 2006. p. 49-85.

ARAÚJO, I. S. B. O sagrado na cultura das parteiras do Timor-Leste. 2013. 168p. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, SC, Brasil. 2013.

BARBOSA, A. T. CASSIANI, S. Currículo do Ensino Secundário Geral em Timor-Leste: a busca por abordagens superadoras e emancipatórias. In: Currículo, cultura, inclusão e diferenças - Anais do XII Colóquio sobre questões curriculares/VIII Colóquio lusobrasileiro de currículo/II Colóquio luso-afro-brasileiro de questões curriculares. Recife: ANPAE, 2017

BARBOSA, A. T. CASSIANI, S. Transnacionalização Curricular em Timor-Leste: tensões entre o global e o Nacional. In: MONTEIRO, B. A. P. et al. Decolonialidades na educação em ciências. São Paulo : Editora Livraria da Física, 2019

CABRAL, A. Unity and Struggle: speeches and writings of Amílcar Cabral, texts selected by the PAIGC. New York and London, Monthly Review Press, 1979.

CAMPOS, H. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva. 2006.

CARRASCALÃO, M. V. Intervenção de S. Exa. Saudoso Eng. Mário Viegas Carrascalão. In: 3º Congresso Nacional da Educação – A Educação é o pilar da consolidação da identidade e Desenvolvimento da Nação. VI Governo Constitucional. Ministério da Educação. Díli, 2017.

CASSIANI, S.; LINSINGEN, I. Formação inicial de professores de Ciências: perspectiva discursiva na educação CTS. Educar, Curitiba: Editora da UFPR, n. 34, p. 127-147, 2009.

CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. (Orgs.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007.

COSTA, L. Dicionário de Tétum-Português. Lisboa: Colibri; Universidade de Letras de Lisboa, 2000.

FOUCAULT, M. Isto não é um cachimbo. 6ª ed. São Paulo: Editora: Paz Terra, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 58ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, p. 115-147, 2008.

JACKSON, K. D. Novas receitas da cozinha canibal: o manifesto antropófago hoje. In: ROCHA, J. C. C.; RUFFINELLI, J. (Org.). Antropofagia hoje? Oswald de Andrade em cena. São Paulo: É Realizações, 2011.

LINSINGEN, I. Perspectiva educacional CTS: aspectos de um campo em consolidação na América Latina. Ciência & Ensino, v. 1, p. 01-16, 2007.

MANUEL, H. I. B. Crenças, Atitudes e Práticas de Saúde Reprodutiva em Timor-Leste: Uma Abordagem Intercultural. 2012. 733p. Tese de Doutorado em Psicologia, especialidade de Psicologia Intercultural. Lisboa: Universidade Aberta (UAb), 2012.

MARTINS, X.; HENRIQUES, P. D. S. Contribuição para o estudo do valor socioeconómico e cultural das plantas medicinais de Timor-Leste. Veritas, v. 5, n. 1, pp. 101–125, 2017.

MIGNOLO, W. D. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF – Dossiê: Literatura, língua e identidade, n. 34, p. 287-324, 2008.

MIGNOLO, W. D. Histórias locais/Projetos globais. Belo Horizonte: Editora da UFMG. 2003.

MORIN, E.; KERN, A. B. Terra-Pátria. 5ºed. Tradução de Paulo Neves. Porto Alegre: Sulina, 2005.

MUDIMBE, V. Y. A invenção de África: Gnose, filosofa e a ordem do conhecimento. Mangualde (Portugal), Luanda: Edições Pedago; Edições Mulemba, 2013.

NETTO, S. L. F. V. Antropofagia cultural: momento do pensamento crítico latino-americano. Revista Eletrônica da ANPHLAC, n. 17, p. 282-303, 2014.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Estratégia da OMS sobre medicina tradicional 2014-2023. Genebra, Suíça: OMS, 2013. Disponível em: <http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/95008/1/9789243506098_spa.pdf?ua=1> Acesso em: 29/04/2018.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. Campinas, SP: Pontes, 10ª ed. 2012ª

PAULINO, V. As lendas de Timor e a literatura oral timorense. Anuário Antropológico, Brasília, UnB, v. 42, n. 2, p. 157-179, 2017.

RDTL, República Democrática de Timor-Leste Manual do aluno de Biologia do 12º ano do ESG. Díli. Ministério da Educação, 2012.

RDTL, República Democrática de Timor-Leste. 3º Congresso Nacional da Educação – A Educação é o pilar da consolidação da identidade e Desenvolvimento da Nação. Díli, 2017.

ROMÃO, J. E.; GADOTTI, M. Paulo Freire e Amílcar Cabral: a descolonização das mentes. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2012.

SAID, E. W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

SANTOS, B. S. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. Revista Crítica de Ciências Sociais. Coimbra (Portugal), n. 78, p. 3-46, out. 2007.

SHOHAT, E.; STAM, R. Crítica da imagem eurocêntrica. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

SILVA, A. B. Educação Timoriana: uma proposta alternativa. In: PAULINO, V.; BARBOSA, A. T. Língua, ciência e formação de professores em Timor-Leste. Díli: Unidade de Produção e Disseminação do Conhecimento/Programa de Pós-graduação e Pesquisa da UNTL, 2016.

VELOSO. C. Antropofagia. São Paulo: Penguin Classic Companhia das Letras, 2012.

WALSH, C. (De)Construir la interculturalidad. Consideraciones críticas desde la política, la colonialidad y los movimientos indígenas y negros en el Ecuador. In: Norma Fuller, ed., Interculturalidad y Política: desafíos y posibilidades. Lima: Red de Apoyo de las Ciencias Sociales en el Perú, 2002.

WALSH, C. Interculturalidad crítica y pedagogía de-colonial: apuestas (des) de el in-surgir, re-existir y re-vivir. In: MELGAREJO, P. (Comp.). Educación Intercultural en América Latina: memorias, horizontes históricos y disyuntivas políticas. Cidade do México: Universidad Pedagógica Nacional /CONACIT/Plaza y Valdés, 2009a.

WALSH, C. Interculturalidad, estado, sociedad: luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito Casa editorial: Universidad Andina Simón Bolívar/Abya-Yala, 2009b.

WALSH, C. Las geopolíticas del conocimiento y colonialidad del poder. Entrevista a Walter Mignolo. Polis, Revista de la Universidad Bolivariana, v. 1, n. 4, 2003.

Downloads

Publicado

2020-08-25

Como Citar

Barbosa, A. T., & Paulino, V. (2020). O pensamento decolonial antropofágico na educação em ciências. erspectiva, 39(2). https://doi.org/10.5007/2175-795X.2021.e66432

Edição

Seção

Dossiê Linguagem, literatura e decolonialidade: caminhos para pensar a educação em ciências